Consultor Jurídico

Notícias

Sindicância aberta

TRF-2 vai investigar juiz flagrado dirigindo Porsche de Eike Batista

Comentários de leitores

5 comentários

magistrados e Magistrados

wgealh (Advogado Autônomo - Ambiental)

Ao que tudo indica este ... foi usado em seu "amadorismo" útil, para oferecer PROVA CABAL E IRREFUTÁVEL à defesa quando do requerimento de NULIDADE DE TODO O PROCESSO POR PARCIALIDADE DO JUIZ que montou a farsa do processo, como "uma prova podre contamina todo o processo", tudo estará resolvido em beneficio do Eyke, em mais uma "brilhante jogada" nos podres poderes republicanos.
COITADOS DE NÓS QUE PAGAMOS IMPOSTOS E TRABALHAMOS 'HONESTAMENTE'

Engov

Observador.. (Economista)

Conhecendo o Brasil e após proteger o estômago , acho que nossa realidade foi sucintamente descrita no comentário do Professor Gabbardo.

É muito amadorismo

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Realmente a Magistratura precisa ser repensada. São cerca de 18 mil Juízes em todo o Brasil e volta e meia essa classe de agentes políticos figura nas manchetes. Somos (900 mil) advogados e, por incrível que pareça, guardada a proporcionalidade numérica, longe estamos de "competir" com o amadorismo de suas excelências. O que teria passado na cabeça desse magistrado (descartada, por evidente, a esfarrapada desculpa apresentada) ao eleger um "veículo apreendido" (Porsche Kayene) retirado do acervo constrito para desfilar pelas ruas do Rio e estacioná-lo na garagem do seu prédio ? Vontade incontida de dirigir um bólido que chama a atenção e pode ser identificado até mesmo por um cego, no escuro ? Exibicionismo ? Autoritarismo ? Não, nada disso: AMADORISMO, a indicar a falta de "maturidade"; de "vocação" e de "comprometimento" de alguns juízes, infelizmente no desempenho de tão relevante mister social. E pensar que grande parte deles passou realmente num concurso público.
Que palhaçada !

Um magistrado que atua desta forma deve ser afastado!

Citoyen (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

A magistratura já anda desgastada no país. São inúmeros seus benefícios, sem que tenham plausível justificativa; são inúmeras suas omissões nos processos, hoje conduzidos por assessores, quando não "acessores"; são inúmeros os abusos, tais como esse cometido pelo mm. Juiz federal. É preciso que o judiciário deixe de atuar corporativamente, para entender que um magistrado que não tem consciência do ato que está praticando, ou praticou, não pode mais estar prestrando jurisdição. Num processo como este, contra o sr. Eike baptista, que se disse falastronamente um dos homens mais ricos e, quiçá, sagazes do brasil - especialmente quando esteve figurando nas fotos ao lado da pres. Dilma e, eventualmente, de lulla ! - não poderia ter o judiciário, por um seu representante, integrante, cometido tamanha barbaridade., especialmente, porque o réu já tinha tentado demonstrar que ele atuava açodadamente e que já se manifestara contra o próprio réu, tendendo a julgá-lo culpado, antes que o devido processo legal fosse concluído. É mister que tal leviandade, portanto, seja sancionada. Que seja este magistrado expulso da magistratura. Que não se tenha dele dó, sob o enfoque de que a família ficará sem o sustento que a magistratura lhe dava. Ele que vá atuar como advogado, já que a oab não conseguirá impedir que ele atue como advogado, como já ocorreu com outros, que também agiram sem padrão moral, quando na magistratura, mas que o judiciário não impediu que se inscrevessem. Mas é mister que este fato não fique impune. O judiciário brasileiro está precisando demonstrar que não tem qualquer relação com o que esta se passando no executivo e no legislativo.

Resultado...

Gabbardo (Professor)

...essa investigação vai durar anos. O processo contra o Eike vai continuar. Quando acabar a investigação do TRF-2, anula-se o processo do Eike. E daí vão culpar os políticos.

Comentar

Comentários encerrados em 4/03/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.