Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Segurança de boates

Lei sobre direitos fundamentais não fere separação dos poderes

Uma lei proposta pelo Poder Legislativo para garantir direitos fundamentais dos cidadãos está de acordo com a Constituição e não fere o princípio da separação dos poderes. Esse foi o entendimento do Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo para declarar constitucional, por maioria de votos, legislação promulgada pela Câmara Municipal de Guarujá para regular o funcionamento de boates, casas noturnas e casas de shows na cidade.

A Lei 4.024/2013 implantou regras de segurança, como a necessidade de informação visível sobre a capacidade máxima de lotação dos estabelecimentos, a proibição do uso de sinalizadores no interior das casas, a obrigatoriedade de utilização de materiais não inflamáveis e a presença de profissional especializado para orientação dos clientes em situações de emergência.

A prefeitura contestava a validade da lei em Ação Direta de Inconstitucionalidade, sob o argumento de que houve vício de iniciativa, pois a norma seria de competência exclusiva do chefe do Poder Executivo, além de violação ao princípio da separação dos poderes.

Para o relator, desembargador Roberto Mac Cracken, a medida não feriu a Lei Orgânica do Município ou a Constituição Estadual nem a separação de poderes. “Ao estabelecer diretrizes para o atendimento hábil e digno dos clientes de casa noturnas foi nítida a intenção do legislador municipal em defender o interesse público local e zelar pela segurança dos consumidores, conforme mandamento do artigo 5º da Constituição Federal, que representa o conjunto das garantias e direitos fundamentais dos cidadãos.” Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-SP.

Clique aqui para ler o acórdão.

0190339-62.2013.8.26.0000

Revista Consultor Jurídico, 2 de março de 2014, 14h36

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 10/03/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.