Consultor Jurídico

Intuito de ridicularizar

Advogado de SC pagará multa por desacatar servidores da Justiça Federal

Retornar ao texto

Comentários de leitores

16 comentários

Os advogados vem sendo humilhados antes de entrar no fórum

João Netto (Advogado Autônomo - Criminal)

Tudo isso ocorreu por uma falta de sensibilidade e respeito do Poder Judiciário para com o advogado, pois penso que os Magistrados, Procuradores da República, servidores, etc., certamente não passam pelo detector de metal, mas querem que o advogado passe, ou seja, já se presume que estamos tentando fazer algo errado antes mesmo de ingressar nos prédios públicos. Cada dia arrumam mais uma coisa para dificultar o advogado de exercer seu trabalho. O tratamento igualitário entre Magistrados, Promotores de Justiça, Procuradores da República e advogados existe apenas no plano formal, estes vem sendo tratados de forma totalmente desigual, isto é, está meramente escrito na legislação o tratamento igualitário, mas sem efeito prático. Pelo que percebi, o advogado agiu de tal forma por se sentir humilhado, mas isso não o autorizava a agir sem respeito a legislação, principalmente a penal, embora a princípio eu não concordo que tudo o que foi dito acima configura ilícito penal. Por fim, como sempre venho dizendo, nossa OAB deixa de interferir em casos assim, para tentar evitar a humilhação de seus membros, como entrar com pedido de providências quanto a portaria que determina que o advogado seja submetido ao detector de metal e até mesmo tenha seus pertences revistados, para preocupar com outras coisas de menos importância para a classe.

***

Olympio B. dos S. Neto (Advogado Autônomo)

Um erro não justifica o outro.
Entretanto o detector de metais nessa situação interrompeu a passagem do Advogado por mais de uma vez.
Não sei o porque dá instalação desses detectores ultra irritantes em alguns fóruns pois ao meu ver eles não servem para segurança de ninguém.
Pois que eu saiba eles vão ter que sair do fórum.
E, a menos que saiam de helicóptero ou disco voador, eles acabaram tendo sua segurança em risco igual a dos demais cidadãos do mesmo jeito, sendo essa insegurança independente de sua função.

Isonomia

ABSipos (Advogado Autônomo)

Sem buscar defender os excessos do Colega da notícia, vejo que o detector de metais é humilhante ao advogado, pois ao mesmo tempo em que precisamos passar por esse procedimento, serventuários não. Ou, quando muito, passam e mesmo que a máquina apite, lhes é garantido livre acesso.

No mais, acredito que o colega Marcos Alves Pintar disse tudo que era necessário e importante referente ao assunto.

Mais respeito ao particular é preciso

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O Sr. ri, Ribas do Rio Pardo (Delegado de Polícia Estadual), porque no final do mês há um gordo contracheque em seu favor, pago por nós. Nas duas situações que descreve, e em tantas outras, são provas da ineficiência do serviço público no Brasil. Ninguém está aqui defendendo excessos. No entanto, resta certo que paciência tem limite, e não raro o advogado ou o cidadão não consegue suportar tamanho desprezo. Não sou eu quem está dizendo. O Brasil está atualmente mergulhado na maior crise de sua história, uma crise econômica, política, moral, e tudo o mais. E o motivo de tudo isso são os agentes públicos, corruptos, incompetentes, negligentes. Sei que não se pode generalizar, e que há gente no serviço público que trabalha. Mas é preciso entender que o serviço público de forma geral no Brasil é MUITO RUIM, e CUSTA DEMAIS. Vá na Alemanha, na França, no Japão ou nos EUA, e veja se por lá há esses salários astronômicos no setor público. Nesse países, só vai para o serviço público aqueles que o setor privado rejeita. Os salários em média são muito inferiores. Mas, apesar do que se paga por aqui, o serviço é terrivelmente ruim, o que nos levou a essa crise. Empresário não consegue mais trabalhar devido às exigência dos agentes públicos, que mais das vezes só serve para ele mesmo agente público. Pessoas físicas veem a renda escorrer pelo ralo, sem receber nada em troca. Tudo o que se produz de riqueza vai para o funcionalismo público. Essa a realidade. Não se defende excessos. Mas algo precisa ser feito em face à ineficiência, o descaso e a irresponsabilidade do agente público no Brasil, com urgência.

