Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Liberdade de expressão

Decreto que proíbe baile funk é inconstitucional, diz TJ-ES

Um decreto que proíbe a organização de bailes funk, baixado pelo município de Serra, no Espírito Santo, foi declarado inconstitucional pelo Pleno do Tribunal de Justiça do estado. Para a corte, a norma fere a liberdade de expressão. A decisão foi unânime e proferida no julgamento da Arguição de Inconstitucionalidade 0034222-65.2011.8.08.0048.

Segundo o relator do processo, desembargador Adalto Dias Tristão, o Decreto Municipal 1.458/2001 restringiu o direito fundamental da liberdade de expressão por meio de uma via inidônea. “Não há uma lei precedente que dê supedâneo à criação desta obrigação negativa, em clara afronta ao processo legislativo e ao princípio da tripartição dos Poderes” afirmou.

Ainda segundo o relator, “o prefeito teria exorbitado do seu poder regulamentar, criando obrigação que só poderia existir se fosse criada por lei, cujo processo de elaboração contasse com a participação da câmara municipal, respeitando o processo legislativo previsto na Lei Orgânica Municipal e que observasse as Constituições Estadual e Federal”. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-ES.

Revista Consultor Jurídico, 18 de fevereiro de 2015, 15h07

Comentários de leitores

2 comentários

Decreto contra baile funk

ACUSO (Advogado Autônomo - Dano Moral)

Se o decreto proibisse a execução da boa música erudita, certamente seria considerado constitucional. Baile funk não é manifestação cultural e sim baderna , pura anarquia !

Nem decreto, nem emenda constitucional

Roderictus (Advogado Autônomo)

Nem uma emenda constitucional pode proibir o baile funk.

Comentários encerrados em 26/02/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.