Consultor Jurídico

Déspotas em disfarce

"Autoritarismo de ditadores hoje está em chefes de repartição, delegados e juízes"

Retornar ao texto

Comentários de leitores

41 comentários

Direito de Defesa

BASILIO (Advogado Sócio de Escritório)

Hoje, perante a tudo e a todos, o advogado de defesa é tratado como um "estorvo". Tal fato é abertamente admitido pelo funcionalismo de plantão.
Cria-se todo tipo de dificuldade de atuação da defesa. Somos poucos, mas, bravamente, vamos resistindo e resistiremos aos mini-tiranos de esquina.

Parabéns ao Entrevistado.

Doutor Sergio Niemayer

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

Doutor Sergio a quem reputo enorme respeito em razão das colaborações preciosas que traz a estas colunas, o estupro causa intenso sofrimento a uma vítima esta quadrilha que aí está causou sofrimento a milhares de brasileiros, afundaram o país numa crise sem precedentes, e mataram de forma obliqua inúmeras pessoas, portanto, minha família que é Cristã, inclusive, minha esposa citada por Vossa Senhoria, é favor de pena severa, com fundamento em Romanos 13, de 1 a 5. Abraço e cordiais saudações.

Dra. Isabel

Observador.. (Economista)

Use sua técnica e diga o que acha do cidadão que, em cerimônia oficial, com a presença da Comandante em chefe das Forças Armadas, pregou o "entrincheiramento e o uso de armas", para protege-la de um processo legal, que existe e está previsto na C.F. que é o instrumento do impeachment, caso ele venha a acontecer?
Por que ninguém se escandalizou, de forma técnica e jurídica sobre tão grave questão?
O que houve com o país?
Nossos descendentes, terão, isto sim, vergonha da era da pusilanimidade em que vivemos.

Uníssono, exceto pelos....

isabel (Advogado Assalariado)

Doutor Batochio, sua voz se une a outros grandes ( entre os quais se destaca o Lênio Streck) que tem comparecido a esta revista e em outras páginas especializadas, execrando o pisotear da lei que tem se visto nos conhecidos processos midiáticos, ou seja a consciência jurídica nacional, representada pela OAB e pela academia tem denunciado diuturnamente os abusos que suas palavras desnudam, abusos estes que se prestam a favorecer a perigosa ideologia da burocracia, tão bem descrita por Max Weber.
O mais grave mal que esta categoria causa é que, muitas vezes , um governo não consegue implementar suas políticas justamente por causa dos burocratazinhos que se apegam ao seu saber técnico para impor a política que lhes pareça mais adequada... normalmente, aquela que melhor atende a sua classe social , a que está inserto e da qual é oriundo. A Esplanada dos Ministérios está repleta desta espécie... Mas este é outro assunto...
Aqui cabe registrar que o descompasso que existe entre suas considerações absolutamente técnicas, fundadas no melhor Direito não ressoam entre aqueles que não conhecem Direito e assim, cerram fileiras com vozes de antanho, ignorando o papel civilizatório do Direito... não conseguem reconhecer que o senhor e estes outros tantos advogam a favor da maior vítima disto tudo que é nada mais nada menos que o próprio Direito Penal !
Auguro-lhe sucesso , doutor ! porque o seu sucesso e dos demais que se alinham com sua pregação, é o sucesso da ordem jurídica.
Certamente daqui a décadas ou a uma centena de anos, nossos netos poderão assistir uma nova versão das Bruxas de Salém, expondo o processo inquisitório ocorrido no Brasil do século XXI, e daí o seu papel será de redentor !

Entrevista Battochio

Izis (Advogado Autônomo)

Excelente observação da Psicóloga.
Faço minhas suas palavras, dr. Pedro, MPE.

Cavalo de troia

AnaP. (Psicólogo)

O entrevistado menciona "Os muitos tiranos desta espécie podem se ver aclamados como heróis pela turba multa desinformada..." --- e mesmo sem ter compreendido exatamente o que é "turba multa desinformada", creio que esteja incluída nessa, por discordar de seus argumentos.
Antes, ainda, "os muitos tiranos desta espécie", assim como outros epítetos, mostram que o artigo foi escrito para inserir nele, (imaginando o autor que) indiretamente, o grupo do Juiz Sérgio Moro, que está apenas cumprindo o seu trabalho, no que foi apoiado por 1300 outros juízes.
Isso se chama "reasoning". O entrevistado não argumenta, e sim, tem uma tese já pronta e a recheia de ambiguidades retóricas para justificar o seu objetivo final.
Além disso, comparar dois crimes tão diversos e suas penas é algo que até um leigo percebe quanto às falhas desse ardil. Mas, seguindo nessa linha, um doleiro que "remeteu divisas" (eufemismo), sem dúvida, estuprou moralmente uma nação inteira.
A população está atenta e, por sinal, anotando o nome de todos os advogados que tentam desacreditar juízes como o dr. Sérgio Moro, o que considera, por leiga que seja, também obstrução à justiça.
Fica a pergunta: Qual é o leit motiv, a motivação de fundo, qual a ideologia que leva uma pessoa inteligente a um tortuoso raciocínio?
No filme O Exorcista, o padre mais velho diz ao mais novo: "Cuidado com o demônio. Ele mistura verdades com mentiras para te confundir." Será este um caso?
Em outras palavras:
Afinal... "A QUEM O GRAAL SERVE?"

