Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Eleição 2014

Elias Rosa lança campanha e divulga balanço do MP-SP

Por 

Candidato à reeleição para a chefia do Ministério Público paulista, o procurador Márcio Elias Rosa lançou nesta quinta-feira (6/3) a campanha “O novo MP já existe”, com um balanço do biênio 2012-2014. Segundo material eletrônico disponível no site da campanha, a gestão resultou em 1,4 mil novos cargos, 253 novos promotores, 1,3 mil promoções e 34 novas sedes. Ele destacou ainda que o Gaeco (grupo de atuação contra organizações criminosas) recuperou R$ 3,2 bilhões aos cofres públicos em 2013.

Rosa (foto) desincompatibilizou-se na semana passada da Procuradoria-Geral de Justiça para disputar as eleições de 5 de abril. Passou a exercer o cargo de forma interina o procurador Álvaro Augusto Fonseca de Arruda. O prazo para inscrições de candidatos terá início na próxima sexta-feira (7/3). Ao menos um outro nome já apareceu na corrida: o procurador Luiz Antonio Marrey, que já atuou no comando da instituição três vezes (1996-1998, 1998-2000 e 2002-2004).

No material divulgado na internet, Elias Rosa atribui ao Ministério Público de São Paulo a liderança pelas manifestações que derrubaram no ano passado a Proposta de Emenda à Constituição 37, que poderia limitar os poderes da instituição no país. Um abaixo-assinado eletrônico criado pelo MP-SP reuniu na época 460 mil assinaturas. O texto diz ainda que o então procurador-geral “levou sua preocupação sobre a PEC às principais lideranças políticas do país”.

Se eleito, ele planeja valorizar carreiras, implantar um núcleo de política penitenciária, apoiar reforma legislativa que modernize a atuação em segunda instância e reivindicar a criação de um fundo próprio de despesas do MP-SP. Rosa defende um novo biênio para “outras grandes conquistas históricas”, com profissionalismo, pluralismo político, critérios objetivos e gestão eficiente.

A votação de abril é uma consulta aos promotores e procuradores. Após o resultado, uma lista tríplice é encaminhada ao governador, responsável pela indicação definitiva. Tanto Rosa como Marrey já foram escolhidos mesmo aparecendo em segundo lugar na eleição.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 6 de março de 2014, 17h51

Comentários de leitores

2 comentários

se não fez antes, não vai fazer agora.

daniel (Outros - Administrativa)

este discurso de mudança é apenas para "fora", nas reuniões com promotores e procuradores tem que prometer que vai pagar verba atrasada e instalar mais promotoria nas melhores cidades para que sejam promovidos ou removidos.
O MPSP nem tem estatísticas sobre a sua eficiência.
Qual o índice de condenação em cada promotoria criminal ? Não sabem.
Qual o crime mais comum ? não sabem.
Qual a média de tempo de condenação ? não sabem.
Qual o promotor que mais tem resultado na área criminal ? Não sabem.
Qual a quantidade de processos judiciais que cada promotoria recebeu no mês de janeiro de 2013 ? Não sabem.
é o caos de gestão. Tem muito corrupto que dá menos prejuízo. Há casos em que a corrupção é menos grave do que a incompetência administrativa.
Não sabem nada, prometem muito, mas nem sabe administrar, não tem dinheiro público que seja suficiente assim.

Difícil mais fácil

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A missão do candidato não é fácil. Qualquer pessoa com um mínimo de cultura sabe que o Ministério Público paulista está muito longe do que seria o mínimo razoável. O que o favorece, no entanto, é o fato de que sua campanha é interna, sendo irrelevante a opinião do povo, dos advogados, e de quem tem que bancar os elevados vencimentos e despesas.

Comentários encerrados em 14/03/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.