Consultor Jurídico

Comentários de leitores

11 comentários

Refém de corporação?

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Cada uma que se lê.
O país, a nossa sociedade é refém dela mesma, de suas escolhas. A nossa política "representativa" está aí para nos defender, mas... Fiquemos quietos e finjamos ser vítimas da nossa omissão, da nossa falta de engajamento.
A propósito de "discursos" moralizadores: estava eu lendo um canal de reclamações de consumidores e eis que me deparo com a queixa de uma "consumidora" reclamando que pagou e não recebeu um certo equipamento. Aí ela ainda soltou as suas impressões sobre o fornecedor, tais como "desonestidade" e similares.
Detalhe: ela havia feito a compra de uma equipamento para tornar possível a fruição de um serviço SEM O DEVIDO PAGAMENTO DA TARIFA MENSAL...
Comprou um equipamento para deixar de pagar por um serviço.
Invoca a lei para que seja respeitado o seu direito de burlar a... LEI.
Mas vá lá... À medida em que não seja possível prever certas forma de remuneração futura (condicionada ao êxito), como em toda atividade profissional, o custo vai para o consumidor. Sem honorários de sucumbência, o serviço iria ficar mais caro, com certeza.

Ridículo

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Eventualmente surgem por aqui algumas informações a respeito da advocacia nos EUA, na Alemanhã, na Inglaterra. Por lá eles jamais teriam condições de formar em poucos anos milhões de advogados, pois não teriam recurso nem pessoal para isso dada a extrema dificuldades para que alguém receba de fato uma "carteirinha". E essa dificuldade na formação, rigorosa mesmo para países que dominam quase toda a tecnologia a conhecimento da Humanidade na fase atual, resulta da complexidade do processo nesses países. Assim, absolutamente ridículas essas alegações de que o processo no Brasil é "muito complicado" e que os advogados vivem para si próprios.

Que chamadinha

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Sensacionalista....
Sexta-feira é assim mesmo... Audiência vai caindo...

analucia (Bacharel - Família)/Asario (Outros)

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A analucia (Bacharel - Família"???") com certeza ainda não conseguiu ser aprovada no Exame da Ordem. Já quanto ao Asario (Outros), se acha que o negócio é tão bom, faz o curso de Direito e entre para corporação.

Sorte dos advogado$...

Mestre-adm (Outros)

azar daquele que precisa da justiça, que vai ficar cada vez mais cara e inacessível. O novo CPC transforma o processo em um fim em si mesmo, para deleite dos advogados. O país fica refém de uma corporação.

Complicado

Gabriel da Silva Merlin (Advogado Autônomo)

Sinceramente, em um contexto geral não consegui ver como positivo esse novo CPC, e ressaltar essa questão de "mais honorários" vejo como amesquinhar a discussão em torno do tema. Afinal o que é mais importante, uma legislação processual boa e coerente, ou mais honorários para os advogados?

No mais, ao meu ver, as mudanças positivas do novo CPC poderiam ser feitas tranquilamente atualizando o CPC "antigo", mas no Brasil parece que se tem o fetiche em criar coisas novas toda hora ao invés de ir aperfeiçoando o que já existe, como se criar um novo CPC fosse resolver magicamente os problemas do judiciário.

Em busca do $$$

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Eu também gostaria que as considerações lançadas na reportagem fossem verdadeiras, mas não o são. O Advogado consultado, em verdade, faz parte de um setor de exploração econômica que é o principal interessado no NCPC: os "vendedores de atualização", ou seja, aqueles que se propõe a ensinar os profissionais as "mudanças" representadas pelo novo Código. O desavisado que lê esta reportagem já irá correndo se inscrever em um "curso de atualização".

Superior Tribunal Federal

Edmundo Correia - Servidor do Judiciário (Outro)

Esse tal de Superior Tribunal Federal de tanto ser citado ninguém contesta mais. A gente nunca viu, mas temos certeza que existe, pois todo mundo fala.

Um CPC para o corporativismo da OAB.....

analucia (Bacharel - Família)

Um CPC para o corporativismo da OAB..... e não para as partes ou para a sociedade.

Será o CPC do caos e nesta guerra teremos que contratar mais advogados, pois será a guerra de todos contra todos, e mais lucro para a advocacia...

Honorários na reconvenção. Novidade??

Kelsen da Silva (Outros)

Corrijam-me se eu estiver enganado, mas diante do art. 34 do vigente CPC, desde quando o arbitramento de honorários em reconvenção será novidade?

Muita ironia!

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Não existe ganho fácil na advocacia séria e idônea. Tal afirmação está mais para sarcasmo do que para ironia; isso é gozação barata. Ora, o poder judiciário ainda não captou o verdadeiro valor da advocacia devido aos seus juízes e serventuários mal formados. Todavia, há de se ressaltar os inúmeros pontos de evolução do novo CPC, principalmente naquilo que imita a justiça do trabalho e os JECs.

Comentar

Comentários encerrados em 31/01/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.