Consultor Jurídico

Comentários de leitores

7 comentários

Excelente ideia!

Modestino (Advogado Assalariado - Administrativa)

A vaidade de certas pessoas, mesmo em se tratando de jovens acadêmicos que deveriam apreender os ensinamentos de profissionais mais experientes, os leva a se interessar apenas por teorias, doutrinas extravagantes etc.

Vai estudar

Amaralsantista (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Realmente perdeste um tempo pseudo precioso, caro estudante Wal. Sugiro que estude cada vez mais, visite outros sitios e sites que venham a te dar conhecimentos suficientes para que possas, um dia talvez, ter a capacidade do articulista. Com esse comentário ridículo duvido que chegues em algum lugar de destaque. no campo criminal chegarás, quem sabe, a um advogadozinho de porta de cadeia.

Balela

Wallyson Vilarinho da Cruz (Advogado Autônomo)

Não acredito que perdi meu tempo vendo isso. Só besteira, só balela...

Confessionário público

PM-SC (Advogado Autônomo - Civil)

Meu Professor Vladimir:
Ideia excelente! Contudo, imagino que a
maioria dos profissionais de nível superior por
certo alimenta alto grau de vaidade pessoal,
dai a impossibilidade de inscrição para o evento.
Aliás, essas confissões pessoais em público acontecem muito em reuniões de certas religiões e até nas de viciados em drogas, geralmente envolvendo pessoas simples com vontade de mudança comportamental, o que é muito bom.

Bom para estudantes

Voluntária (Administrador)

O artigo fala sério brincando. A sugestão é boa, mostraria a fraqueza natural das pessoas e ensinaria a se aprender com os erros. É bom para todos, mais ainda para estudantes que pensam que os bem sucedidos são super homens e na verdade não são.

Ficção

Amaralsantista (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Excelente texto onde nós, operadores do direito, por alguns minutos viajamos no imaginário, na ficção ou num pesadelo. O Professor Vladimir com todo conhecimento acumulado, nos presenteou com essa pérola, um texto onde podemos refletir e olhar para traz e com certeza recordar os nossos erros, nossas derrotas e poder, com os pés no chão, dizer a todos que nos cercam que somos seres normais. Se acertamos muito mais do que erramos, podemos nos sentir vitoriosos. Humanos normais erram, e é com os erros que aprendemos a seguir em frente. Mais uma vez parabenizo o ilustre articulista, esperando a próxima coluna semana que vem, onde certamente virá com outro texto agradável e inteligente.

Excelente

Fernando Rs (Professor)

Excelente artigo. Um evento desses serviria para prevenir grandes equivocos dos proffissionais do direito.

Comentar

Comentários encerrados em 1/12/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.