Consultor Jurídico

Comentários de leitores

8 comentários

Me desculpe discordar

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Como premissa maior tem-se que concordar com o direito de discordar e nesse sentido discordo totalmente do missivista.Estar advogado (já que ninguém nasceu causídico) não significa endossar as mazelas de profissionais que desmerecem a função exercida e, ao fazê-lo, acabam por envolver toda a classe, porque é muito mais fácil criticar um mal exemplo do que louvar uma nobilitante ação.Sem adentrar no mérito da legalidade ou não da prisão dos envolvidos, tida como em "flagrante", o fato em si não é esse e sim o desvirtuamento do objetivo "defesa" para, em nome dela, imiscuir-se no crime tal qual os celerados. Não posso pactuar com o colega Edson Ribeiro.
Ela excedeu, e muito, os limites das prerrogativas funcionais e os parâmetros da defesa. Não precisava disso, nem deveria baixar o nível dessa forma, em especial porque sendo uma figura proeminente e estando vinculado a uma causa que já causa perplexidade pela sordidez de que se reveste, nenhuma cautela teve, se deixando confundir mesmo com aqueles que a Nação vem execrando (e com razão).O advogado criminal,embora as vezes trilhando uma linha tênue, n/pode descambar nem adotar a criminalidade como um dos seus instrumentos de trabalho. Desculpem, mas não há explicação para o inexplicável. Já participei de C.de Ética e de Prerrogativas e,nesse caso, infelizmente optaria pela cassação da carteira (mesmo sabendo que o meu parecer provavelmente não seria aceito pelo presidente).Não poderíamos pedir o mesmo em relação a J.Dirceu e outros carimbados (e pedimos) enquanto, d'outra banda resolvermos perdoar e esquecer esse lamentável episódio. Dirceu n/estava na condição de advogado (é marginal) já Ribeiro tem,ou deveria ter, comprometimento também com a classe, como causídico atuante.

Quando a água bate na.........

kiria (Corretor de Imóveis)

Advogados não tem o privilégio de "senhores da honestidade guardiães da Constituição".Sempre que a água bate em um colega colocam-se todos em alerta não importando a ação daquele que foi preso mas a guarida que lhes beneficia acima do cidadão comum.A Constituição foi elaborada com a contribuição de todos que aí estão ocupando cargos hoje bem como dos senhores advogados e nas linhas da lei ocuparam-se mais em auto proteger-se do que ao cidadão comum.O Senador e seu advogado pegos com a botija na boca e as gravações não deixam dúvidas não poderiam receber outra atitude do STF que não fosse decretar suas prisões.O papel não pode estar acima da Justiça a ser feita,mesmo que esse papel seja a Constituição do país.Esse governo transformou o país em prostíbulo Nacional e Internacional onde todos roubam com a conivência daqueles que deveriam dar o exemplo.Fechando,se quisessem mesmo moralizar o país lançariam mão de uma auditoria geral na Receita Federal para que todos explicassem de onde "brotou" suas fortunas.Senhor D'Urso em passado já distante tive admiração pela classe dos advogados mas hoje tenho medo das relações estreitas entre V.Sas,CNBB,Movimentos Sociais e que tais que redigem documentos em nome da população quando não representam a maioria apenas essas entidades que pelo contrário são a expressão das minorias.Hoje pelo que se percebe os senhores não estão representando nem a maioria de vossas categorias.

Ah, entendi.

Luciano L. Almeida (Procurador do Município)

Não posso ser preso. Jóia.

O meio social e o advogado

O IDEÓLOGO (Cartorário)

A falta de ética dos membros da comunidade, também, atingiu os advogados.
A atuação do advogado é dependente de agentes externos ao seu agir. A sua formação escolar continua sendo positivista, e acredita que as leis mudarão o mundo e não consegue entender que este é que influencia o arcabouço normativo.
O jurista Roberto A. R. Aguiar diz que o advogado preconiza a neutralidade, a equidistância, o combate à metafísica (que constitui uma nova metafísica), a busca de uma ciência com objeto e método são características dessa corrente.
O advogado é um ser que vive em eterna angústia, visto que, ora atua como defensor do autor, ora do réu.
A sua relação com os membros da comunidade é um liame de interação, no qual capta, também, influências negativas, as quais utiliza em proveito próprio, se contaminando com aquilo que, a sua formação positivista combate. Não é surpresa que, a medida que se aprofunda crises sociais, os advogados, também, se envolvem em seu aprofundamento.

Oab-sp

Fernando Marques de Jesus (Advogado Autônomo - Criminal)

E o que dizer da atuação da própria OAB-SP, que (não) representando milhares de advogados, defende a legalidade e a constitucionalidade da prisão? Infelizmente já vivemos uma ditadura (um verdadeiro vale tudo processual em nome da "bondade dos bons") no processo penal, esta é a realidade forense desde tempos. E o STF veio e ratificou todos os abusos e desvios cometidos diariamente por diversos juízes criminais de primeiro grau, ou seja: "se a pessoa 'merece' ser presa, façam o que for necessário, ainda que seja preciso distorcer falaciosamente a legislação e a Constituição".

corrupto t5em que ser preso

sytote (Advogado Autônomo - Civil)

quer dizer que nada do que foi apurado existiu ????
petista tudo que voces roubaram é invenção da mídia ????
só falta o chefe de voces . aí voces vão chorar e nós iremos rir !!!

muitissimo obrigada doutor !

isabel (Advogado Assalariado)

Ler suas palavras lava de quem tem espírito de advogado, um verdadeiro advogado que sabe que sua missão profissional e humana é a defesa intransigente do seu cliente e que todo cliente, por ser humano, merece defesa !
Deus abençoe sua luta em favor do Direito !

E daí

Professor Edson (Professor)

Ninguém da a mínima pra esse chororo, se acostumaram viver as sombras desse garantismo doente agora não sabem como agir, parecem uma criança mimada a vida toda que agora não tem forças para aguentar a realidade, enquanto assaltam descaradamente nossos cofres tudo bem, bela democracia de botequim.

Comentar

Comentários encerrados em 11/12/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.