Consultor Jurídico

Notícias

Influência indevida

TJ-RS anula sessão do Tribunal do Júri
por menção à prisão cautelar do réu

Comentários de leitores

8 comentários

sinseramente?

Neli (Procurador do Município)

O STJ quer ser mais realista do que a Própria norma legal. O Promotor de Justiça pode utilizar de todos os meios,contidos nos autos, para efetuar a acusação.

\"justicinha capenga"

Gusto (Advogado Autônomo - Financeiro)

Coitadinho do réu, afinal estava preso cautelarmente não pelo delito cometido, mas para um regime de engorda às custas da sociedade. Portanto, não se poderia usar o fato como argumento no júri. Pelo amor de nosso Criador, onde vamos parar? Por que a alegação é ilegítima? Onde o equívoco, o erro, a mentira, o falseamento se o vagabo estava detido cautelarmente exatamente porque utilizou de seus baixos pendores, de sua estrutura espiritual primata para aniquilar a vida de outrem? Realmente, o júri se tornou em definitivo um circo de baixíssima qualidade e os Tribunais cada vez mais constituídos por togados medíocres.

Menor!

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O menor ajudou o acusado, não estava sendo julgado. Prestem atenção antes de comentar!

Soberba

Roxin Hungria de Calamandrei (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

É a soberba da magistratura togada em detrimento da soberania popular. O rol do artigo 478 do CPP, além de ser inconstitucional, é taxativo, já que limita o direito à livre manifestação das partes. Não demorará muito para que haja interpretaçãojurisprudencial obrigando o juiz presidente a entregar apenas a cédula SIM aos jurados quando da votação do quesito obrigatório "O jurado absolve o acusado?"
É o desvalor da vida em prol do réu-assassino, Sua Excelência!

Sr. Magnum

Léo Demetrius (Advogado Autônomo)

O sr. é mesmo advogado? Como passou na OAB? Afinal sua opinião aqui parece ser de um total leigo.

Sr. Magnum

Léo Demetrius (Advogado Autônomo)

Menor não comete crime. Comete ato infracional. é impossível que o jurí julgue um crime cometido pelo menor, pelo simples motivo que é impossível que um menor cometa crimes.

O que esperar?

Soan Ribeiro (Advogado Autônomo)

Em tempos em que se discute a extinção do Tribunal do Júri, há quem defenda a sua competência para julgar crimes contra a vida praticados por menores de idade, sob o argumento de que "evitaria-se a impunidade dos menores assassinos e atribuiria-se à sociedade o julgamento dos mesmos, com a análise do discernimento deles a respeito do crime praticado". Diante disso, qualquer consideração a respeito se torna dispensável.

Júri

Resec (Advogado Autônomo)

Sei que não vem ao caso, mas vou levantar uma questão sobre a utilização do Tribunal do Júri: Porque não utilizá-lo para julgar os crimes contra a vida praticados por menores ? Nesse caso, evitaria-se a impunidade dos menores assassinos e atribuiria-se à sociedade o julgamento dos mesmos, com a análise do discernimento deles a respeito do crime praticado.

Comentar

Comentários encerrados em 24/09/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.