Consultor Jurídico

Notícias

Procedimento administrativo

CNJ afasta magistrado do PA acusado de venda de sentenças

Comentários de leitores

4 comentários

Não sei....

Observador.. (Economista)

O que pensar.Se o magistrado for inocente.....
Contudo, em um país onde o corporativismo (em todos os setores) prevalece e sendo o Brasil um país de castas, não deixa de ser um alento começarem a noticiar que estão - os poderes da República - mais empenhados em separar o joio do trigo.
Infelizmente não acredito que é assim.Pena.Acho que uns poucos se ferram até para seguir aquela "lei" que diz da exceção só fortalecer a regra...e a regra é os grupos se protegerem.Uns aqui e acolá se tornam bodes expiatórios.Talvez por não terem padrinhos, não sei.Talvez por não serem populares entre os pares.
Mas não é a regra.Aqui a regra, quando se tem poder, é não punir os iguais.Talvez para não abrir precedente; quando se resolve limpar o pó embaixo do tapete, podemos nos surpreender com o quanto deixamos ficar escondido sob ele.
Tomara que esta pessoa tenha feito, de fato, o procedimento que lhe é imputado.Pois a injustiça, seja a quem for impingida, é um dos piores males que pode se abater sobre a pessoa de bem e decente.

O exmo. Juiz precisa reativar a memória

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Excelência: o seu colega "ali mazloun" foi injuriado, deu a volta por cima, provou a inocência,continua no cargo e ainda está processando meio mundo. Não vejo por onde possa haver algum prejuízo para quem efetivamente for inocente.Ademais o caso objetivamente tratado é da maior importância, em especial neste sítio jurídico frequentado pela classe dos advogados e juízes.

corporativismo??? Aqui não!!!

roberto guimarães (Advogado Autônomo)

Me desculpe Sr. Carpetro, mas o senhor perdeu a oportunidade de ficar quieto. A uma, porque assim como o zé que furta roupa na loja e tem sua imagem estampada no Datena (sem o devido processo), a conduta, em tese, delituosa do Sr. magistrado é de maior interesse coletivo e muito mais danosa ao seio social que aquela do Zé da esquina. Então vamos deixar de hipocrisia e começar a aceitar que vivemos em outros tempos!!! A duas, o que o Sr. quis dizer com o fato dele ter entrado pelo quinto dos advogados e não ser juiz de carreira??? por obséquio seja mais claro!!!

E a inocência até prova em contrário?

carpetro (Juiz Estadual de 2ª. Instância)

Nada justifica a exposição grosseira e política feita pelo cnj em seu site e aqui. A imagem do magistrado que ainda irá se defender em um pad deve ser preservada !
Como veiculada a notícia, digo que nunca mais, mesmo provando-se a inocência de forma absoluta, o ora desembargador recuperará sua dignidade !
Anoto, finalmente, que o ora desembargador não é juia de carreira, tendo entrado nela pelo quinto dos advogados.

Comentar

Comentários encerrados em 1/04/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.