Consultor Jurídico

Aumento salarial

Supremo aprova proposta de reajuste de 41% para servidores do Judiciário

Retornar ao texto

Comentários de leitores

39 comentários

Aristocracia

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

As aristocracias vão se blindando contra a crise já socializada e o povão, como sempre, paga o pato.

Teto, de quem?

CAJORGE (Advogado Autônomo - Criminal)

Tudo bem que os juízes sejam bem remunerados. Espero que com esse aumento sejam retirados os penduricalhos, como bolsa paletó, auxilio creche, auxilio alimentação, auxilio moradia, auxilio livro, auxilio carro, etc... pois isso nenhuma trabalhador de verdade tem. São verdadeiros marajás no meio das favelas brasileiras. Não estamos da ÍNDIA, mas vivemos em castas no Brasil. E agora será juntada às castas imorais mais duas categorias AGU e DELEGADOS. Tudo isso é uma vergonha. Paizinho de m.... onde o povinho só pensa em carnaval e futebol.

Hipocrisia!

Saulo Rocha (Serventuário)

Operadores do direito são os primeiros a desprezarem o direito alheio.
Segundo os comentários aqui o "justo" é o trabalhador amargar 9 anos de inflação calado (70,51%).
Mas é confortável vomitar críticas quando a tabela da OAB e subsidio dos delegados foram devidamente reajustados...

Total falta de sensibilidade!

Ricardo (Outros)

Essa e a grande prova de que esse Governo que esta ai e fraco! Nao resistiu a uma pressao do PJudiciario sempre avido por aumentos. O momento atual de crises economica e politica nao permite extravagancias. O custo da Justica nesse Pais e altissimo e o retorno e baixo. Lamentavel!

Quando o Brasil será um pais sério?

wgealh (Advogado Autônomo - Ambiental)

Que vergonha (ou seria louvor pela 'esperteza'?) do stf; mera reposição dos vencimentos da ralé (funcionarios chão dos tribunais) NÃO PODE! Aumentar o já obeso vencimentos dos ministros, P O D E! Sem falar dos demais 'SERVIDORES PÚBLICOS DE TERCEIRA CATEGORIA, inclusos os militares!
A solução - por ser simples - jamais será implementada por estes cumpanheiros PTralhas: "TODO FUNCIONÁRIO PÚBLICO SERÁ INCLUIDO EM UM UNICO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS" Militares, lixeiros, assessores, senadores, deputados, presidente, governadores, todo e qualquer SERVIDOR do PÚBLICO, SERIAM SUBMETIDOS A UM ÚNICO INDICE DE CORREÇÃO SALARIAL, EM ESPECIAL O MISERO SALÁRIO MINIMO.
Não tem justificativa HONESTA para um brasileiro (ministros...) surrupiarem do POVO mais de 60 (sessenta) salários minimos, enquanto o POVO morre à mingua, é vergonhosa essa constatação.
A INDEPENDÊNCIA ENTRE OS podres PODERES DEVE SER EXERCIDA "QUANTO AOS SEUS ATOS" JAMAIS PELA ESCRAVOCRATA DEPENDENCIA SALARIAL.
Não pode ter harmonia entre as Gloriosas Forças Armadas e ministros dos tribunais ou deputados, é inaceitável que um advogado recem formado, por pura sorte, passa para o cargo de juiz e venha a receber do cofre da mãe joana MAIS QUE O DOBRO DE UM GENERAL, OU O QUE É PIOR, MAIS QUE 30 (TRINTA) SALARIOS MINIMOS. É VERGONHOSO.
UM SÓ QUADRO DE PESSOAL, UMA SÓ REMUNERAÇÃO, UMA SÓ EQUIDADE, ISSO SIM SERIA DEMOCRACIA PLENA, COM TOTAL INDEPENDENCIA DOS PODERES DA RESpublica.

Casa da tia Joana (a mãe Joana não aguentou, foi-se)

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

É até módico o aumento para o Judiciário, mais ainda o efeito cascata que mesmo propiciará a muita gente boa. Afinal com o dolar a quase R$ 4,00, deve haver alguma compensação para se permitir gozar as férias nas ilhas gregas ou caribe, carnaval em Tenerife, Natal em NY ou Paris, safari com direito a caçar leões, elefantes e leopardos na Africa, permitido trazer o troféu isento do IR e do Ibama.
E os militares? Será que vão ficar calados com a dinheirada saindo pelo ladrão? Não é justo, afinal.
Isso comprova que o país está sem presidente há muito tempo, desde a saída de Lula.

não poderia ser diferente

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Os "cumpanheiros" vão precisar muito do Judiciário. Toma lá, dá cá. Tem que passar melzinho na boca! E ainda tem quem acredite que os Poderes da União são independentes. Já a harmônia tem um preço.

