Consultor Jurídico

Seguridade Social

OAB reage à orientação a beneficiário para não contratar advogado

Retornar ao texto

Comentários de leitores

6 comentários

Descumprimento do art. 37 da CF/88

Márcio R. de Paula (Estudante de Direito - Previdenciária)

Infelizmente, para os segurados, é necessário a atuação do advogado, mesmo nos casos de requerimentos administrativos. Digo isso, face ao descumprimento, por parte da autarquia, do disposto no artigo 37 da CF/88.
Invariavelmente beneficios são concedidos contendo erros, normalmente de calculo do valor do beneficio, que nos leva a presupor que existe impericia ou mesmo má-fé de quem concede havendo no caso flagrante desrespeito ao citado artigo constitucional e em face do que dispõe a lei 8213/91 no artigo que trata da decadencia do direito o segurado tem que ter a certeza de que não esta sendo espoliado de seu direito. Se a autarquia respeitasse plenamente o disposto no citado artigo constitucional não haveria a necessidade do auxilio do advogado.

gsantos (Serventuário)

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Se você não é serventuário do INSS não sabe do que está falando.

Eis a razão....

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Advogado, no exercício da profissão, não se submete às exageradas omissões e retardamentos (agendamentos, prazos, filas intermináveis...) para o atendimento.
Se o cidadão abdica do Advogado, não cria problema para o INSS... E não provoca "prejuízo" ao Estado.
Simples assim...
Só não é simples explicar por qual motivo o cidadão, logo depois que comparece ao INSS e dá entrada em requerimentos passa a receber quilos de mala-direta... Como os remetentes sabem?
E depois o Advogado honesto é obrigado a "ouvir" abobrinha?

E precisa?

George Rumiatto Santos (Procurador Federal)

E precisa de advogado para mero atendimento ou requerimento administrativo no INSS?
-
Por que motivo os advogados querem chegar antes, quando sequer há conflito? Se o cidadão agenda seu atendimento, comparece no INSS e tem seu benefício deferido, por que deixar um naco do seu direito com terceiro, a título de honorários?

mais um absurdo

C.Gonçalves (Administrador)

Era o que faltava, não basta alguns menbros do judiciario permitirem o massacre das verbas alimenticias de sucumbencia que o advogado recebe, tolhendo desta forma um direito ja assistido pela lei, ainda vêm mais um orgão publico tambem se meter no trabalho exercido pelos advogados em suas demandas junto ao INSS, estão querendo realmente desequilibrar o profissional do direito e afundar de uma vez a nossa profissão ja tão massacrada insinuando desta forma que não somos mais necessarios para a administração da justiça, isso tem que ter fim, antes que eles consigam nos finalizar.

O texto deveria ser alterado

mva (Funcionário público)

Na minha modesta opinião o INSS deveria veicular um texto expressando que o segurado somente deve contratar um advogado se o benefício for negado administrativamente. Com isso, evita-se que os parcos recursos advindos dos benefícios do RGPS sejam destinados a pessoas que não são os reais segurados da previdência social.

Comentar

Comentários encerrados em 7/12/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.