Bom senso

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

Se critica muito o servidor público, mas a natureza de servidor não autoriza o não servidor a nos ofender. Aponto dois casos: um advogado veio retirar um veículo apreendido com ordem judicial fora do horário de expediente, o cartório estava trancado e o servidor responsável por ele em casa. Orientado a comparecer no horário de expediente no dia seguinte passou a tecer ameaças vocês vão se ver com o juiz, virou para seu cliente e disse é falta de vontade, funcionário púbico é tudo preguiçoso, na saída falou bando de vagabundo e partiu cantando pneus. Outro caso: o advogado chegou em meio a revista nas celas também executada por ordem judicial, queria falar com o preso naquele momento, pois tinha outros afazeres e não podia esperar. Ao saber da impossibilidade passou a dizer que o advogado é essencial à justiça e coronelzinho, delegadozinho tinha que fazer o que ele manda e acabou. Duas situações em que simplesmente dei risaa virei as costas e fui embora, porque senão vou ter que comparecer todo dia no fórum para audiência e não vou trabalhar

Segurança nunca é demais.

Fausto Kayser Almeida (Advogado Autônomo)

Fernando José Gonçalves disse tudo! Normas de segurança existem para a segurança, inclusive, dos advogados que estão circulando nas dependências de órgãos públicos. Será que um advogado não consegue entender que os vigilantes estão fazendo seu trabalho para promover a segurança de todos os que circulam nas dependências do prédio que guarnecem? Sem dúvida o excesso da ação do nobre colega foi devidamente penalizado pelo TRF.

Multa?

syd (Consultor)

E ainda lembrando uma última viagem que fiz. Como disse, eu e toda minha família tivemos que tirar objetos dos bolsos e colocar num vasilhame. Laptop é vistoriado. Mochilas e bagagens de mão todas pelo raio X. Todos passamos por raio X também. Em ainda usaram aquele detector de metal. Pediram para tirar o cinto. Já tínhamos tirado os sapatos. Passei por revista pessoal pois estava de jeans e os rebites estavam sendo detectados. Depois disso tudo ainda quiseram verificar uma maleta na qual trazia equipamento fotográfico. Fui levado a uma sala para um espectrômetro analisar se haviam explosivos. Essa operacao demorou uma meia hora. Não vi problema nenhum. Me sinto aliviado por estarem cuidando da segurança de todos. Lá ninguém reclamava. Ninguém se exaltava. Ninguém ofendia. Muito pelo contrário. Sabe porque? Pelo motivo que naquele país, qualquer atitude desrespeitosa, qualquer reação mais exacerbada você vai preso. Sai algemado, e, condenado, cumpre a pena lá e depois é expulso do país. Se o colega fizesse lá onde eu estava 5% do que fez aqui, estava bem mais complicada a sua situação. Não ia pagar só multa, mas ia sempre pensar duas vezes antes de destratar agentes públicos.

urbanidade

syd (Consultor)

Não vejo problema em passar por detector de metais. Em qualquer lugar. Os servidores estão cumprindo seu trabalho. Que viajou para o exterior sabe que tem até que passar por raio X, detector de metal suplementar, tirar o cinto e, às vezes, até revista corporal. Não vejo incômodo. É medida para salvaguardar todos. Agora quanto ao período de inspeção, o colega realmente deve estar em início de carreira. Prazos suspensos, etc, etc. Pra mim tem pessoas que necessitam um pouco mais de humildade a lidar com servidores, principalmente os seguranças que são terceirizados. Sou sempre bem tratado em todos os fóruns que vou. Gentileza reproduz gentileza. Arrogância gera arrogância.

Pau que dá em chico...

