Consultor Jurídico

Notícias

Desistência dos autores

TJ-RJ não julga caso de juiz que sacou arma para desembargador

Comentários de leitores

9 comentários

Pouco importa que tenham desistido. Há que haver sanção!

Citoyen (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Pouco importa que os destemperados e irresponsáveis magistrados tenham se reconciliado. Se o fizeram, apenas demonstraram que alguém lhes deu "juízo". Mas esse mesmo "juízo" quase resultou numa tragédia. E, para a sociedade, é um péssimo exemplo. Se isso for para o arquivo, sem um severo sancionamento, o cidadão brasileiro já não terá mais dúvidas do que já começa a ficar flagrante: os magistrados formam uma casta de intocáveis. É mister que o egrégio conselho nacional de justiça inicie processo disciplinar e os dois sejam julgados. Que fique o ínclito tribunal de justiça do rio de janeiro com seu vezo de adotar comportamento corporativista vexatório, mas não, nunca, o poder judiciário nacional!

E a arma?

JUNIOR - CONSULTOR NEGÓCIOS (Professor)

Nada se falou sobre a arma, registrada, raspada, depositada no fórum? Cadê o fiscal da lei?

Dr. Roque - prof. universitário

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

O M.Público está correndo atrás de um grupo de jovens desarmados, numa praia qualquer, armado com uma pistola automática, prestes a ser descarregada contra eles (é claro, em legítima defesa).

Propriedade privada

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O fato dos magistrados terem chegado a um acordo não altera em nada as apurações ou penalidades a serem aplicadas. Embora os juízes acreditem que os tribunais são propriedade particular deles, a Constituição Federal não permite que impunemente um juiz fique correndo atrás do outro com uma arma em punho ao invés de trabalhar.

Porte de armas para juízes?

AC-RJ (Advogado Autônomo)

Indo ao início da questão: O que justificaria porte de armas para juízes? Por que o Estatuto do Desarmamento não os pode alcançar? Por que não se reforma a LOMAN para retirar este absurdo privilégio?

Ministério Público, onde estás?

Antonio Carlos Kersting Roque (Professor Universitário - Administrativa)

Cadê o MP?

Rio, ah o rio... Tudo acontece!

José R (Advogado Autônomo)

Esse judiciário...

Uma dúvida

Dominique Sander (Advogado Sócio de Escritório)

E o processo criminal?

Erro?

Jivago (Outros)

Quem sacou a arma não foi o juiz?

Comentar

Comentários encerrados em 2/06/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.