Consultor Jurídico

Comentários de leitores

7 comentários

Liberdade de imprensa e publicidade do processo

Francisco Alves dos Santos Jr. (Juiz Federal de 1ª. Instância)

Se o juiz do caso não decretou sigilo, a sua publicidade é a mais ampla possível. E parabéns

Solidariedade

Observador.. (Economista)

Minha solidariedade ao CONJUR. Gosto deste sítio e o considero um dos mais democráticos que existem.
Pode até ter uma linha editorial que desagrade alguns, mas possibilita o debate, a divergência e a busca de aprimoramento para operadores do Direito e para aqueles que sabem a importância do debate para uma Democracia saudável.

Independência e imparcialidade

www.marcosalencar.com.br (Advogado Sócio de Escritório)

Parabenizo o Conjur pela excelência editorial. Continuem firme e fortes, vocês contribuem para um Brasil melhor.

Parabéns conjur!!

José M. R. Salgueiro (Professor)

P A R A B É N S !!!
Nem mais nem menos, na exata medida.

Ficou pior

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

No máximo, havendo um erro grave na sentença abordado em eventual recurso pendente penso que a empresa teria o direito de exigir da CONJUR a publicação de uma nota a respeito da posição da Empresa na própria notícia, e nada mais. Decisões judiciais públicas, desde que não retiradas de seu devido contexto, são documentos públicos cuja divulgação eventual não gera nenhum direito de reclamação. Se a decisão está errada, incumbe a quem se sentiu prejudicado acionar judicialmente o próprio Estado, e não a imprensa. De qualquer forma, eu sequer sabia da existência desta Empresa, nem dos fatos, e agora sei graças aos colegas Fabrício Schewinski e Gilberto Dai Prá, que assinam a inicial da ação.

ps.: a Empresa diz que nada há que desabone a CONJUR devido a uma ficha da SERASA (fl. 01, último parágrafo da petição).

Conjur não perdoa!

Alexandre (Advogado Assalariado)

"Tá me processando por direito ao esquecimento? Beleza! Deixa eu fazer uma matéria sobre isso e ainda por cima requentar uma matéria de 2005 sobre sua empresa!"

Boa Conjur!

É pouco?

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Citou uma vez e está sob o risco (a não ser que tenha certeza do contrário) de pagar R$ 10.000,00.
Apesar disso, cita o descontente novamente?
Não se questiona o nome na sentença, porque trata-se da parte.
O problema é ter o nome citado no Conjur...

Comentar

Comentários encerrados em 13/05/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.