errata

Observador.. (Economista)

em" agentes públicos usam poder para se autobeneficiar"...sem a palavra levar, sobrando no texto abaixo.

Guarda da esquina

Observador.. (Economista)

Se tivesse vivido à época do Dr.Pedro Aleixo, e fosse - por exemplo - seu Ajudante-de-ordens, ao ouvir sobre seu temor ao guarda da esquina, falaria algo mais ou menos assim:
Senhor Vice-Presidente, o guarda da esquina pode ser cercado, desarmado e subjugado.
O senhor deve temer o Estado Tirano. Um Estado que usa alguns grupos econômicos e certos agentes públicos para, com o sacrifício do povo, se banquetear nos lautos prazeres que uma vida de poder, pelo poder, propicia. O senhor deve temer o Estado que gosta apenas de aplausos, lambe botismo, cujos agentes públicos usam seu poder para levar se autobeneficiar e pouco servem o povo. O senhor deve temer o Estado que estimula a divisão social que enfraquece, para, com seus apaniguados e certos privilegiados com o sacrifício alheio, se perpetuar no embriagante poder que desvirtua e pode levar à desonra. O senhor deve temer a hora que tal estado de estupor pode chegar a fazer o senhor apontar o dedo para um guarda de esquina, um dos que cansou de tudo isto, e apontá-lo como o tiranete a ser temido.

A visão rasa do direito.

carlinhos (Defensor Público Estadual)

José Roberto Batochio, o ilustre advogado de Waldemar da Costa Neto. De tanto defender bandido, sua visão da letra da lei ficou míope. Dá licença!

Modelo correicional infrutífero

Manuel Santiago (Jornalista)

Interessante e inovadora a abordagem sobre a nova roupagem da ditadura. O Jurista tem razão: continuamos com medo de denunciar. Não há garantias de que seremos protegidos dos agentes do próprio estado. O cinismo generalizado disfarça a prevalência do corporativismo. Melhor seria que as corregedorias fossem dotadas de pessoas estranhas à instituição. O modelo presente não é funcional. Colega, simplesmente, não pune colega. É isso.

Autoritarismo dos burocratas

Jose Antonio Dias (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Não é bem assim, caro colega. Antes precisamos analisar o País, o povo, a educação e , principalmente, o patriotismo do brasileiro. O Pais é habitado por 90% de analfabetos, incluindo os funcionais. A educação é a mais precária possível. O patriotismo, em virtude da parca educação é quase inexistente. O sistema ( que é indestrutível) é totalmente viciado pela composição dos fatores acima. Qualquer que seja o regime que pretenda consertar os vícios arraigados ao povo é chamado de ditatorial. Quando alguém quer fazer algo de bom para o País logo é chamado de Ditador e combatido. Resultado, substitui-se o regime forte pela roubalheira do proletariado comunista. E pior, pelo voto. Portanto, colega, seu artigo precisa de maior aprofundamento e conhecimento do País em que vivemos.

Grande Batochio!

Arnaldo Malheiros Filho (Advogado Assalariado - Criminal)

Batochio continua em plena forma, com seu raciocínio agudo, sua exposição clara e sem meias palavras, sua capacidade de liderança. O Vice-Presidente Pedro Aleixo, criminalista como nós e conhecedor da realidade, tinha mais medo do guarda da esquina que das "mãos honradas" [sic] do Presidente da República. Os tiranetes de esquina são apoiados por uma consciência social de que os fins justificam os meios, tanto mais quanto maior o mal a combater. Quem viveu o plano Collor sabe disso: Com inflação de 80% ao mês, não há falar em Constituição, legalidade, direitos individuais. O resultado todos conhecem: Não se resolveu o problema e criaram-se mais alguns, como sempre acontece quando se atropela o Direito em nome de uma guerra santa. Paraabéns ao entrevistado!

Só para quem se acovarda.

