Consultor Jurídico

320 a favor

Câmara aprova PEC que reduz a maioridade penal em casos de crimes hediondos

A Câmara dos Deputados aprovou em segundo turno na noite desta quarta-feira (19/8) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171 que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos em casos de crimes hediondos — como estupro e latrocínio — e também nos de homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte. Foram 320 votos a favor, 152 contrários e uma abstenção. O texto da PEC vai agora para apreciação e votação dos senadores.

Ao contrário das discussões e votações anteriores da PEC na Comissão de Constituição e Justiça, na comissão especial e em primeiro turno, a votação desta quarta-feira ocorreu sem grandes disputas. Na orientação do voto das bancadas, encaminharam contra a aprovação os seguintes partidos: PT, PSB, PDT, PCdoB, Pros, PPS, PV e PSO. Orientaram a favor o bloco do PMDB, PSDB, PRB, PR, PSD, DEM e SD.

Ao todo, tramitavam na Câmara 39 PECs propondo a redução da maioridade penal. Todas foram apensadas à PEC 171, pela medida ser a mais antiga em tramitação na Casa. A PEC original, apresentada pelo então deputado Benedito Domingos (DF), propunha a redução da maioridade penal de 18 anos para 16 em relação a todos os crimes.

A proposta aprovada em primeiro turno já havia excluído do primeiro texto, votado pelos deputados e rejeitado, os crimes de tráfico de drogas, tortura, terrorismo, lesão corporal grave e roubo qualificado entre aqueles que justificariam a redução da maioridade.

O texto da PEC aprovado prevê a construção de estabelecimentos específicos para que os adolescentes infratores cumpram a pena. Eles não poderão ficar em estabelecimentos prisionais destinados a maiores de 18 anos nem para os menores de 16 anos. Com informações da Agência Brasil. 




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 20 de agosto de 2015, 14h02

Comentários de leitores

4 comentários

Resumo da ópera:

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Como não se constroem nem os presídios comuns e absolutamente necessários, cuja carência numérica é assustadora em confronto com a excedente população carcerária apinhada como em lata de sardinha, alguém acredita que serão edificados complexos para abrigar presos maiores de 16 e menores de 18 anos ? Nesse caso, não havendo "estabelecimento adequado nos moldes da lei", não poderá o "ainda menor e quase maior" dividir cela nem com os maiores nem com os menores de 16. E qual a solução? R U A ! Ou não será isso ? Me poupem !

Parabéns aos nobres deputados

Antonio Fernandes Neto (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

Parabéns aos nobres deputados que, sob a experiente e laborativa batuta do presidente da câmara, sr. Eduardo cunha - os demais são aquele lixo de sempre - que teve a coragem de se opor ao desgoverno e aprovar lei combatida pela tal de presidenta que se esqueceu que vai pagar por outros tipos de crime, atendendo aos anseios da população brasileira. Como a lei do divórcio, demorou mas chegou.

Nos outros dá-se um jeito...

Gusto (Advogado Autônomo - Financeiro)

Já é alguma coisa a diminuição da maioridade penal para alguns crimes. Quanto aos outros que não foram contemplados, cabe à sociedade dar um jeito no meliante...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 28/08/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.