Consultor Jurídico

Comentários de leitores

10 comentários

Tiro no pé

Engenheiro aposentado (Engenheiro)

Eis aí promulgada mais uma simpática lei demagogica, daquelas tantas que, em essência, só servem para prejudicar os negócios e em consequência, a oferta de empregos, a renda, o progresso da população. De lei em lei populista como esta, vai a nação paulatinamente afundando no pântano que gerações de espertos representantes políticos demagogos nos meteram a todos, exceto a sua própria casta. E o povo, ignorante, segue aplaudindo.

Realidade

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Então venha até aqui em São José do Rio Preto, sr. gsantos (Serventuário), onde encontrará um amplo universo de pessoas que antes exerciam funções domésticas diversas e hoje estão desempregadas e sem perspectiva alguma em conseguir emprego. Dê uma andada pela zona norte e comprove.

Mundo real

Observador.. (Economista)

Para lembrar o mundo real e o Brasil de agora:
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/06/1637291-desemprego-acelera-e-sobe-para-8-no-trimestre-encerrado-em-abril-diz-ibge.shtml

Vitória de Pirro

Observador.. (Economista)

Do jeito que foi proposto, o desemprego irá aumentar absurdamente.
Basta observar o comentário da Senhora Patrícia R.
Quando há aumento de salários, as empresas repassam para o consumidor e o mercado vai absorvendo os aumentos de custos, na produção, mesmo em época de crise.Apesar disto, as empresas mais frágeis desaparecem.Desemprego.
Uma família não é uma empresa. Da forma que o projeto foi feito - as domésticas devem ter direitos, sim - sem pensar nas adequações que devem ser feitas e sem pensar o momento econômico que atravessa o país, é mais desemprego no horizonte.
Pessoas sem emprego deixam de ter dignidade.Ficam dependentes de "favores" do Estado, através de bolsas, seguros-desemprego e outras falsas benesses.
Uma pena. Lamento profundamente viver em um país onde não há uma visão ampla, de problema algum.
O país das soluções mágicas, que se transformam em tragédias sociais logo na frente.
Temos uma miríade de exemplos assim em nossas leis.
Mas é isto.Quem a fez pensa apenas em ganhar uma simpatia fugaz.Vivem cercados de taifeiros, garçons e serviçais pagos pelo contribuinte.
É como a lei do desarmamento.Quem a fez, não abre mão de seguranças e o Judiciário, que a ampara, não abre mão do porte para seus servidores mais "chics".Sempre com alguma desculpa para explicar o inexplicável das castas e das diferenças criadas entre os cidadãos de um mesmo país.O Exemplo (com E maiúsculo mesmo), NUNCA vem de cima em Bruzundanga.
Um país tosco e raso.

Notícia boa

Patricia R. (Servidor da Secretaria de Segurança Pública)

Recentemente me mudei para Vinhedo, sai de um apto em SP, para uma casa. Bem, aqui não há empregada doméstica, no máximo faxineira, devido ao grande número de casas em condomínios (procura x oferta). Trabalho fora, tenho 2 filhas e fiquei desesperada, hoje conto apenas com uma faxineira, 1 vez por semana, e DÁ PRA DAR CONTA DO RECADO SIM. Tudo é questão de costume e organização. Em outros países não há empregadas domésticas e todo mundo vive. Eu não tenho condições de bancar salário, transporte e todos os demais encargos trabalhistas inerentes à função de empregado doméstico (embora elas mereçam), então, como vovó dizia: QUANDO A ÁGUA BATE NO BUMBUM A GENTE APRENDE A NADAR. Tô indo de braçada, sem gastos adicionais e economizando muito!

Ainda que tardia

JB (Outros)

Parabéns a todos que se empenharam na luta para que se restabelecesse a justiça nessa lei dando o direito aos empregados domésticos se equiparando aos demais trabalhadores e viva mais uma vez o PT e a Presidenta Dilma, terão que engolir mais esta e chorar na cama que é lugar quente.

Uma grande fraude......

Ademilson Pereira Diniz (Advogado Autônomo - Civil)

Nada contra à extensão dos ditos 'direitos trabalhistas' aos empregados domésticos. Isto é uma coisa, considerá-los, todavia, com empregado como outro qualquer, é outra coisa que a imaginação tupiniquim, mesmo as ilustradas, não alcançam: uma coisa é o trabalho que busca resultado econômico, outra coisa é o trabalho desenvolvido sem essa finalidade, realizado dentro do lar de uma das partes e cercado de intimidades domésticas. Bem, o fato é que agora o empregador doméstico terá de contratar, também, um escritório de contadoria para saldar suas obrigações fiscais...Isto tudo só demonstra a farsa: todo o empenho do Governo foi no sentido de aumentar a ARRECADAÇÃO de impostos e 'similares' (FGTS)...essa balela de 'valorização' do trabalhador doméstico é pura demagogia, como o são todas as demais iniciativas, pois o que garante dignidade e respeito ao trabalhador é uma ECONOMIA pujante, bem administrada e que, por isso mesmo, gera empregos em abundância, fazendo aumentar, naturalmente, a sua oferta e com isso maiores salários...o resto é bobagem.

Ainda que tardia

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Justiça ainda que tardia!

Não cola

George Rumiatto Santos (Procurador Federal)

Esse papo de demissão em massa não cola.
-
Vi muito "patrão" resmungando, mas não vi um sequer que tenha demitido ou pretenda demitir sua empregada doméstica.
-
Não quer pagar os direitos da pessoa que lhe presta serviços diariamente, faça você mesmo!
-
Chega de empregados de segunda categoria.

Crescimento econômico nos delírios petistas

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Deve causar a demissão de 2 ou 3 milhões de trabalhadores, que por sua vez restarão "pendurados" na burca do Erário recebendo benefícios sociais, voto garantido para o autointitulado "Partido dos Trabalhadores" na próxima eleição. Isso que é "crescimento econômico".

Comentar

Comentários encerrados em 10/06/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.