Consultor Jurídico

Liminar do STF

OAB-RJ repudia ação do TJ no Supremo para garantir pagamento de salários

Retornar ao texto

Comentários de leitores

6 comentários

A OAB-RJ demonstrou que Judiciário não é prioridade

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

A critica é plenamente válida e oportuna. Não fica bem para o Judiciário-RJ, verdadeiro elefante branco, buscar no próprio Judiciário a mantença de suas regalias e privilégios.
Andou mal o STF ao conceder a liminar para pagamento prioritário desses servidores públicos em detrimento da saúde e segurança pública, ou melhor da população carioca.
Tem certas decisões que se sabe que não serão respeitadas ou cumpridas, dada a insensatez, dosada de certa hipocrisia jurídica. Será que o ministro ainda pensa que o dinheiro do Judiciário cai do céu? ou tem receio que tal crise também contamine na mesma proporção o Judiciário na esfera federal?
Tenham certeza que uma eventual extinção do Poder Judiciário no atual quadro que vive o país, poucos ou nenhum cidadão sentiria alguma falta, o que deixa claro e evidenciado o que é de fato prioritário neste país.
É preciso repensar o Judiciário como Poder (do ócio), dotado de orçamento monumental de privilégios.

Vejam absurdo do STF com TJRJ

mauroviz (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

ARE Nº884.753-RJ., esta sendo denunciado a Corte Interamericana bem como a lista de Magistrados do TJRJ com JG deferido em seus processos in limine

No final do ano desespero nos balcões querendo expedição...

Ramiro. (Advogado Autônomo - Criminal)

Vejamos o seguinte quadro. A OAB-RJ toma esta posição. Neste final do ano parece ter sido, por conta da crise, mais intenso e mais selvagem o movimento nos balcões de serventias de milhares de advogados lutando, alguns se alterando, para conseguir que mandados de pagamento fossem expedidos antes do início do recesso...
Os serventuários tomando ciência dessa posição da OAB teriam motivos para adiante, a partir desta nota, se esforçarem para liberar o máximo de mandados de pagamento antes do próximo recesso se iniciar?
Podem alegar que houve uma explosão da demanda de trabalho, aumento substancial do número de ações, falta de funcionários, aposentadorias que devido a crise econômica não puderam ser substituídos os servidores por vedação aos concursos, e que por conta os advogados deveriam considerar os limites da realidade, e aceitar que não é possível conceder privilégios de emitir mandados de pagamento com a celeridade pleiteada diante do quadro de crise, logo, como não pode se admitir privilégios, todos os advogados deveriam compreender a crise, as limitações físicas, o limite da capacidade física de trabalho dos poucos serventuários, e aceitarem com tranquilidade que os mandados de pagamento pendentes só irão sair no ano seguinte, após o recesso... Usando dos mesmos argumentos defendidos pela OAB na dita nota...
Ok, a OAB pode defender que os funcionários do Judiciário são verdadeiros marajás que ganham muitas vezes mais que a média da remuneração dos advogados, que é paga por escritórios cujos sócios são também advogados que lucram pagando pouco a outros advogados. Podem defender a privatização dos cartórios com salários aos funcionários no patamar das prestadoras de serviço, imaginemos então padrão operadoras de telefonia no atendimento de balcão

Vai sobrar para os advogados nos balcões

Ramiro. (Advogado Autônomo - Criminal)

Essa nova da OAB vai é sobrar para os advogados nos balcões das serventias, visto que pode ser interpretada como uma posição da advocacia contra o TJRJ...
Já nem mais segredo de polichinelo é, vem a ser algo explícito a posição político partidária petista da OAB-RJ... e como o governador Pezão é aliado do governo central do PT...
No mais quem leu a decisão do STF pôde ver que foi técnica e fundada na Constituição Federal.
Agora quando prerrogativas dos advogados são violadas, não se diga dos "amigos do rei", dos entrosados na direção da OAB, mas sim dos advogados que atuam, quando estes tem suas perrogativas violadas a OAB-RJ costuma virar as costas, mas quando algum magistrado se sente ofendido por manifestações de advogados e sabem que não vai dar causa para processo por dano moral e/ou criminal, enviam ofícios a OAB-RJ que imediatamente se tornam processos éticos contra advogados...
A grande escatologia coprológica, redundância dá dimensão abaixo da realidade, é que em termos de eleições de OAB-RJ a falta de opções no último pleito foi gritante.
São idos os tempos, ficaram no passado, em que os candidatos à presidência da OAB eram grandes juristas de amplo respeito entre a classe e não figuras ligadas à política...
A propósito é melhor o Pezão colocar o galho dentro, que se o Governador resolver brigar, como está rosnando que vai brigar com o TJRJ, vai se arrepender de meter o pezão na porta errada, na hora errada, da maneira errada, basta o TJRJ começar a trabalhar com mais afinco, não precisa mais nada...

Privilégio?

Lúcida (Servidor)

Receber na data correta virou privilégio? Por que a OAB não se revolta com o desgoverno do Estado do Rio de Janeiro?

sem senso de justiça

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A OAB sempre prejudicando a classe. A OAB-RJ deveia repudiar a má administração do Executivo que causou o caos no Estado do Rio de Janeiro. Governador, Deputados Estaduais, Prefeitos e Vereadores estão submetidos a sacrifícios por causa crise financeira do Estado? Com certeza não. Aliás, muito pelo contrário. Para o Executivo não há crise financeira. A OAB abre a boca para falar besteira e os advogados é que arcam com as consequências.

Comentar

Comentários encerrados em 31/12/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.