Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Lista tríplice

Janot e três subprocuradores disputam comando do Ministério Público Federal

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, oficializou nesta segunda-feira (15/6) sua candidatura para ficar no cargo por mais dois anos. Completam a lista os subprocuradores Mario Bonsaglia e Raquel Dodge, que também se inscreveram nesta segunda, além de Carlos Frederico Santos, candidato há dez dias.

O prazo de inscrição termina às 18h e a candidatura deve ser apresentada à Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), que deve promover debates e levar uma lista tríplice à presidente Dilma Rousseff (PT). A indicação é livre da Presidência da República, mas os nomes sugeridos têm sido levados em conta desde 2003.

O mandato de Janot vai até setembro.

Janot chefia o Ministério Público Federal desde 2013, e seu mandato vai até setembro de 2015. Ele ingressou na instituição em 1984, tornou-se procurador regional da República em maio de 1993 e foi promovido a subprocurador-geral em outubro de 2003. Presidiu a ANPR (1995 a 1997), foi membro do Conselho Superior do MPF e secretário geral do MPF, de 2003 a 2005.

Bonsaglia chefia a câmara responsável pelo controle externo da polícia.
Divulgação/CNMP

Mario Bonsaglia coordena a 7ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF, responsável por analisar o controle externo da atividade policial.

Membro da instituição desde 1991, foi diretor da ANPR no biênio 1999-2001, procurador regional eleitoral em São Paulo (2004 a 2008) e conselheiro do Conselho Nacional do Ministério Público.

Carlos Frederico afirma seguir linha independente da atual gestão da PGR.
Reprodução

Carlos Frederico Santos também integra a 7ª Câmara do MPF e acaba de vencer eleição para o Conselho Superior do Ministério Público, declarando-se “independente da administração atual da PGR”.

É procurador da República desde 1991 e atuou anteriormente como assistente jurídico do Tribunal de Justiça do Amazonas e promotor de Justiça no mesmo estado. Também foi presidente da ANPR por dois mandatos, entre 1999 e 2003, e secretário-geral do MPF, de 2005 a 2010.

Raquel Dodge foi a última candidata a se inscrever nesta segunda-feira.
Gil Ferreira/ Agência CNJ

Raquel Dodge integra a 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF, que cuida de assuntos criminais, e já havia despontado na escolha anterior para a PGR. Foi responsável pela denúncia de 38 pessoas na operação caixa de pandora, que apontou a existência de um "mensalão do DEM" no Distrito Federal, no governo José Roberto Arruda.

Urnas abertas
A consulta na ANPR está marcada para 5 de agosto, em votação plurinominal, facultativa e secreta. O voto em trânsito será permitido nas unidades do MPF. Os candidatos devem ser membros do Ministério Público Federal em atividade e com mais de 35 anos de idade. Com informações da PGR, do CNMP e da Assessoria de Imprensa da ANPR. 

* Texto atualizado às 17h40 para acréscimo de informação.

Revista Consultor Jurídico, 15 de junho de 2015, 15h25

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 23/06/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.