Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Bons antecedentes

Associações de juízes elogiam filtragem para indicações de ministros do STJ

Por 

A iniciativa do ministro Francisco Falcão, presidente do Superior Tribunal de Justiça, de consultar o nome dos indicados à vaga de ministro junto a Polícia Federal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e Conselho Nacional de Justiça, foi bem recebida por juízes.

O presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), João Ricardo Costa, lembra que essa espécie de ficha limpa já é uma exigência para ingressar na carreira, quando o candidato é obrigado a apresentar uma série de certidões que comprovam os bons antecedentes morais e sociais. 

"Os critérios para a escolha de um ministro no STJ são outros, mas os princípios são os mesmos do início da carreira. É preciso essa transparência. Ao consultar os nomes dos indicados junto a Polícia Federal, o STJ está buscando informações para saber se não há nada que os desabone", explica João Ricardo.

Para ele, este procedimento é bastante razoável e ajudará a garantir os melhores candidatos ao cargo. "Nós apoiamos toda e qualquer forma transparente de ingresso na magistratura que venha trazer para o Judiciário os melhores quadros", conclui.

"Faxina ética"
André Augusto Salvador Bezerra, presidente do conselho executivo da Associação Juízes para a Democracia (AJD), também gostou da ideia. Porém, ele observa que esta averiguação deve seguir esses valores, sendo um ato público e oferecendo o direito do contraditório.

"O que não se pode é trazer para a nomeação do STJ uma demagógica faxina ética, que, de forma nada ética, desconsidere os princípios de um Estado Democrático de Direito", afirma. Bezerra observa ainda que tão importante quanto a chamada ficha limpa do magistrado indicado é a sua história de defesa da democracia e dos Direitos Humanos.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 8 de setembro de 2014, 16h08

Comentários de leitores

5 comentários

"Bons antecedentes"

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O que é ter "bons antecedentes"? É ser omisso e aceitar passivamente tudo o que os agentes públicos querem? É pagar a maior carga tributária do mundo sem reclamar? É ir aos jogos da Copa e empunhar a bandeira do Brasil sem se preocupar com o desperdício de dinheiro público? É como juiz, advogado ou promotor postular ou decidir sempre de acordo com as determinações dos governantes?

Filtragem para stj

José Carlos Silva (Advogado Autônomo)

A ideia não é ma, porém, seria melhor estabelecer a Eleição indireta, via Magistrados, Desembargadores e Ministros. Far-se-ia uma Lista, como ocorre para indicar representantes da OAB, por exemplo, e estes indicados seriam eleitos por seus pares. O que não pode é continuar com indicações políticas que depois nos deixam "com a pulga atrás da orelha".

Sem lógica

Zelia ADV1 (Advogado Assalariado - Tributária)

Então estamos assim: Pra virar Ministro do STJ, é obrigatório ter ficha limpa na Abin, PF e CNJ.
Agora, para ser Ministro do STF, basta conhecer o Dilmão Campeão e a diretoria ilibada que ela pôs na Petrobrás, para se ter noção de quem poderia ir parar no STF!
Esse país eh uma piada mesmo!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 16/09/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.