Consultor Jurídico

Perda do objeto

Supremo extingue ação contra medida provisória do planejamento fiscal

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, extinguiu a ação direta de inconstitucionalidade ajuizada pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) contra os dispositivos da Medida Provisória 685/2015 que obrigavam os contribuintes a informar à Receita Federal sobre seus planejamentos fiscais. Como os trechos foram excluídos da conversão da MP em lei pelo Congresso, a ação perdeu o objeto.

Publicada no dia 21 de julho deste ano, a MP obrigava o contribuinte informar à Receita Federal suas operações realizadas a título de planejamento tributário. O partido alegou, na ação, ausência de pressuposto de urgência de MP; afronta à restrição material quanto à edição da medida sobre direito penal/processual penal; violação dos direitos fundamentais à segurança jurídica, à livre iniciativa, à presunção de inocência, à ampla defesa, ao contraditório e ao devido processo legal; e a ofensa aos princípios da estrita legalidade em matéria tributária e da vedação ao confisco

No dia 8 de dezembro, a MP 685/2015 foi convertida na Lei 13.202/2015, mas não reproduziu contestados pelo PSB. De acordo com Fux, o entendimento do STF, nesses casos, é de que modificações significativas introduzidas no procedimento de conversão legislativa de medida provisória em lei configuram hipótese de prejudicialidade de ADI e consequente extinção do processo, sem resolução do mérito. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

ADI 5.366




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 26 de dezembro de 2015, 8h28

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 03/01/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.