PAULO FRANCIS (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Só para quem se acovarda. E, nem todos são assim. Pero existem autoritários.
É uma cultura medieval que cresce a medida que as instituições fraquejam.
Batochio sempre brilhante.

BRILHANTE! Como sempre, diga-se"

Paulo Henrique M. de Oliveira - Criminalista (Advogado Autônomo - Criminal)

Privo da amizade pessoal do autor do artigo, o nobilíssimo advogado JOSÉ ROBERTO BATTOCHIO. Tivéssemos advogados com esta coragem em maior número e, certamente, não estariam - como estão - vilipendiando as prerrogativas da Advocacia que, como sabido, não são nossas, pessoais, mas da sociedade livre e democrática.
É do autor uma frase que tenho como mantra "o medo é um inimigo inconciliável do advogado criminalista" (dita em palestra proferida nos idos de 1989.
Conquanto eu tenha convivido com os maiores e mais bem sucedidos advogados criminalistas de São Paulo, não foi à toa que o elegi como paradigma. Não sou digno de desatar-lhe o nó da sandália, mas o tenho como exemplo e procuro, sempre, ser bem parecido com ele, conquanto não tenha o mesmo brilho.
Alguns dos comentários aqui feitos tangenciam o desrespeito para um advogado a quem a Advocacia e a Democracia muito devem.
Parabéns, Battochio!

Tortura admitida

Luis Feitosa (Advogado Associado a Escritório - Criminal)

Inicialmente faço-me cumprimentar o Autor, indiscutivelmente um brilhante Causídico.
Nos idos de 2004, enquanto acadêmico de direito fui presenteado por um amigo com livro de inquérito policial datado de 1982.
Receber de presente uma obra considerada comum e escrita há 22 anos foi no minimo curioso, mas quem me presenteou fez questão que o lê-se.
Dentre as lições naquele catalogadas destacava-se que os estudos de casos ali narrados deixava patente que a tortura era o meio mais utilizado para obtenção de provas.
Aliada a principal preocupação do Autor, hoje vejo a importância daquela leitura.

Advogados, vocês são os culpados.

Foster (Administrador)

Advogados adoram culpar o poder judiciário, taxando-o de extremamente corrupto, autoritário etc. Mas se 2/3 do STF é composto de advogados, controlando portanto o órgão, de quem é a culpa?
Pra mim, a proporcionalidade do quinto deveria ser respeitada nos tribunais superiores, nosso STF é uma instituição totalmente desacreditada pela sociedade, e isso, se deve aos 2/3.

QUIZ

Foster (Administrador)

Dias Toffoli = advogado

Sérgio Moro = juiz

Os senhores preferem 11 juízes no STF ou 11 advogados?

Autoritarismo de Ditadores....

hrb (Advogado Autônomo)

A matéria mais revela um manifesto meio como dos defensores do pessoal envolvido na bandalheira do Lava Jato, em que, agora, os patronos se veem incomodados com as indagações de onde os acusados dos desvios tiram o dinheiro para remunerá-los. A doutra Catta Preta esteve preocupada, ou ainda está, com isso. O ideal, no regime democrático, seria que o texto fosse enviado às instituições de classe, associação dos magistrados, dos delegados e dos promotores, principalmente, para que se manifestem porquanto mencionados nas críticas....

Memorável entrevista

JOSÉ ANTONIO ALMEIDA (Advogado Sócio de Escritório - Eleitoral)

José Roberto Batochio honra a classe dos advogados e faz jus à condição de ex-Presidente Estadual e Nacional da OAB, sob cuja gestão foi editada a Lei 8.096/1994, o nosso Estatuto. Além disso, foi um Deputado brilhantíssimo, sendo de sua autoria a proposta que acrescentou, no rol de garantias fundamentais previstas no artigo 5º da Constituição o princípio da razoável duração do processo. Só isso demonstra que não se valeu do mandato para, por exemplo, incluir formas de postergar a aplicação da punição (e até implicar na prescrição) de réus sujeitos a processos criminais, sua especialidade de sempre. O essencial, como ele mesmo diz, é a observância do devido processo legal. Parabéns.

Preocupante

Hwidger Lourenço (Professor Universitário - Eleitoral)

Estamos indo na contramão da vontade popular. Não que essa esteja certa ou sempre certa. Ao contrário, sublevações de massas sempre acabam, em ditaduras. Mas esses abusos tendentes não a proteger direitos e garantias, mas diretamente a criminosos e suas ações ainda nos custarão a liberdade. Nunca é demais o aviso de Shakespeare: "O diabo pode citar as Escrituras quando isso lhe convém."

Comentar

Comentários encerrados em 24/08/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.