Momento inoportuno para aumentos no funcionalismo público

Pedro MPE (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

O eminente atual Presidente do STF tem feito um excelente trabalho em prol do poder judiciário (o que reflete no equilíbrio entre os poderes), mas o momento atual é totalmente inoportuno para aumentos no funcionalismo público. O Brasil está passando por sua maior crise nos últimos anos e esta situação necessariamente deve ser levada em consideração nas contas públicas, pois a realidade do serviço público não pode se dissociar do contexto vivenciado pelo povo brasileiro. Endosso ainda as considerações do comentarista Observador (Economista) no sentido de que as Forças Armadas estão sendo totalmente negligenciadas pelo poder público, estando há anos com a remuneração defasada. Me pergunto: quem vai socorrer esse país quando precisarmos? Desde a instauração do regime democrático, governo após governo, partido A, B ou C, de forma preconceituosa nossos militares estão sendo desvalorizados, fomentando um cenário altamente perigoso para a segurança interna e externa do país. Acorda Brasil, antes que seja tarde!

Considerações do Pintar!

DPC Fabio (Delegado de Polícia Estadual)

Disse tudo o Sr. Marcos Pintar, logo abaixo. Quem pode, já foi para o aeroporto!
Belos tempos de crise para alguns, com aumentos nababescos de efeito cascata SIM...Só para acrescentar, estou certo que há muitas formas de corrupção institucionalizada neste país, além do PT. Uma delas, os subsídios dessa "grei" que, com nababescas verbas indenizatórias, fraudam na cara dura a Constituição Federal, extrapolando aquilo que de forma "simbólica" é chamado de teto. Norma Constitucional bastante em si. Plenamente apta a ser concretizada. E o que pasma é a fraude praticada por quem, JUSTAMENTE (em termos não dúbio mas literais) deveria aplicá-las no caso concreto e/ou gritam aos quatro cantos que têm o dever/poder de defendê-la e/ou fiscalizar seu cumprimento.
Mas a verdade é que a Constituição na mão dessa gente virou a famosa definição de "mera folha de papel"...faz tempo.
Em tempos de crise, só há crises para alguns. Necessitamos das Ongs de Transparência e da mídia para alardear aos quatro cantos essa roubalheira institucionalizada do dinheiro público, trasladada nas vergonhosas verbas marajás indenizatórias sem qualquer finalidade pública, que ainda por tudo fraudam arrecadações de imposto de renda se confrontadas as nomenclaturas pelas quais são criadas, com sua "razão de ser".
É, que venham as Ongs de Transparência e a mídia, porque desses órgãos estatais responsáveis pela Justiça e pela Fiscalização...não se pode mesmo esperar nada.
Por fim: Cadê determinados comentaristas desses órgãos paladinos que viviam por aqui. Onde estão e por qual razão silenciam para um debate democrático? Se quiserem debater, comecem justificando essas verbas com auxílio moradia, auxílio terno, livro, paletó, etc....etc....etc...gostaria de ver justiça nisso.

1% já seria muito.

jpo (Vendedor)

Agora um salário de um juiz pode chegar a 40mil e poder judiciário continuará da mesmo forma, moroso. O judiciário tem altos salários para os padrões brasileiro e produtividade do órgão. O país tá em crise e vamos ter que arcar com aumento.

Dr. Ramiro

Observador.. (Economista)

Parabéns pelo lúcido comentário.

Só queria entender...

Oscar Garlic (Psquiatra)

...o comentário do sr. Pavão, já que a categoria dele está reclamando um "piso" de 90,25% do teto de Ministro do STF. Ou ele não é o que diz ser, ou realmente estou igual ao Macaco Sócrates...

ingredientes perigosos

Ramiro. (Advogado Autônomo - Criminal)

