Consultor Jurídico

Conflito de normas

Barroso pede vista e julgamento sobre vaquejada é suspenso no Supremo

Retornar ao texto

Comentários de leitores

11 comentários

Vaquejada - Por Gustavo Roque (curioso)

Gustavo Roque (Advogado Assalariado)

continuação...

Eu também era contra a vaquejada e mudei de opinião após aprofundar minhas pesquisas. Sei que muitos se acham o dono da verdade e não tem humildade para mudar de opinião, mas até o momento, nenhum argumento contrário me convenceu a reapoiar a proibição da vaquejada, pois antes de opinar, busquei informações e vi a realidade daqueles que sobrevivem do evento cultural nordestino.

Algumas pessoas também argumentam que a vaquejada não é uma pratica cultural, mas certamente esses que fazem tal alegação não são do nordeste e se são, devem morar na capital e não conhecem a realidade interiorana nordestina. Certamente essas pessoas não conhecem a historia do nordeste e a cultura desse povo.

Bem meus amigos, o fato é que eu apoio a vaquejada! Sou a favor da vida, da sobrevivência das pessoas do nordeste, da manutenção das profissões relacionadas à vaquejada, sou a favor da lei que regulamenta a vaquejada para proibir os maus tratos aos animais, sou a favor da fiscalização nos eventos, mas a favor da proibição do evento cultural eu não sou, porque não se pode ser! Simples assim!

Estou à disposição para debater o assunto! Obg.
(Gustavo Roque).
Gustavoroquesm@hotmail.com

Vaquejada - Por Gustavo Roque (curioso)

Gustavo Roque (Advogado Assalariado)

continuação...
É bem verdade que alguns estúpidos bate em seus cavalos, mas não se pode proibir a pratica de uma modalidade esportiva e cultural de uma forma geral por atitude de meia dúzia de imbecis que não entendem que o cavalo é um ser irracional, assim como certamente não sabem o valor que tal evento representa para aqueles sofredores do sertão nordestino. Se um indivíduo erra, ele que pague pelo seu abuso! O que não se pode é prejudicar famílias humildes por causa de atitudes individuais.

Olhando pelo lado daqueles que possuem boas condições financeira, certamente não se pode dizer que os cavalos de vaquejada são mau tratados, pois há acompanhamento veterinário, dieta com ração balanceada, banho com produtos de higiene animal e muitos outro cuidados.

Vou mais longe meus amigos, será que nós deveríamos parar de comer carne porque não se pode tirar a vida dos bois? Uuhhhhmmmmm, veja que é o mesmo raciocínio ou eu estou errado? Bem, o que aconteceria se tentassem proibir a venda de carne bovina, sob o argumento que o animal tem direito a vida? Certamente os Ricos, criadores de gado de corte, iriam exercer a sua influencia ($$$$$) e esta proibição não vingaria!!!! Ora, o direito a vida é mais forte que o direito à integridade física!

Alguns retrucam “e o animal escolheu ta ali?” Bem, qualquer modalidade de equitação, os animais não escolhem está ali! Quando você cria um cachorro, você não deixa ele ir pra rua e será que escolheu ficar preso dentro da sua casa? Acho que não! E quando você prende um boi no cercado, ele escolheu ta preso ali? Não, não... e quando o boi vai para o matadouro, será que ele escolheu ta ali? Também não né? É claro que não! Animais não tem escolha ou você já viu algum cavalo pedindo pra ir ao shopping?

Vaquejada - Por Gustavo Roque (curioso)

Gustavo Roque (Advogado Assalariado)

É uma pena que muitos colegas tenham uma visão tão pessimista sobre a Vaquejada... Independente de ser taxada como esporte, cultura, competição ou qualquer outra coisa, o fato é que a vaquejada alimenta a sobrevivência de muitas famílias no nordeste, tirando, inclusive, famílias e mais famílias da situação de pura miséria.

Muitas dessas pessoas não estudaram por falta de escolas, por falta de incentivo do governo ou até mesmo por não serem educadas para tal (já que seus pais também não tiveram estudo). Muitas dessas pessoas não sabem fazer outra coisa, pois vivem da vaquejada...

Acabar com a vaquejada é destruir as profissões de curralzeiro, locutor, julgador, tratador, vaqueiro, portereiro, calzeiro, fiscal de calda, alugador de bovinos e demais organizadores do evento..

Certamente, as pessoas que criticam a vaquejada não conhecem metade dessas profissões e por isso querem o fim da vaquejada! elas não se dão conta que proibir a prática destas modalidade “esportiva” significa retirar a dignidade e sobrevivência de muitas pessoas do campo! nordestinos que sofrem com a seca, com a impossibilidade de plantar, com o desemprego, com a falta de estudo e com o clima de sua região.

Não se pode e não se deve comparar a vaquejada com rinhas ou com a farra do boi. Na vaquejada, os organizadores do evento cumprem regras estabelecidas pela associação brasileira de vaquejada - ABVAQ no intuito de proibir maus tratos. O intuito da vaquejada não é machucar nenhum animal, pelo contrario, as pistas de competição são preenchidas com areia bem fofa, para que os bois sejam derrubados e não se machuquem. Isso é tão verdade que numa vaquejada, muitas vezes os cavaleiros (vaqueiros) caem e sequer se machucam, o que prova que não há mau trato com o animal.

continua...

Será tão difícil?

