Consultor Jurídico

Notícias

Norma geral

Exigência de agendamento prévio no INSS também vale para advogados

Comentários de leitores

12 comentários

Advogados como o Pintar...

Axel (Bacharel)

Advogados como o Pintar eu conheço aos montes. Na internet e na OAB são uns leões. Na frente do juiz são gatinhos...

A advocacia cada vez mais enfraquecida.

Immanuel Kant (Advogado Sócio de Escritório)

Do jeito que a coisa anda (a interpretação da lei pelos aplicadores) daqui a algum tempo os advogados privados terão de pedir desculpas aos servidores públicos (substantivo no mínimo intrigante) por estarem ocupando algum espaço físico em alguma repartição pública. Terão de dizer: - olha, desculpe por estar tomando o seu tempo, por estar aqui representando o meu cliente, desculpe por estar ocupando o espaço físico deste prédio público para exercer o meu trabalho, que é representar os interesses de alguém que teve o seu direito vilipendiado ou o reconhecimento deste sem violação, por este ter sido reconhecido apenas formalmente e não na prática -. Aviltar o trabalho dos advogados é o maior ataque que um país que se diz democrático, ou mais ainda, civilizado, pode desferir aos seus cidadãos.

Nós não estamos a serviço do PT

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Não consigo entender por qual motivo alguns insistem reiteradamente em acreditar que nós advogados estamos aqui para servir ao PT. Ora, se o Partido dos Trabalhadores não coloca nas agências da Previdência Social um número suficiente de servidores para atender a todos indistintamente de imediato (advogados ou não), porque o Partido quer usar o dinheiro que seria gasto com a atividade para criar cargos comissionados e empregar vagabundos em busca de apoio político, nós advogados não temos nada com isso. Nós vamos continuar a exigir que a Previdência Social cumpra suas finalidades porque nós advogados não somos vassalos do PT. Nós não nos beneficiamos com os cargos comissionados. Nós não nos beneficiamos com o bilhões de reais livremente distribuídos em "ONGs". Nós não nos beneficiamos com a roubalheira que toma conta do Estado brasileiro. Nós não vamos falsear a verdade, nem criar argumentos falaciosos para justificar o injustificável. O que nós vamos fazer é continuar exigindo o cumprimento da lei, de modo a QUE TODOS SEJAM ATENDIDOS DE IMEDIATO em TODAS AS AGÊNCIAS DO INSS doa a quem doer, ainda que muitos dos comensais da República percam seus cargos comissionados para usar o dinheiro contratando servidores autárquicos para atender a todos que procurem uma agência do INSS, de imediato, sem postergações, filas, agendamentos, ou qualquer outra bobagem que vise justificar o não atendimento, e o descumprimento da Constituição Federal.

Cara de pau

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Vejo que a "cara de pau" é na verdade vossa, sr. Axel (Bacharel), ao vir a público sustentar a derrogação da leis e de entendimentos jurisprudenciais consagrados em prol de vossa vontade e sentimentos pessoais. Se o sr. tivesse um mínimo de compostura iria antes de dizer essas bobagens se informar, e verificar que quando um advogado vai ao INSS ele pode estar postulando também o direito de idosos, doentes, pessoas em estado de necessidade. Mais do que isso, o sr. deveria verificar nos termos do que já foi posto de forma clara pelo Supremo que o INSS deve atender a TODOS, de forma IMEDIATA, pretos, brancos, advogados, não advogados, novos e velhos. Assim, se a "velhinha" que o sr. cita prefere se subordinar ao Executivo Federal e permanecer em pé em uma fila quando a lei lhe autoriza o atendimento imediato em todos os casos, tal opção da "velhinha" não pode vincular a advocacia. Nós advogados temos o direito de ser atendidos de imediato em qualquer repartição pública, da mesma forma que o cidadão comum. Porém, se o cidadão comum é bocó, trouxa, vassalo, imbecil, idiota, submisso, tolo, e fica em pé na fila sem reclamar e sem exigir seu direito de ser atendido de imediato (exatamente como o Executivo quer), essa conduta submissa não pode vincular a advocacia. Quem quiser ficar em pé em fila por horas a fio sem reclamar que fique. Quem quiser se prostituir, usar drogas, que o faça. Quem quiser ser bajulador de político, vivendo de bolsa família em troca de voto, que assim o seja. No entanto, nenhuma dessas condutas ou opções serão capazes de fazer com que os demais tenham seus direitos suprimidos porque outros não o exerceram.