São ingredientes perigosos
1 - nítidos sinais de esgarçamento do tecido social, com locais onde o estado perdeu sua soberania de fato...
2 - divulgação permanente de atos de corrupção, e quiçá vinculação de ideias de corrupção como projeto de governo e projeto partidário...
3 - forte insatisfação popular com as péssimas perspectivas de vida...
Entra então o principal dos ingredientes...
4 -altíssimo grau de insatisfação dentro das forças armadas, alimentada por soldos rebaixados...
Se há uma ruptura, enfim, em 1964 a toga assistiu calada, muito calada, a vigência do artigo 7 do ato institucional nº 1.
Vejo a tabela de soldos, a partir de março de 2015 um oficial general de quatro estrelas, de qualquer uma das forças, passa a receber R$ 10.830,00 de soldo básico, o que é menos que muitos juízes estaduais com menos de cinco anos de carreira recebem, por vezes, sem descontar um único centavo de IRPF, como verba indenizatória.
Diante de um quadro desses quero ver o valente que vá dizer na frente de uma reunião de militares de alta patente que "são uns ressentidos, uns invejosos", "se quisessem ganhar melhor ao invés de AMAN, AFA ou Escola Naval que aprovassem para Magistratura"...
Houve esforços de equiparar o soldo de Almirante, o referencial nas FFAAs, ao subsídio de ministro do STM, mas foi barrada a ideia...
Thomas Jefferson que tem a icônica frase de que "o preço da liberdade é o da eterna vigilância".
Vale a pena ver o site abaixo.
http://www.ntu.org/foundation/page/salaries-for-members-of-congress-supreme-court-justices-and-the-president
Ok, mas o salário mínimo nos EUA?

O último apaga a luz

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

E o povo se cala, como servos submissos. Fazer o que? Quem pode, já foi para o aeroporto.

100%

Ismar (Advogado Autônomo)

Não é a toa que não sobra dinheiro pra investir em infraestrutura nos fóruns, TJs e outros do poder judiciário porque não sobra dinheiro já que gastam quase 100% com pagamento de pessoal enquanto que os prédios estão aos caindo aos pedaços, computadores ultrapassados, não tem veículos, salas de arquivos improvisadas, tetos desabando, pisos esburacados, nem precisa falar mais nada porque quem já foi ou precisou de ir nesses locais sabe do que estou falando.

Nossa economia está bem?

Observador.. (Economista)

Ia escrever algo mas o comentarista Juarez Araujo Pavão (Delegado de Polícia Federal) escreveu o que penso.
Gostaria, contudo, de acrescentar uma coisa....A caneta de alguns tem mais força do que a de outros?
Pois do povo tem sido exigido toda espécie de sacrifícios.
De outros setores, como as Forças Armadas, espera-se compreensão para o momento econômico delicado.

"Os 655 mil militares das Forças Armadas ficaram de fora das negociações do Ministério do Planejamento que tratam sobre reajuste salarial e que já foram apresentadas para o funcionalismo dos poderes Executivo e Judiciário. Segundo a pasta, o grupo não está incluído nos acordos com a Secretaria de Relação de Trabalho. “A definição do reajuste é negociada de forma institucional, dentro do governo, e incluída no Projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)”, informou o Planejamento em nota."

Enfim.Parabéns aos bem remunerados e boa sorte à nação!Vamos precisar.

A força dos poderosos

Juarez Araujo Pavão (Delegado de Polícia Federal)

Esse reajuste dos poderosos não quebra o País, o que quebra o Brasil são os míseros proventos dos indefesos aposentados e pensionistas do INSS. É insuportável a hipocrisia e as falsas justificativas do governo e dos que fazem coro ao seu discurso catastrófico , em alardear que qualquer reajuste das aposentadorias acima da inflação inviabilizaria a Previdência Social. Não há dúvidas, de que a crise que está abalando o País é fruto da busca incessante pela manutenção do poder, onde os fins justificam os meios, à custa do sacrifício dos mais fracos.

É ótimo ser bonzinho com o dinheiro dos outros

Gabriel da Silva Merlin (Advogado Autônomo)

Quando todos esses benefícios (em época de crise) vem do bolso dos outros é muito fácil querer concede-los, afinal não será preciso "cortar na própria carne".

Por isso no Brasil se gosta tanto do Estado, todos querem viver as custas do dinheiro do contribuinte.

Mas o teto sobe

D. Avlis (Outro)

A diferença subtraída subrepticiamente dos servidores vai ser utilizada não apenas para a nova Loman, mas principalmente para o aumento dos subsídios dos Ministros e, consequentemente, de todos os Juízes, em 16%. Nesse reajuste não haverá veto, porque aproveita a todos. E tampouco haverá crise...

Comentar

Comentários encerrados em 20/08/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.