Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Direito e política

Veja o desempenho da comunidade jurídica nas eleições de 2014

Por 

Dos 25,3 mil candidatos em todo o país, 6% são advogados, o que deixa a advocacia como segunda colocada no ranking das ocupações dentre os que enviaram dados à Justiça Eleitoral, atrás apenas do empresariado. Apurados os resultados do primeiro turno das Eleições, que aconteceu neste domingo (5/10), alguns membros da comunidade jurídica já garantiram o cargo, enquanto outros seguem vivos no segundo turno.

Michel Temer e Aloysio Nunes

Na disputa pela Presidência da República, dois advogados seguem na briga. O doutor em Direito Michel Temer (PMDB), candidato a vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff (PT); e o ex-ministro da Justiça Aloysio Nunes (PSDB), candidato a vice-presidente na chapa de Aécio Neves. Já os candidatos à Presidência Luciana Genro (PSOL) e José Maria Eymael (PSDC), ambos advogados, ficaram longe de serem eleitos.

Nas disputas pelos governos, o destaque na comunidade jurídica foi a eleição de Flávio Dino (PCdoB) (foto), eleito no primeiro turno para comandar o estado do Maranhão. Dino, que deixou a magistratura federal para ser político, obteve 63% dos votos válidos, contra 33% de Lobão Filho (PMDB), apoiado pelo senador José Sarney. Quem também se elegeu em primeiro turno foi o ex-procurador da República Pedro Taques (PDT), que irá governar o estado de Mato Grosso. Em Sergipe, o advogado Belivaldo Chagas Silva (PSB), será o vice-governador. Sua chapa, que tem Jackson Barreto como governador, foi eleita com 53% dos votos. 

O advogado trabalhista e ex-ministro da Justiça Tarso Genro (PT) (foto), que disputa o governo do Rio Grande do Sul, vai para o segundo turno. Outros advogados que disputarão o segundo turno para governador de seus estados são: Robinson Faria (PSD) e o presidente da Câmra dos Deputados Henrique Eduardo Alves (PMDB), no Rio Grande do Norte; Cássio Cunha Lima (PSDB) na Paraíba; e o ministro da Justiça no governo FHC Iris Rezende (PMDB) em Goiás. Foram derrotados o advogado Pimenta da Veiga (PSDB-MG), candidato tucano ao governo mineiro; e o ex-presidente da OAB, José Roberto Batochio (PMDB-SP), que foi candidato a vice-governador de SP na chapa de Paulo Skaf.

Para o Senado, três representantes de comunidade jurídica garantiram vaga. Em Mato Grosso do Sul foi eleita a advogada Simone Tebet, do PMDB (52,61%). Filha do senador Ramez Tebet, já falecido, é mestra em Direito do Estado e doutoranda em Direito Constitucional pela PUC-SP. Já foi prefeita em Três Lagoas (MS), sua cidade natal. Em Minas Gerais, o eleito foi o advogado Antonio Anastasia, do PSDB (56,73%). Bacharel e mestre em Direito pela UFMG, foi também professor de Direito Administrativo naquela Universidade até deixar o cargo para seguir carreira política, primeiro como vice-governador e depois coo titular do governo do estado de Minas Gerais. Formada em Direito pela Universidade Federal de Sergipe, Maria do Carmo Alves, foi reeleita senadora pelo DEM de Sergipe (48,91%). Fez carreira política à sombra de seu marido, o ex-governador João Alves.  A ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça Eliana Calmon (PSB-BA) (foto), que antecipou a aposentadoria na magistratura para fazer carreira política, não conseguiu se eleger para o Senado, ficando em terceiro lugar na Bahia.

O delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz (PCdoB-SP), que nas eleições de 2010 conseguiu a vaga de deputado federal graças aos votos obtidos pelo palhaço Tiririca, não conseguiu se reeleger. Dessa vez, o delegado, que responde na Justiça por fraudes na condução da operação satiagraha, conseguiu apenas 27,9 mil votos. O ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro, Wadih Damous (PT-RJ), também não conseguiu se eleger.

Já Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) (foto), advogado previdenciário e líder da Frente Parlamentar dos Advogados na Câmara dos Deputados, conseguiu novo mandato. O advogado Sérgio Zveiter, do PSD, irmão do desembargador Luiz Zveiter, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, também conseguiu se eleger pelo seu estado, o Rio de Janeiro. 

