Consultor Jurídico

Notícias

Erros e inverdades

No site do STF, Joaquim Barbosa critica reportagem

Comentários de leitores

9 comentários

Errei...

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Não falei da GloboNews.
Errei!
Pensei que outros pudessem ter lido a entrevista com o mesmo D´Avila, publicada aqui no Conjur.
Errei!
Errei!
Pensei que o fato relativo a dois jornalistas fossem de conhecimento de leitores do Conjur; fatos mencionados no mesmo Conjur.
Errei! Ao pensar que mais alguém prestaria atenção na aba "Leia Também", relativo aos dias 22/03 e 23/03...
Errei!
Que ingenuidade a minha!

O.E.O (Outros),

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Não houve deselegância alguma de minha parte. O que há é um melindre exacerbado da sua em receber uma crítica por não ter sabido expor seu pensamento com clareza e de modo adequado para que todos que o lessem o entendessem com o sentido que o sr. pretendeu imprimir-lhe, vezo, aliás, típico da maioria dos brasileiros.
.
Devo lembrar-lhe que no seu comentário, alvo da minha crítica, em nenhum momento o sr. teve a preocupação de fazer qualquer distinção entre o jornalista a que se refere a nota expedida pelo min. JB e o jornalista veterano Roberto D’Ávila, nem sequer de esclarecer que a alusão feita a este último referia-se à entrevista divulgada pela Globo News.
.
Nada disso. O sr. preferiu a fórmula rasa, superficial e entimemática que, para ser indulgente com o sr., na melhor das hipóteses conduz o pensamento pelos labirintos da ambiguidade que autoriza presumir ter sr. referido ao jornalista Roberto D’Ávila como sendo aquele que produzira a matéria jornalística repudiada pelo min. JB.
.
Portanto, sugiro que ao expressar seu pensamento, o faça de modo mais claro, do contrário, não poderá legitimamente cobrar daqueles que o lerem a compreensão daquilo que desejou transmitir.
.
Com relação a não saber como lidar com as críticas que se lhe dirigem os que leem seus escritos, aconselho-o a: não divulgar o que escrever; ou aprender a lidar com as críticas dos que com o sr. não concordarem ou não compreenderem o sentido do que o sr. escreveu, seja por uma deficiência do leitor, seja por uma deficiência do escritor. Afinal, a alteridade distingue cada um do outro e o modo como cada um reage aos influxos exteriores.
.
Cordiais saudações,
.
(a) Sérgio Niemeyer
Advogado – Mestre em Direito pela USP – sergioniemeyer@adv.oabsp.org.br

tá na chuva...

frank_rj (Outro)

barbosão escolheu um caminho político e midiático para sua atuação. agora aguenta.

Erro da redação

Paulo Plaisant (Advogado Autônomo - Dano Moral)

A palavra é decano.E não, decando...........

Dr. Sérgio,

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Aprecio muito os seus comentários. Não gosto de ser grosseiro com colegas de profissão, isso acentua a marca da desunião e o pensamento de que somos predatórios entre nós.
Perdoe-me, mas o senhor, comigo, foi de uma deselegância...
Dr.,
Onde foi que eu "disse" que o entrevistador interpelado foi o Roberto D´Avila? Onde está afirmado isso?
Mas vou explicar. Assisti, de sábado para domingo, a entrevista; e depois, no domingo, a reprise da mesma entrevista. D´Avila é D´Avila. Foi bem recebido por JB, o qual inclusive agradeceu o convite do Jornalista ("J" maiúsculo!). E apesar de ser Roberto D´Avila em sua apresentação inaugural na GloboNews, ele "penou" para que o precavido JB falasse...
Daí o motivo de eu dizer "até pelo fato de que Roberto D´Avila (experiente e notável entrevistador) penou para arrancar algo de JB." Então... Se - o interpelado - quis pegar atalho...
Mas confesso que gostava muito D´Avila na TV Cultura.
Acho que não preciso explicar mais daquilo que NÃO escrevi.

Confusão interpretativa

ratio essendi (Administrador)

A mim me parece que o comentarista O.E.O. (Outros) não quis afirmar que o jornalista tenha sido Roberto D'Avila.
Ao revés, quer me parecer que houve uma menção honrosa a este, o qual, numa outra oportunidade entrevistara o Min. Joaquim Barbosa e, apesar de sua larga experiência, pouco teria logrado extrair do entrevistado. A critica, nessa esteira, teria sido direcionada ao jornalista responsável pela notícia veiculada, combatida pelo Ministro - sequer citado na manifestação lançada, inquinada de precipitada e quiçá, ilegal.
Estou enganada?
Saudações.

O.E.O (Outros),

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Quem foi que disse que o jornalista em questão é o veterano Roberto D'Ávila?
.
Na notícia não consta o nome do jornalista a que se refere a nota do min. JB. Por isso, antes de comentar fazendo suposições malucas, procure informar-se melhor para não lançar máculas sobre outra pessoa.
.
Para seu conhecimento, o jornalista que escreveu a matéria da revista Época chama-se Diego Escosteguy (http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2014/03/joaquim-barbosa-bnao-serei-candidatob-presidente.html).
.
Se o senhor fosse mais prudente e menos precipitado, se não sofresse do mal endêmico que acomete todo ou quase todo brasileiro, que é esse de emitir opiniões infundadas sem conhecer adequadamente os fatos e logo fazer prejulgamentos, não incorreria no erro que incorreu e que pode causar-lhe sérios transtornos, pois, afinal, o senhor sugeriu que o jornalista Roberto D’Ávila teria saído da linha ética do jornalismo.
.
(a) Sérgio Niemeyer
Advogado – Mestre em Direito pela USP – sergioniemeyer@adv.oabsp.org.br

Discordo, em parte.

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Se foi isso que ocorreu, o jornalista foi muito "sem noção", até pelo fato de que Roberto D´Avila (experiente e notável entrevistador) penou para arrancar algo de JB. Se quis pegar atalho...
Bom, mas para quem o jornalista ligou? Para a casa/celular de JB ou para o STF?
Onde o jornalista foi recebido? Na casa, no sítio, no rancho de JB ou no STF?

Confusão entre público e privado

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O Ministro Joaquim Barbosa possui todo o direito de se manifestar publicamente criticando postura de jornalista que entende como inadequada, mas não através do site institucional do STF, que é propriedade minha e de todos os demais 200 milhões de brasileiros, e não de Joaquim Barbosa.

Comentar

Comentários encerrados em 3/04/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.