Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Funk ostentação

Músico preso por tráfico é liberado por ser réu primário

Por 

Um acusado de tráfico de drogas tecnicamente primário e sem prova de vínculo com organização criminosa, quando condenado, faz jus à redução de pena, que não será superior a dois anos e deverá ser cumprida em regime aberto. Com base nesse entendimento, a juíza Débora Faitarone, da 1ª Vara Criminal de São Vicente, concedeu liberdade provisória a um músico surpreendido por policiais militares com 19 cápsulas de cocaína, 22 frascos de lança-perfume e cerca de R$ 300.

A prisão em flagrante ocorreu na madrugada da última segunda-feira (20/1), em São Vicente, litoral de São Paulo. Dentro do carro do acusado, os policiais apreenderam cerca de R$ 500.

Em depoimento à polícia, o cantor de funk MC Kauan Mariz de Oliveira, conhecido também como Koringa, negou ser traficante, admitindo a condição de usuário de drogas. Os produtores do artista, por sua vez, alegaram que ele não precisaria vender entorpecentes, porque fatura de cachê até R$ 60 mil por dia de apresentação.

Comprovantes de residência fixa, da ocupação lícita e dos rendimentos mensais obtidos nos shows do MC foram juntados ao pedido de revogação da prisão preventiva formulado pelos advogados Marcelo Cruz e Yuri Ramos Cruz.

A defesa também sustentou que eventual condenação sujeitaria o acusado a pena inferior a dois anos, a ser cumprida em regime aberto, não sendo justificável a manutenção da prisão quando ainda prevalece o princípio da presunção de inocência.

O promotor Marcelo Perez Locatelli opinou pelo indeferimento do pedido, que, segundo ele, seria um meio de garantir a ordem pública. Caso não fosse esse o entendimento da magistrada, o representante do Ministério Público requereu a aplicação da medida cautelar consistente no acusado comparecer mensalmente em juízo para justificar as suas atividades.

A juíza acolheu o pedido dos advogados e aplicou a medida cautelar sugerida pelo promotor. No final da tarde de quarta-feira (22/1), foi cumprido o alvará de soltura e MC Kauan deixou o Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Vicente.

O caput do Artigo 33 da Lei 11.343/2006 prevê pena de 5 a 15 anos de reclusão ao tráfico de drogas. Porém, o parágrafo 4º possibilita a redução de um sexto a dois terços se o agente for primário, de bons antecedentes e não integrar organização criminosa.

 é jornalista.

Revista Consultor Jurídico, 24 de janeiro de 2014, 14h27

Comentários de leitores

1 comentário

Músico preso por tráfico é liberado por ser réu primário.

Renato C. Pavanelli. (Advogado Autônomo - Civil)

24 janeiro 2014
Funk ostentação
Músico preso por tráfico é liberado por ser réu primário.
Comentar o que não é?
O/s sujeitos dessa linhagem, cantam, pregam,idolatram e estimula a violência, não respeitar a lei, a ordem e autoridades constituídas, é pego por tráfico e nada acontece no âmbito do judiciário.
O Brasil virou uma festa para todo tipo de ilegalidade, o importante é deixar "Pra Lá" como dizem eles, o bom é curtir e acompanhar o "BONDE".

Comentários encerrados em 01/02/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.