Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Medidas alternativas

Relator da "lava jato" no STJ vota pela liberdade de executivos da Odebrecht

A 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça começou a julgar os pedidos de liberdade de Marcelo Odebrecht (presidente da empreiteira) e do executivo da empresa, Márcio Faria. Ambos foram presos na operação "lava jato", que investiga um esquema de corrupção na Petrobras e outras estatais. 

O ministro relator Ribeiro Dantas votou pela liberdade de ambos, mas houve pedidos de vista — dos ministros Felix Fischer e Jorge Mussi —, adiando o julgamento. Com isso, eles continuam presos preventivamente.

Ribeiro Dantas decidiu pela substituição da prisão preventiva dos executivos da empreiteira por medidas consideradas por ele mais eficazes, entre elas, o uso de tornozeleira eletrônica, prisão domiciliar, afastamento de atividades empresarias, além da retenção do passaporte. “Admito a existência de fortes indícios de participação do paciente (Marcelo Odebrecht) nos crimes a ele imputados”.

Entretanto, o ministro considerou que não há risco de fuga do empresário e nem de o réu atrapalhar as investigações. Segundo Dantas, as medidas alternativas à prisão são suficientes para impedir risco à ordem publica. Marcelo Odebrecht está preso desde 19 de junho. Ele é acusado de organização criminosa, corrupção ativa e lavagem de capitais neste processo.

Já Márcio Faria foi denunciado por crimes de lavagem de dinheiro e contra o sistema financeiro nacional. Ele era diretor da área de engenharia industrial e também ex-integrante do Conselho de Administração da Odebrecht. Com informações da Assessoria de Imprensa do STJ.

Revista Consultor Jurídico, 4 de dezembro de 2015, 13h24

Comentários de leitores

9 comentários

Papai Noel existe para Odebrecht

boan (Contabilista)

Em pleno século XXI Papai Noel existe para homens maduros, ricos e poderosos. Poderão tomar novamente as rédeas de suas empresas a partir de sua casa, cercado de todas mordomias existentes com ou sem tornozeleira. É a justiça pende sempre por um só lado-interesse do mais poderoso. É o escárnio tomando lugar da esperança.

Desculpe nobre colega basílio

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Mas, em todos os casos em que Moro decretou a prisão preventiva de executivos, HOUVE BEM MAIS DO QUE SIMPLES INDÍCIOS. Na verdade são comprovações afirmadas e reiteradas por todos os envolvidos no caso (via das delações premiadas) e CHANCELADAS pela revisão nos contratos superfaturados da Petrobrás. Não há, nem por hipótese, que se falar em em acusações infundadas ou prisões ilegais. Se o STJ quer soltar os endinheirados é outra história. Imaginem o que um desses super-homens pode fazer, "em casa" com ou sem tornozeleira, mas apenas dispondo livremente de computador , senhas e criptogramas das mais inconfessáveis maracutaias que o Brasil já presenciou ? Não fica difícil deduzir.

A prisão do juiz sérgio moro

Chiquinho (Estudante de Direito)

PrÓXIMO PASSO DA LAVA A JATO NO STJ: A PRISÃO DO JUIZ SÉRGIO MORO
A ser confirmada a soltura dos fuderosos executivos da Odebrecht, Marcelo Odebrecht e Márcio Faria pelo pau mandado ministro do Superior Tribunal de Justiça, relator Ribeiro Dantas, o próximo passo vai ser a prisão cautelar do juiz Sérgio Moro por desacato e desrespeito à Justiça.
Na visão do ministro participar de organização criminosa, corrupção ativa e lavagem de capitais são meras condutas delitivas para um executivo fuderoso desses. Soltá-los é um ato de humanidade, um respeito à dignidade humana, um exemplo de respeito ao mau-caratismo no Brasil.
Te cuida, Dr. Sérgio Moro, breve vão te crucificar em alguma esquina da vida e vão te por a culpa no Destino!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 12/12/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.