O "jeitinho brasileiro" dos advogados

Axel (Bacharel)

Ou seja, os advogados, apenas pelo fato de serem advogados, pretendem "furar" a fila, passando à frente inclusive de pessoas bastante idosas e muitas delas doentes.
Quem já viu um posto do INSS por dentro sabe da quantidade de velhinhos e velhinhas que mal se aguentam de pé, esperando atendimento.
Aí aparece o advogado, com a saúde perfeita, às vezes com vinte e poucos anos, achando-se no direito de ser atendido prioritariamente.
É muita cara-de-pau desta classe. Se isso continuasse, logo iriam querer furar também a fila do banco, do supermercado, do táxi.

Quer instituir sistema paralelo

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Lei a decisão do STF e o Estatuto da Advocacia, sr. Prætor (Outros), antes de dizer bobagens.

Aterrador!

Prætor (Outros)

Então o cidadão é penalizado por tentar solucionar, ele próprio, uma questão administrativa no INSS, pois verá aqueles assistidos por advogado passando na frente.
O cidadão acaba sendo humilhado por não ter aceitado pagar a despesa com advogado.
ATERRADOR!
A decisão do Supremo foi em um caso específico, não vincula e mereceria maior reflexão.
Não à ditadura dos advogados!

Penalizar é preciso

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O Brasil não sairá do buraco enquanto não começar a punir juízes que negam vigência à lei visando lesar as partes, aliás como já prevê o art. 133 do Código de Processo Civil. Veja-se, por exemplo, que nos últimos 20 anos nós não temos no Brasil uma única condenação de magistrado por ter agido de forma dolosa visando prejudicar a parte, embora isso seja uma realidade cotidiana no Judiciário.

Ditadura Jurisdicional

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Quando o Brasil vai se livrar dessa Ditadura Jurisdicional, com cada juiz tendo suas leis próprias? Como bem disse um colega abaixo o STF já se manifestou de forma incisiva sobre a matéria, reiterando que o advogado deve ser atendido imediatamente por todas as repartições pública, independentemente de agendamento ou qualquer outro empecilho. Na ocasião do julgamento o Supremo até mesmo determinou fosse oficiado ao Ministro da Previdência para que a situação fosse regularizada.

Já foi decidido pelo STF

Bruno W (Advogado Autônomo - Trabalhista)

RECURSO EXTRAORDINÁRIO 277.065 RIO GRANDE DO SUL
RELATOR : MIN. MARCO AURÉLIO
RECTE.(S) :INSTITUTO NACIONAL DE SEGURO SOCIAL - INSS
PROC.(A/S)(ES) :PROCURADOR-GERAL FEDERAL
RECDO.(A/S) :ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SEÇÃO DO RIO GRANDE DO SUL
ADV.(A/S) :MÍRIAM CRISTINA KRAICZK E OUTRO(A/S)
INSS – ATENDIMENTO – ADVOGADOS. Descabe impor aos
advogados, no mister da profissão, a obtenção de ficha de atendimento. A formalidade não se coaduna sequer com o direito dos cidadãos em geral de serem atendidos pelo Estado de imediato, sem submeter-se à peregrinação verificada costumeiramente em se tratando do Instituto.

Exigência de agendamento

Nelson Leite Filho (Advogado Autônomo)

A dispensa de agendamento pelos advogados já foi deferida pela STF basta ver a decisão no Recurso Extraordinário 277.065, portanto, os causídicos não precisam de obtenção de senha ou qualquer outro procedimento similar.

Isonomia já!

Prætor (Outros)

Nada de fura-fila!

Comentar

Comentários encerrados em 24/06/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.