Consultor Jurídico

Comentários de leitores

9 comentários

Lamentável

Wakil Asad (Advogado Autônomo - Civil)

Função de advogado é defender seu cliente, e não ironizar membro do Tribunal que o julgou.
Se ele entende que a viagem representa alguma irregularidade, que proponha a medida adequada, seja ela qual for.

Fogo amigo

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Penso que a presente reportagem veicula tão somente picuinhas forenses, conforme já disse em um comentário que por motivos desconhecidos não se encontra mais disponível. De qualquer forma, expresso aqui publicamente repúdio a qualquer forma de discriminação de advogados pela função que exerçam ou por quem defendam, uma vez que não podemos confundir o cliente com o advogado, lembrando que os colegas criminalistas enfrentam dificuldades inúmeras para o exercício da profissão, notadamente se tratando de causas de apelo midiático, quando só a condenação interesse mesmo quando o acusado é inocente. Não sejamos nós advogados algozes dos próprios advogados.

Min.Barbosa

Observador.. (Economista)

Concordo com o que escreveu o comentarista Hammer acrescentando o que disse o comentarista Viralgo.Se fosse um João Ninguém, não teria esta celeuma toda.
Mas já que não se trata de um João Ninguém e estamos em Bruzundanga, o Ministro Barbosa deveria esquecer um pouco a maravilhosa Paris e cuidar para que as coisas fluam nesta nação cada vez mais cindida e confusa.
Paris e Miami (dependendo do gosto) tem atraído muitos que - talvez - tenham vontade de esquecer como anda caótico estes tristes trópicos.
Tomara que surja uma geração com mais senso de pátria, legado, história e queiram fazer algo para mudar o país para melhor, torná-lo menos violento e mais civilizado, não através da empáfia, soberba, excesso de teoria com pouca prática, ou mera conetada mas através de um árduo, pesado e desafiante trabalho que terão pela frente, fardo deixado pela atual geração de dirigentes brasileiros.

Advogado de bandido só apita nos autos

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

O problema de alguns colegas (advºs. de bandidos) é que parecem já ter nascido com esse dom: -defender bandido até nas horas de folga- Dr. Toron, dê um tempo, tome um copo d'água,; vá receber os honorários do seu cliente gatuno e não encha o nosso saco com baboseiras.

Joaquim Barbosa critica colegas....

hrb (Advogado Autônomo)

Penso que o ministro agiu corretamente pois não poderia assinar, como justificou, antes da publicação, e os ministros, no exercício da presidência, poderiam ter feito isso, na sua ausência. Tratava-se de mero ofício à Polícia Federal para cumprimento da decisão prisional. Agora, o ministro Joaquim Barbosa, querendo, poderá sentir-se ofendido com a acidez da crítica do advogado patrono, uma vez que, de férias, não estava fazendo nada errado, quando comprava (informa o Estadão) uma lembrança para alguém... Ainda, o deputado condenado não precisa aguardar voz de prisão, se diz que se apresentará espontaneamente. É uma contradição desse parlamentar, que já deveria ter perdido o cargo....

Todos os "petralhas" contra Barbosa

Cirovisk (Outros)

Concordo com todos os termos do leitor Hammer, os petralhas continuam em sua campanha contra o Min. Barbosa através de seus muito bem pagos (será q com dinheiro público?) advogados e partidários.

e segue a campanha bem azeitada contra o Barbosão

hammer eduardo (Consultor)

Realmente fica dificil fazer as coisas no Brasil . Se o Cara assinasse a ordem para enjaular o VAGABUNDO na porta de entrada do Avião para Paris , iam dizer que era requinte de perseguição especifica contra o "probo" joao paulo cunha e sua carinha de coroinha de igreja de suburbio.
Por outro lado trabalhar naquele estacionamento de "estrelas" do Direito deve ser bem complicado tambem . Fica a pergunta a respeito do fato de que se os demais poderiam ter assinado , porque não o fizeram ? A nobre ministra carmem lucia historicamente passa longe de vespeiros deste tamanho e levianovsky , bem esse ai Eu passo pois se disser o que penso dele , a tesoura "Armando falcão" do CONJUR entra em cena , me preocupo apenas quando esta criatura assumir o STF na sequencia , vai ser o periodo do "liberou geral" para a petralhada e sua base ( ou seria quadrilha?) aliada.......
De qualquer maneira discordo educadamente do Ministro Barbosa pois creio que Ele escorregou na casca de banana com relação a prisão deste MELIANTE petista , deveria ter assinado SIM antes de sair do Pais , principalmente para evitar piadinhas de medalhões do direito que so funcionam movidos a "ouro pesado" e catam pelo em ovo , motivo pelo qual o Pais esta a maravilhosa ZONA atual.

Parabéns dr. Toron

Marcellus Glaucus Gerassi Parente (Advogado Sócio de Escritório)

Parabéns ao Dr. Alberto Zacharias Toron, pois com todo o respeito que devemos ter a um Ministro do STF, não podemos admitir que o Min. Joaquim Barbosa venha a continuar "jogando para a platéia", em especial para aqueles que adoram pitonizar sobre o Poder Judiciário. O Ínclito atual presidente do STF joga uma responsabilidade que lhe é exclusiva, inclusive por força do regimento Interno do STF, qual seja, de deliberar acerca de processos sob sua relatoria, como no caso da AP 220, sendo certo que como Ministro Relator, é sua e exclusiva a função de deliberação nos Autos sob sua relatoria, e as decisões acerca da expedição de mandados de prisão em decorrência de trânsito em julgado é do realtor, e não do Presidente em exercício do Pretório Excelso. Parabéns Dr. Toron para trazer lume a esta afirmação no mínimo dúbia do Ministro Joaquim Barbosa.

Depende de quem a decisão pode atingir

Viralgo (Oficial da Polícia Militar)

Como todo mundo ainda pode pensar, penso eu também, e não tenho dúvida, se a decisão acerca do cumprimento da prisão atingisse um JOÃO-NINGUÉM, qualquer um dos excelentíssimos ministros que sucederam na Presidência do STF não teriam dúvida a condenação com trânsito em julgado desafia uma consequencia lógica sistemática, que seja, o início do cumprimento da pena.
Basta de firulas, o direito não se resume a um dispositivo do RISTF, e mais do que isso, é um sistema.

Comentar

Comentários encerrados em 31/01/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.