Consultor Jurídico

Dados alarmantes

O excesso de prisões processuais na "lava jato" demonstra crise da justiça

Retornar ao texto

Comentários de leitores

5 comentários

Intelectual foi bezerra da silva

Luciano Alves Nascimento (Advogado Autônomo - Administrativa)

https://www.youtube.com/watch?v=x9MUGEpBCSg

Sobre as dificuldades

Observador.. (Economista)

De ser brasileiro.

http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,juiz-manda-soltar-ex-fiscal-flagrado-recebendo-r-70-mil-,1709948

"sempre na mesma tecla"

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

"Suíça - Detido em um presídio na Suíça — não revelado por questões de segurança — o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, vai solicitar às autoridades locais o direito à prisão domiciliar durante o processo de extradição aos EUA, que pode levar de seis meses a um ano. Marin, 83 anos, está em uma cela individual, se alimenta apenas de arroz e carne, e tem direito a uma hora de banho de sol por dia". E daí "cumpanheiros"? Não vão escrever um artigo sobre o assunto? Não pensem que "cumpanheiros" vão ficar de fora do caso FIFA. Tem que ir preparando o terreno.

Mas hein?!

Vitor Sarubo (Advogado Assalariado)

Pelo que entendi, é basicamente isso:
90 mil presos provisórios - fizeram a pesquisa e ninguém disse nada.
90.001 presos provisórios, sendo o último mais um poderoso envolvido de alguma forma num dos maiores escândalos de corrupção do país (dos escândalos descobertos, claro) e, de repente, há abuso nas prisões preventivas?... Ahãm.... nada de estranho nisso, né?

Sempre assim...

Luciano Alves Nascimento (Advogado Autônomo - Administrativa)

Assim que algum milionário é preso no curso da operação lava jato surgem inúmeros defensores da excepcionalidade da prisão processual, mas nada disso aconteceu nas 229 mil prisões processuais decretadas antes (a maioria dos presos de antes são considerados irrelevantes para os grandes escritórios e seus pseudo intelectuais). Na verdade, esses defensores da impunidade multimilionária não se conformam com a prisão desses calhordas nem depois do trânsito em julgado, pois vivem da riqueza que esse dinheiro sujo traz (até dinheiro da merenda escolar e surrupiado nesta república das bananas). Aliás, até hoje não se conformam com a prisão da ex-dona do Banco Rural, Kátia Rabelo (criminosa condenada por decisão irrecorrível). Será que o Brasil nunca vai adquirir vergonha na cara e vai ser eternamente o país do cinismo?

Comentar

Comentários encerrados em 27/06/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.