Consultor Jurídico

Comentários de leitores

7 comentários

Se lucro é pecado, quero ir para o inferno!!!

De Paoli (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Bem, se é pecado ganhar dinheiro na advocacia, espero pecar muito e ir para o inferno. Me queimem na fogueira!!!

Pode não ser justa, mas tecnicamente correta

Monicado (Advogado Assalariado)

Caros colegas, recomendo a leitura do voto. A decisao salienta que as sociedades de advogados visam lucro, mas esclarece que isso não a define como empresária e tb admite a possibilidade de sociedades civis transformarem-se em empresárias, se assim se organizarem. Contudo, ressalva o caso das sociedades de advogados para as quais existe vedação legal.

É duro!

amigo de Voltaire (Advogado Autônomo - Civil)

Difícil ler o julgado e continuar atuando na área. Na terra do faz de conta , onde lucro é pecado e advocacia nao é atividade empresarial .

RobertoTC

Nadir Mazloum (Advogado Associado a Escritório)

"Parece existir um mantra que estabelece que o lucro é algo tenebroso e que jamais pode contaminar a nobre atividade jurídica." Suas palavras foram precisas. É exatamente esse o problema desse país. Aliás, Friedrich Hayek disse algo parecido no seu livro O Caminho da Servidão:"A geração de hoje cresceu num mundo em que, na escola e na imprensa, o espírito da livre iniciativa é apresentado como indigno e o lucro como imoral, onde se considera uma exploração dar emprego a cem pessoas, ao passo que chefiar o mesmo número de funcionários públicos é uma ocupação honrosa."

Lamentável

RobertoTC (Advogado Autônomo)

Infelizmente paramos no século XIX.
Qualquer pessoa percebe que sociedades de advogados possuem objetivos de lucro. Parece existir um mantra que estabelece que o lucro é algo tenebroso e que jamais pode contaminar a nobre atividade jurídica.
Resultado: argumentações lamentáveis como essa que tentam no final das contas, através de analogias bizarras, dizer que lucro não é lucro.

E tem mais

deffarias (Assessor Técnico)

Não é o objeto que define uma sociedade simples ou empresária: é a forma como se organiza. Seria interessante se estudassem a teoria da empresa. O próprio Código Civil ressalva a circunstância em que uma sociedade que explore atividade intelectual pode ser considerada empresária, se fizer dela elemento de empresa. O caso das sociedades de advogados é uma verdadeira ficção. A lei veda esse tipo de organização (a meu ver, equivocadamente, mas está na lei). Porém, o que mais se vê são escritórios organizados como empresas. Quanto maior o escritório, maior a estruturação empresarial, com faturamento na casa dos muitos milhões.

Que coisa...

deffarias (Assessor Técnico)

[...]conferir a escritório de advocacia ou a sociedade de advogados o caráter de estabelecimento lucrativo é absurdo, pois depende da admissão de que eles são estabelecimentos com o objetivo de lucro[...]
Misturaram alhos com bugalhos. A sociedade simples também busca o lucro. Não é isso que define a sociedade empresária. A que ponto chegamos. Os julgadores parecem não estudar mais.

Comentar

Comentários encerrados em 23/06/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.