Consultor Jurídico

Comentários de leitores

7 comentários

Um pouco de prudência seria bom para todos

Ramiro. (Advogado Autônomo - Criminal)

Em política tudo são pretextos.
Desapaixonadamente começo a ver sinais de fumaça, possibiidade de novos projetos de lei no futuro. Uma nova constituinte pode se tornar uma tônica.
Antes se me falassem em nova constituição, mas hoje, a elite econômica está sufocada com a política fiscal, com o espírito ficalista dos tribunais.
Setores politicamente fortes no Congresso podem ver oportunidade para uma reforma constitucional geral, e se eu fosse apostar em seguimentos que podem perder e perder muito apostaria em perdas para magistratura e para ministério público.
A advocacia, esta já está na lama há muito tempo. As bases da pirâmide estão carcomidas há bom tempo, mas quando o ápice da pirâmide se apercebe, é que quando a estrutura já está ruindo.
Convém lembrar que bastou como pretexto o discurso do deputado Márcio Moreira Alves para justificar o já planejado AI-5...

Pergunta

Veritas veritas (Outros)

Esta é a grei a que se referiu JB?

Palavras e tons

Varão de Plutarco (Industrial)

O colega Pintar analisa as palavras proferidas, de forma linear.
Há que se analisar o contexto.
Ministros (como o próprio Marco Aurélio) já ficaram meses, anos - há casos envolvendo mais de década - com vista de processos, e nenhum advogado se viu no direito de rodar a baiana.
Há que se analisar o tom empregado pelo advogado.
Há que se analisar o próprio semblante dos colegas presentes, ao fundo, visivelmente constrangidos com o atuar do advogado.
Lamentavelmente, vejo as opiniões seguirem castas profissionais (pró-juiz ou pró-advogado), enquanto a razão é deixada de lado.
Tribuna não é local para lamentos. Tampouco para dizer que o presidente da sessão deve honrar (a alegação pressupõe que não esteja honrando, logo, é ofensiva) a Corte.
E como dizia Plauto: E era isso...

Clubinho fechado

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O que há, na verdade, é uma enorme cisão dentro da advocacia. Em 98% dos casos de violação de prerrogativa o advogado está só. A OAB, se acionada, instaura processo administrativo disciplinar contra o causídico, ao invés de socorrê-lo, saindo em defesa da autoridade violadora das prerrogativas. Quando se trata de um protegido, no entanto, a Entidade divulga notas, brada aos quatro ventos. A situação é tão grave que um colega foi preso ilegalmente, e sequer comunicou o fato à OAB, com medo de ser enxovalhado e punido. Assim, boa parte dos colegas acabam se posicionando contra a OAB e contra o advogado cuja prerrogativa foi violada, pois sabe que se fosse ele estaria em uma enrascada, sem ajuda da OAB e possivelmente sofrendo processos disciplinares visando persegui-lo. Esse é retrato da advocacia nacional atualmente. Uma classe esfacelada pela atuação nefasta do grupinho que domina da Entidade e a transformou em um clubinho fechado.

Advogado Criminalista?

Roberto Timóteo, advogado (Advogado Autônomo - Criminal)

Caro Dr. Gustavo.
O senhor é mesmo Advogado, especialista em Direito Criminal?
Ao ler seu ataque à honra de um colega, custo a crer!
Tem todo o direito de discordar da forma de atuação do colega, mas, penso eu, passa da medida ao ferir-lhe a reputação, gratuitamente.

Almoço

Gustavo  (Advogado Associado a Escritório - Criminal)

O almoço no qual o advogado foi recebido com abraços foi na Papuda???????

Iguais!

Fernando Romero Teixeira (Prestador de Serviço)

Aves de mesma plumagem voam juntas!

Comentar

Comentários encerrados em 24/06/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.