Em São Paulo, o procurador de Justiça Fernando Capez, do Ministério Público do estado, foi o deputado estadual mais votado, com 306 mil votos. Quem também se elegeu foi o delegado Olim (PP-SP), com 195 mil votos. Mesma sorte não tiveram Rosana Chiavassa (PSB-SP) e Flávio D’Urso (PTB-SP), que não conseguiram um bom desempenho. Os dois advogados são conhecidos por sua ativa participação na política interna da seccional paulista da OAB. Flávio é filho do ex-presidente da OAB-SP, Luis Flávio Borges D'Urso.

Presidência - 2º Turno Votos
Michel Temer (PMDB) - vice na chapa de Dilma Rousseff (PT)43.267.668 (41,5%)
Aloysio Nunes (PSDB) - vice na chapa de Aécio Neves (PSDB)34.897.211 (33,5%)
Não eleitos
Luciana Genro (PSOL)1.612.186 (1,5%)
José Maria Eymael61.250 (0,06%)

UF Governador Votos
MAFlávio Dino (PCdoB)1.877.064 (63,5%)
MTPedro Taques (PDT)833.788 (57,2%)
SEBelivaldo Chagas Silva (PSB) - vice na chapa de Jackson Barreto (PMDB)537.793 (53,2%)
2º Turno
RNHenrique Eduardo Alves (PMDB)702.196 (47,3%)
RNRobinson Faria (PSD)623.614 (42%)
RSTarso Genro (PT)2.005.743 (32,5%)
PBCássio Cunha Lima (PSDB)965.397 (47,4%)
GOIris Rezende (PMDB)898.645 (28,4%)
Não eleitos
SPJosé Batochio (PMDB) - vice na chapa de Paulo Skaf4.594.708 (21,5%)
SPWalter Ciglioni (PRTB)22.822 (0,11%)
MGPimenta da Veiga (PSDB)4.240.706 (41,8%)

UF Senador Votos
MSSimone Tebet (PMDB)640.336 (52,6%)
MGAntonio Anastasia (PSDB)5.102.987 (56,7%)
SEMaria do Carmo (DEM)448.102 (48,9%)
Não eleitos
BAEliana Calmon (PSB)502.928 (8,4%)
ESJoão Coser (PT)338.810 (20,1%)
SCPaulo Bornhausen (PSB)1.172.948 (38,3%)
SCMilton Mendes de Oliveira (PT)428.000 (14%)
MSAlcides Bernal (PP)204.262 (16,7%)
DFAldemário Araújo Castro (PSOL)20.697 (1,4%)

UF Deputado Federal Votos
SPArnaldo Faria de Sá (PTB)112.940 (0,54%)
RJSergio Zveiter (PSD)57.587 (0,76%)
SPGilberto Nascimento (PSC)120.044 (0,5%)
Não eleitos
SPProtógenes Queiroz (PCdoB)27.978 (0,13%)
SPGuilherme Sartori (PTB)18.464 (0,09%)
RJWadih Damous37.814 (0,5%)
PBOdon Bezerra (PT)22.253 (1,1%)

UF Deputado Estadual Votos
SPFernando Capez (PSDB)306.268 (1,4%)
SPDelegado Olim (PP)195.932 (0,96%)
RJDelegada Martha Rocha (PSD)52.698 (0.68%)
Não eleitos
SPRosana Chiavassa (PSB)9.487 (0,05%)
SPFlávio D'Urso (PTB)4.782 (0,02%)
RSLuisa Stern (PT)631 (0,01%)

* Notícia alterada às 16h56 desta segunda-feira (6/10) para correção de informações.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 6 de outubro de 2014, 12h37

Comentários de leitores

5 comentários

Nem tudo está perdido

Prætor (Outros)

2016 está logo ali. Nada impede que Eliana Calmon, caso queira, tente uma vaga na Câmara de Vereadores de Salvador.

Parabéns aos baianos!

Prætor (Outros)

A candidatura de Eliana Calmon afundou. De nada valeram suas frases de efeito e seu "estilo"...
Parabéns aos baianos. Tomaram a decisão certa.

Acrescente.

Bellbird (Funcionário público)

Foram 09 delegados federais. Incluir Delegado Torgan, Marcos Reateghi

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 14/10/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.