Consultor Jurídico

"Sem Pena"

Sistema carcerário brasileiro e justiça criminal são retratados em documentário

Retornar ao texto

Comentários de leitores

4 comentários

Aumento da criminalidade ou da criminalizarão?

Ismael Castro (Estudante de Direito - Criminal)

Não e surpresa alguma alcançarmos tal patamar de terceiro ou segundo pais do mundo em número de presos. O que nos assemelha a esses países que estão em igual ou pior situação que a nossa? A ausência do Estado? A aplicabilidade das leis? A política incoerente de ressocializacao? O desejo de retribuição na aplicação da pena pelo magistrado como resposta aos males sofridos pela sociedade hodierna? A tentativa de justificar as atitudes bárbaras cometidas pelo total desapego ao sentimento fraterno-humanitário? O que nos traz a essa condição de desespero jurídico no âmbito penal pode ser a ausência de coragem para reconhecermos que não estamos nem de longe "dando a cada um o que é seu" algumas e quem sabe todas dessas questões supramencionadas não podemos responder sem culpa. " quem não tem pecado atire a primeira pedra" sabia e irrefutável frase, todos queremos lançar várias pedras sobre o indivíduo que comete o crime, porém o sábio preceito nos conduz a refletir e questionar: odiamos o crime ou o criminoso?

Excludente ?

Resec (Advogado Autônomo)

... "insegurança através do aumento do número de prisões, e um sistema muito excludente" ???

Então a linguiça está mordendo o cachorro ! Desde quando a existência ou o aumento de prisões gera insegurança ? Esse sistema é excludente ? (exclui quem ?)

Obviamente o sistema deve ser melhorado para que os presos sejam acomodados em número ideal, até porque a pena é a prisão e não o sofrimento por excesso de lotação e etc.

O que não se pode fazer e distorcer isso e transformar a prisão como algo desnecessário.

Perda de tempo

João Ricardo 1 (Outros)

Só pelo trailer já dá pra ter uma ideia do enfoque do filme: os "coitadinhos vítimas da sociedade presos" e a Justiça como "carrasca desumana". Façam uma pesquisa com a população e vão apurar que a maioria acha que está bom até demais, pois eles tem refeição garantida, visita íntima, banho de sol, dentre outros, coisas que a maioria dos trabalhadores não possuem.
Aliás, tenho certeza de que a pena de morte tem plena aceitação popular.
Esse filme é pro público de sempre, aqueles preocupados, de seus gabinetes, carros blindados e seguranças, com a "democracia" e os direitos dos criminosos, deixando a população desprotegida à mercê da criminalidade incontrolável.
Ah, nenhum cavalo está preso pq não roubou, estuprou ou matou ninguém, não é mesmo?

Incoerente

Igor Moreira (Servidor)

Por que será que vivemos em uma 'cultura do medo'? Será que é porque as pessoas que hoje sofrem nas prisões causaram sofrimento ao que vivem fora delas? Pelo trailer, vi que o filme traz alguns discursos como se fossem verdades absolutas, como "por que prendemos se não dá certo?" ou que "a prisão é uma vingança injusta". Por essas ideias vejo que esse filme não vai surtir efeito social. A doutrina penalista já está muito à frente desses questionamentos. Prender é melhor que não prender, e isso não é "vingança injusta".

Comentar

Comentários encerrados em 22/09/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.