Consultor Jurídico

Colunas

Segunda Leitura

Parceiros e amor geram reflexos nas profissões jurídicas

Comentários de leitores

5 comentários

pois entao

fpimentel (Funcionário público)

Retratou muito bem a realidade. Agora soma-se isso a minha condicao de concurseiro, advgodo iniciante e Evangelico da A.D.

Casamento. Fim não desejado.

PM-SC (Advogado Assalariado - Civil)

Prof. Vladimir, sempre com seus preciosos artigos.
Também sei de um caso de: "E a juíza, casada com um servidor da Justiça ─ fato comum no Judiciário".
No caso, depois de não muito tempo ela separou-se do serventuário, vale dizer, talvez, por incompatibilidade cultural. Depois da separação passou a conviver temporariamente com juízes, também separados, mas não se consolidou uma convivência tradicional de casamento ou de união similar.

Assunto delicado

Voluntária (Administrador)

Muito bom. A coluna trata de assunto muito delicado, talvez nunca analisado. Basta olhar em volta de nossas relações de família e amizade para ver como o ou a parceira influem diretamente na vida de um profissional. Aliás, em todas profissões e não só nas jurídicas.

Será?

Marco Antonio De Boni (Advogado Autônomo)

Será mesmo Doutor que é isso aí? Será que o futuro não reserva nada diferente? Será que os valores e premissas do sucesso serão sempre os mesmos? Com todo respeito, mas que desânimo!

Parceiros no amor geram reflexos nas profissões jurídicas

6345 (Advogado Autônomo)

Parabéns ao Desembargador articulista por essa feliz reflexão, que, na verdade, na verdade, nãos é para ser restrita aos que desempenham profissões jurídicas, pois é útil para todas as profissões.
Felicitações.

Comentar

Comentários encerrados em 4/05/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.