Consultor Jurídico

Notícias

Pensão à grávida

Mensagem de Whatsapp é usada como prova de suposta paternidade

Comentários de leitores

6 comentários

Prezados,

Nicolás Baldomá (Advogado Associado a Escritório)

a "prova" foi utilizada para verificação da verossimilhança para fixação liminar dos alimentos. Não é definitivo. Não há nem demonstração de que, de fato, o juiz analisou o celular da moça, senão as conversas coladas na inicial.
.
De toda sorte, ainda que seja possível forjar conversas, é possível verificar facilmente se cada uma das falas partiu de aparelho associado ao número do réu.
.
De fato, SSA2011. Dá fácil acesso ao usuário do Facebook do rapaz.

Triste sinal dos tempos...

Observador.. (Economista)

Toda história.Alguém mal conhecer outra pessoa e, nos dias de hoje (com tanta informação), ainda gerar um filho.Pobre criança.Torcerei para ser bem-vinda ao mundo. Mas não entendo estas pessoas....Se acham tão modernas e são tão antigas em seus comportamentos irresponsáveis...
Quanto à decisão.....só digo que é possível forjar conversar em aplicativos como o Whatsapp. Perigoso precedente, como já bem apontou outro comentarista.

Precedente perigoso

Izildo Souza (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Existem vários aplicativos que montam conversas de comunicadores instantâneos, e são de fácil utilização, pelo que considero perigoso este precedente, visto que são de fácil manipulação.

A notícia traz o nome do rapaz.

SSA2011 (Outros)

Leiam bem a transcrição da conversa, em um trecho é possível ver o nome do rapaz. Não deveria ser sigiloso?

Inacreditável

Vignon (Advogado Autônomo - Tributária)

Eu não consigo entender esta reprodução irresponsável. Mais um filho sem pai presente.

Sinal dos tempos.

Vitor Guglinski (Advogado Autônomo - Consumidor)

Pois é... relacionamento por meio eletrônico não faz com que o filho venha por pen drive.

Comentar

Comentários encerrados em 31/10/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.