Consultor Jurídico

Comentários de leitores

15 comentários

Amadorismo...

carpetro (Juiz Estadual de 2ª. Instância)

Se eles fossem inteligentes, continuariam a apoiar cada vez mais o Juiz Moro, pois ganhariam - e continuariam ganhando! - vultosos honorarios em cima da atuação dele...

Coerente!

Willson (Bacharel)

Fosse eu o cliente, o quem paga os honorários advocatícios que sustentam os escritórios de advocacia e seus proprietários, não gostaria que tais recursos patrocinassem holofotes para um juiz cuja conduta, digamos, paladina, diante dos reus, nao é la uma unanimidade. Democracia. Nesse caso, a questão não é de corporativismo, mas de não misturar agentes que parecem estar visivelmente, em lados opostos.

Infantilidade?

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Já que falou em recursos, prezado LeandroRoth (Oficial de Justiça), responda-me uma pergunta: quando será julgada a exceção de incompetência levantada em face à Vara na qual tramita a famigerada ação penal intitulada de "Lava Jato". Todo mundo sabe que a exceção foi interposta, E NÃO FOI JULGADA, e se amanhã ou depois for julgada procedente determinara a nulidade de tudo o que foi feito. A

Corporativistas do crime

LeandroRoth (Oficial de Justiça)

Reação corporativista ridícula.
.
A função do advogado é defender seu cliente nos termos da lei e da Constituição, e não ficar fazendo birra com juízes rigorosos.
.
O juiz Moro desrespeita a lei? Pra isso servem os recursos, habeas corpus, o CNJ, a Corregedoria, etc.
.
Essa implicância tola contra Moro e Joaquim Barbosa só expõe e infantilidade corporativista da advocacia criminal e reforça a sensação de que os advogados acabam se confundindo com os criminosos que defendem.

Tudo sabem, nada erram!

Flávio Marques (Advogado Autônomo)

É ridícula (para não dizer coisa pior que me vem em mente, pois, assim, o meu comentário seria inapropriado e, por consequência, negada a sua postagem pelo CONJUR) a posição desses escritórios!!! Isso é uma demonstração clara da "não aceitação do outro", como bem disse o Ministro Barroso em sua famigerada discussão com o Ministro Joaquim Barbosa. Ou seja, se for para dizer aquilo que quero ouvir, ótimo, seja bem-vindo! Agora, pensar diferente, diverso do que penso... é um dispare!!! Morte aos dissidentes! É isso que tais escritórios e certos criminalistas pensam. Esquecem-se que a democracia é isso mesmo: a pessoa ter a livre concepção e expressão do que pensa. Não se está obrigado a aceitar as ideias divergentes; entretanto, esses ditos advogados tentam cercear a livre manifestação quando tomam tais atitudes mesquinhas. HIPOCRISIA pura! Pois defendem a manifestação, o direito de dizer o que quiser...mas, desde que seja dito aquilo que querem ouvir! Eles entendem, ou melhor, têm plena convicção de que as suas posições são verdades absolutas e irrefutáveis, razão pela qual se torna impensável alguém tentar sustentar algo em contrário - ainda que esse "algo" tenha, ou não, fundamento. Esses advogados são verdadeiros "doutos sapientes": tudo sabem, nada erram!!!

Excelente iniciativa

Ariosvaldo Costa Homem (Defensor Público Federal)

Parabenizo o Professor e criminalista Juarez Tavares por ter retirado seu nome para a composição da mesa de encerramento da 21a. edição do Seminário Internacional de Ciências Criminais. Parabenizo também as bancas Malheiros Filho, Meggiolaro, Prado Advogados e Oliveira Lima, Hungria, Dall’Acqua & Furrier Advogados que cancelaram formalmente o patrocínio ao evento. Aqueles que não respeitam a Defesa devem ser alijados pelos verdadeiros advogados do meio acadêmico. DPF aposentado.

Com razão a defesa! 2

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Nem tanto pela primeira razão, mas talvez por pura precaução.
Se até no Conjur vemos "operadores" do Direito confundindo as coisas, então não iriam dizer que os defensores (que retiram o patrocínio a tempo) estariam tentando amenizar a atuação do magistrado por meio (então começa a ladainha do "pode não ser ilegal, mas é...) imoral...?

Com razão a defesa !

isabel (Advogado Assalariado)

é dever legal do advogado , sob pena de incorrer no crime de "patrocínio infiel " defender destemidamente seu cliente e não admitir que seus direitos sejam lesados . Assim não nos é facultado transigir com a magistratura quando este se mostre dispôs a ignorar os direitos dos que defendemos ...outra não poderia ser a atitude de dignos advogados .

Fanatismo é duro

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

É sempre muito difícil lidar com fanáticos. Pior ainda é convencê-los de algo. Mas, de qualquer forma, vai lá. Aqui mesmo na CONJUR foi postado há alguns meses um vídeo contendo uma gravação realizada em uma audiência conduzida pelo Juiz Federal Sergio Moro. O video mostra o advogado Nelio Machado expondo ao juiz-pop-star que eles (advogados) tiveram acesso aos documentos do processo no final da noite do dia anterior e, varando a madrugada estudando-os não conseguiram chegar nem na metade. Não havia como a advocacia acompanhar a audiência, que iria ouvir uma das testemunhas (ou acusado, não me lembro). Nelio chegou a dizer que, nem mesmo nos períodos mais sombrios da Ditadura Militar, tinha visto algo semelhante. Somente este fato é suficiente para que a advocacia (estou falando aqui da verdadeira advocacia) se retire de qualquer evento que tenha como participante juiz que não respeita as prerrogativas da classe. Claro, fanático não tem dignidade, nem princípio, e pouco se importa com isso. Mas o recado aqui está dado. Sob meu ponto de vista, com exceção daqueles que há havia assumido o compromisso de compor as mesas, todos os demais advogados que comparecerem a esse evento não honram minimamente a profissão que abraçaram.

covardia!

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Estão com medo? É só um congresso e cada um expõe e defende seu posicionamento. Fala-se tanto de Estado Democrático de Direito, mas...

Ficou feio

deffarias (Assessor Técnico)

Li de novo a matéria e custo a acreditar nisso. Amadores de grife! Que falta de senso de grandeza, a ponto de um deles ter cancelado a participação para não compartilhar da mesa, como se o juiz fosse um leproso.

Faltou profissionalismo

deffarias (Assessor Técnico)

Bobagem! Os escritórios mostraram que não são profissionais. Não são eles os primeiros a dizer que não se confundem com os clientes, quando defendem facínoras? Pois é, estão levando isso para o lado pessoal. É igual advogado de partido político que vira militante também. Quando tem poderoso e endinheirado na história, infelizmente, tem gente que vende a alma e a reputação.

Amém

Phelipe Mastra (Estudante de Direito)

Feliz em saber que a comunidade jurídica não compartilha da idolatria que leigos dirigem ao magistrado ,um gigante no mundo dos juízes violadores da cf .

Papo Furado

Professor Edson (Professor)

Pirotecnia é o campeão da corrupção no mundo ter 700 mil presos e nem meia duzia de corruptos condenados e presos.

Separando

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A pirotécnica de Moro é para o povão, e não casa com discussão acadêmica. Fizeram bem os escritórios em retirar o apoio.

Comentar

Comentários encerrados em 16/05/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.