Antonio Alves de Brito (Administrador)

Será tão difícil fazer o exercício da compaixão e ver essa prática se colocando no lugar da vítima? O animal escolheu estar alí? Ele pode recusar? Os esportistas e lutadores humanos podem. Esporte é a prática entre competidores que dela participam por livre e espontânea vontade. E isso faz toda a diferença.

nada a ver

Antonio Alves de Brito (Administrador)

Infeliz a comparação com as lutas humanas, como o MMA (às quais não assisto), pois nessas os lutadores estão ali por livre e espontãnea vontade, podem se recusar a estar lá, e estão por dinheiro. Já o animal não escolheu estar ali, nem pode dizer que não quer estar. Esporte é a pratica entre competidores que livremente escolhem a disputa. O resto é ESCRAVIDÃO.

Lamentável

Antonio Alves de Brito (Administrador)

Como é "disgusting" ver uma pessoa que chegou a ser ministro do Supremo, de quem se espera uma mente aberta, defender práticas cruéis contra um ser que está sendo judiado e que não escolheu estar ali, negando o art. 225 da Constituição.
Quem defende que o direito a cultura está acima do dever de não praticar atos de crueldade é um perigo para a sociedade, pois diante de qualquer cultura cruel a crueldade se justificaria.
LAMENTÁVEL!

Por quê?

Neli (Procurador do Município)

Acho interessante esse pessoal se preocupar com animais e nenhuma ONG se preocupar em acabar com MMA,boxe etc, seria a mesma coisa.O STF deveria tomar alguma medida, se provocado, contra a epidemia de violência no País. Nos crimes sexuais contra as mulheres o Brasil é o segundo colocado no mundo. Morrem, por ano, vítimas de violência, sentenas de jovens, e os caras se preocupando vaquejada etc.Por quê?

"cultura"

Ale Hanks (Funcionário público)

Cultura, dentre outras coisas, é formada por hábitos e costumes, que podem e devem ser mudados quando não encontram mais aceitação pela sociedade. Acredito que campanhas de conscientização da população local e principalmente, o não reconhecimento legal da prática da vaquejada como "cultura" sejam o melhor caminho para extirpar aos poucos, mas para sempre, esse cruel "divertimento".

No final restará só o pó

Gabriel da Silva Merlin (Advogado Autônomo)

Quem viu a sessão de julgamento pode perceber que os votos do Fachin e do Gilmar Mendes não perdiam de vista as decisões na "farra do boi" e "rinha de galo", porém o caso sob análise nem de perto se comparava com as duas, e o pedido de vista do Ministro Barroso foi exatamente para analisar isso.

Inclusive é meio curioso, porque a Lei visa exatamente regulamentar a vaquejada e exigir proteção no trato dos animais para se evitar abusos, ou seja, na prática está se pretendendo declarar inconstitucional uma lei que procura resguardar ao máximo o trato digno com o animal. Ai eu me pergunto, porque ao invés dessa ADI o MP não fiscaliza e faz cumprir a Lei?

Agora uma coisa é fato, se a vaquejada é inconstitucional, o Ministério Público deverá ter a honestidade e ombridade de propor esse tipo de ADI também contra todos os encontros de boiadeiros que ocorrem em todo o Brasil. Pois hipocrisia não, o que vale para a vaquejada no nordeste tem que valer para todos os rodeios nesse brasilzão de Deus.

Precisamos evoluir

Pedro MPE (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Não sou vegetariano, adoro uma churrascaria, acho que homem é homem e bicho é bicho, cada um no seu quadrado, MAS dizer que uma pratica dessas como a vaquejada é um valor cultural ai já é demais. O ser humano tem evoluído na compreensão dos animais, da dignidade (relativa) desses seres, e o direito não pode desconsiderar isso, ficar alheio à proteção mínima das outras espécies. Em suma, é incompatível com o nosso atual grau civilizatório compreender praticas cruéis e desnecessárias contra os animais como um "valor cultural", sob pena de incidirmos nos mesmos equívocos de antigas civilizações, cujas praticas hoje repudiamos (a exemplo do sacrifício público de crianças e mulheres virgens pelos astecas, normalmente aceito por aquela sociedade e posteriormente repreendido pelos espanhóis).

Que prevaleça a atual jurisprudência da corte.

Sérgio Renault (Advogado Autônomo)

A Suprema corte brasileira, com os julgamentos da farra do boi e das rinhas de galo, deu um grande passo civilizatório como colocado pelo Janot.

Todos os seres vivos hoje, são vistos como um patrimônio da humanidade, e não devem ser instrumentalizados apenas para diversão alheia, principalmente quando envolver qualquer forma de crueldade com os animais.

Até pouco tempo, era normal crianças "brincarem" de estilingue para acertar aves, será hoje essa prática aceitável?

Recentemente tivemos o abominável exemplo do caçador americano que exercendo uma "pratica cultural", acabou por atirar no leão símbolo do país, eu não tenho dúvida de que para muitos povos, caçar é uma prática cultural, mas será tal prática aceitável nos dias de hoje?

Acho que essa, como muitas outras, são formas "culturais", que podem e devem ser substituídas por outras mais dignas do respeito do seres humanos, por todas as formas de vida.

Não cabe aqui o argumento que a vaquejada é muito mais light que a caça, por que aqui entra o respeito a cultura de cada povo. Independente da intensidade da prática, o fato é que existe nas duas práticas, crueldade com os animais, e isso, sem uma justificativa expressiva de nenhum dos lados, apenas estaria aqui a questão "cultural", o que conflitando com a proteção do Meio Ambiente, ao meu ver, não há como prevalecer.

Comentar

Comentários encerrados em 20/08/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.