Consultor Jurídico

Comentários de leitores

11 comentários

Horizonte possível?

D. Avlis (Outro)

Infelizmente, as proposições do Prof. Vladimir exigem alguém com sua seriedade e dedicação. Sem parecer catastrófico, cada vez mais os cargos mais elevados são ocupados por concurseiros carreiristas com conhecimentos decorados, mas sem comprometimento nem dedicação. Por isso, fica cada vez mais difícil motivar o pessoal. Além disso, especialmente o Judiciário enfrenta problemas muito complexos com as carreiras de apoio. Por fim, a ótica administrativista, mormente do CNJ, impõe aos magistrados uma pressão que, como sói acontecer, explode nos subalternos. Estamos em crise e não vejo solução simples. Por enquanto, arregaço as mangas e tento fazer meu trabalho, apesar de tudo.

Salve!

CARVALHO (Advogado da União)

Ocupo cargo de chefia e parabenizo o autor pelo artigo. Sei bem o que se passa no dia a dia da gestão de um órgão jurídico. O professor foi muito feliz.

Bons exemplos são o que faltam

Paulo Andrade Jr. (Advogado Associado a Escritório)

Quem advoga em comarcas do interior (principamente as mais pequenas) sabe que a regra é o juiz e o promotor trabalharem de terça a quinta e depois correrem para capital. Isso acontece também nas varas da Justiça Federal e da Justiça do Trabalho que estão no interior. Além disso, tem juiz que sequer fala com os servidores da secretaria, só com o diretor ou com algum assessor e olhe lá.
Motivar alguém agindo dessa forma é impossível. Ninguém vai se esforçar no trabalho para no final o reconhecimento ir para um sujeito que nem fala contigo.

Frustração ....

PM-SC (Advogado Autônomo - Civil)

O sempre Mestre Vladimir enriquece a nossa literatura jurídica, principalmente na seara da administração da justiça. Reproduzo a frase que mais gostei do seu artigo:
"Quando falo sucesso não estou a falar de palestras, livros publicados, fotos na mídia. Sucesso aqui significa o cumprimento do dever, atender a população, contornar as dificuldades, em suma auxiliar o próximo". (Madalena).

É preciso evitar a frustração nas carreiras jurídicas

Daniel Nunes Ricarte (Bacharel)

'Vejamos dois exemplos do oposto do que se afirma. O primeiro será um promotor de Justiça assumir a promotoria de uma comarca de interior na terça e retornar para a sua cidade na quinta, disto fazendo depois a rotina de sua vida."
Essa é a pratica recorrente nas promotorias deste país.

Muito bom!

Robson Neves - Advogado (Advogado Autônomo)

Só queria acrescentar que as dificuldades e angústias que afligem os servidores, como relatado, também é freqüente na área privada. São raras as exceções em que o empregador e a estrutura reconhece cada um dos profissionais.
Bem, aprendi que se não buscarmos motivação em nossos princípios, esperando o externo, poderemos sucumbir em nossa jornada. Não é fácil!
Tenho fé que um dia todos nós tenhamos a consciência que somos iguais, independente se servidor ou empregado ou patrão! Todos iremos nos tratar buscando o bem em si mesmo!!!!

Parabéns

Mauro Gonçalves de Souza (Servidor)

"Cirúrgicos" os comentários!!! Como sempre são muito boas as lições do Professor Vladimir!!!

Belo texto.

Delta Alexandre Ramos (Delegado de Polícia Estadual)

Um belo texto sobre a atual conjuntura a qual somos submetidos no início de uma carreira pública.

utopia

Gustavo Muroni (Estudante de Direito)

Seria fantástico, porém vejo como uma utopia, infelizmente

Questão de consciência

Voluntária (Administrador)

No serviço público trabalhar ou não é mais um assunto pessoal, uma questão de consciência. Isto se aprende em casa, os pais ensinam. Se não ensinaram será difícil mudar.

Excelente

Mateus Silva (Defensor Público Estadual)

Muito bom. Realmente liderar uma equipe logo após a aprovação no concurso e sem experiência nenhuma assusta. Dicas muito boas! Parabéns pelo texto.

Comentar

Comentários encerrados em 26/05/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.