Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Acompanhamento de sessões

Conselho Federal OAB delega representantes no CNJ e no CNMP

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil definiu nesta segunda-feira (15/6) quem serão os responsáveis por representar a Ordem nas sessões do Conselho Nacional de Justiça e no Conselho Nacional do Ministério Público. O advogado André Godinho acompanhará as sessões do CNJ e o criminalista Pedro Paulo Guerra de Medeiras ficará no CNMP.

Pelos regimentos dos dois conselhos, o Conselho Federal OAB tem direito a cadeiras nas bancadas. Essas cadeiras devem ser ocupadas pelo presidente da Ordem ou por algum diretor, por delegação. Nesta segunda foram definidas duas delegações.

Esses advogados têm direito de participar de todas as sessões de julgamento, mas não têm direito a voto. Eles são consultados toda vez que a discussão envolve a advocacia, ou pedem a palavra ao presidente da sessão.

André Godinho, conselheiro federal pela Bahia, é presidente da Comissão Nacional de Sociedades de Advogados da OAB. Pedro Paulo de Medeiros é conselheiro federal por Goiás.

Revista Consultor Jurídico, 15 de junho de 2015, 19h12

Comentários de leitores

3 comentários

Atuação da oab

Sandra Ojeda (Advogado Associado a Escritório - Tributária)

Importante a designação dos nobres Advogados para levar a voz da nossa classe junto ao CNJ e ao CNMP! Conheço colegas que representaram junto ao CNJ e obtiveram o retorno desejado - até para aqueles casos de extrema demora para a assinatura de uma guia de levantamento. "A voz advogado representante trará a presença da nossa classe!"

Utilidade

Antonio Carlos Kersting Roque (Professor Universitário - Administrativa)

Sem nenhuma utilidade o preenchimento dessas vagas no CNJ e no CNMP.
Nada acontece lá, e quando acontece é irrelevante para advocacia, pois, sequer são consultados os destinatários das prerrogativas.
CNJ+CNMP 10
OAB 0

Farão apenas política em favor deles mesmos

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Irrelevante para a advocacia brasileira. Ninguém da OAB nos últimos anos teve a mais longínqua preocupação em defender o interesse da classe ou os advogados nos referidos Órgãos.

Comentários encerrados em 23/06/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.