Flávio Marques (Advogado Autônomo)

...Nunca dá em Francisco! Nenhum magistrado, servidor se identificam na hora de passar pelos detectores. Duvido que juiz se deixe revista como narrado em face desse valente colega de profissão. E está certo mesmo? muitos juízes e servidores se veem como majestades... mais do que isso: SUPREMO LÍDERES (plagiando o filme "O Ditador", com o ator Sacha Baron). E outra, a vara estava passando por inspeção e por consequência o bravo colega não poderia ter acesso aos autos... então problema do advogado, se quiser arrume tempo para voltar outro dia, gaste mais dinheiro com deslocamento, enfim, problema é seu advogado! Não poderia, por bom senso, pegar os autos por alguns minutos e mostrá-lo? Será que assertiva que usou para qualificar o fato está mesmo errada? E por fim, a pífia OAB fez o quê? Nada como sempre!!! Bando de pelegos os da OAB!

cabe recurso

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A matéria já vem sendo debatida há tempos (por ex., http://www.conjur.com.br/2015-mar-27/defensoria-sao-paulo-oea-fim-crime-desacato, http://s.conjur.com.br/dl/punir-desacato-fere-convencao-americana.pdf, http://www.conjur.com.br/2014-jul-05/eduardo-martins-crime-desacato-considerado-atipico). Cabe ao STF por um ponto final na questão.
O PL do novo Código Penal não mais prevê o crime, mas, ardilosamente, o mantém disfarçado como injúria e aumento da pena até o dobro.
É o Brasil!

Culto à autoridade e falta de dignidade pessoal

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A bem da verdade, todo homem ou advogado que possui um mínimo de dignidade pessoal (o que infelizmente não é o caso de boa parte dos brasileiros e de parcela considerável da advocacia) já está com a paciência acabada desde há muito com os incompetentes e improdutivos agentes públicos brasileiros, cada vez mais arrogantes e prepotentes. A ilegalidade, o desvio, o uso da função pública para subjugar, tornaram-se regra no Brasil. Eu mesmo há alguns anos ingressei com um procedimento no CNJ em face ao regime de apartheid aqui em São José do Rio Preto no uso de detectores de metais. Anos de luta, para no final alguém dizer "olha, isto está errado", sem absolutamente nenhuma punição aos responsáveis pela ilegalidade. Por anos seguidos os advogados, e eu inclusive, fomos humilhados com uma discriminação criada apenas e tão somente para menosprezar a advocacia, e mesmo quando comprovada a ilegalidade é reconhecida nada é feita. O agente público é o deus, e não responde por seus atos.

Só 1 lado da história.

Immanuel Kant (Advogado Sócio de Escritório)

A história está muito estranha. Ninguém gozando de boa saúde das faculdades mentais age com a fúria descrita. Irascibilidade sem nenhum nexo causal? Totalmente ilógico. Deveriam mostrar os dois lados da história.

Omissão da OAB

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Lamentável a omissão da Ordem dos Advogados do Brasil na defesa das prerrogativas da classe. Há anos os advogados brasileiros vem sendo humilhados pela criminalidade institucional com revistas pessoais e exigência que NÃO SÃO aplicadas a servidores, a magistrados, membros do Ministério Público e outros bajuladores de plantão. Obviamente que não se defende o comportamento do colega que extrapolou, mas também não se pode admitir que advogado tenha sangue de barata. O Colega citado na reportagem, com se viu, estava sendo humilhado, ridicularizado no exercício da profissão. Os servidores propositadamente o irritaram ao extremo, até que o Colega acabou por ter uma reação hostil, não tolerada pela bandidagem que domina o Estado (essa quer advogados do tipo "cordeirinho", que se cala diante de tudo). Nesse caso, inexiste crime. O Advogado passava por uma situação de indignidade, humilhado e agredido, o que desnatura o dolo como todo mundo sabe. Mais um capítulo lamentável da novela "fim da advocacia", assistida com a advocacia na primeira fila.

O tempo da carteirada acabou

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

LAMENTÁVEL. Numa época onde os atentados são comuns e vêm de onde menos se espera, forçando a sociedade a policiar os seus próprios integrantes, um advogado se acha acima de tal desconfiança e controle. Quer se sobrepor aos detetores de metais e não se entende submetido a eles.

Desacata não deve ser considerado crime

Vladimir de Amorim silveira (Advogado Autônomo - Criminal)

O ministro Gilmar mendes chama os colegas e juízes de bolivarianos e chama os colegas do TSE de juízes juvenis . Ou seja , os juízes podem usar a livre manifestação de pensamento. Por outro lado, o advogado é punido por qualquer manifestação. Onde está a OAB para defender o colega?

Advogado paga multa por desacato

ACUSO (Advogado Autônomo - Dano Moral)

E quando quem é desacatado é o advogado , o que nos diz o TRF da Quarta região ?

Comentar

Comentários encerrados em 28/12/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.