Consultor Jurídico

Notícias

Divergências na Junta

Presidente da Jucesp deixa cargo após três meses

Comentários de leitores

8 comentários

Desolação...

Ecio Perin Jr (Professor Universitário - Empresarial)

Fico desolado, em saber que as garras da burocracia venceram, mais uma vez!!! Em meus vinte anos de militância na área de direito empresarial, professor da PUC/SP e do Instituto Presbiteriano Mackenzie, posso atestar que as melhores gestões da JUCESP estiveram sob o comando do Prof. Armando Rovai. É uma lástima, perder a oportunidade de desburocratizar essa autarquia tão importante para o dia-a-dia do empresário brasileiro! São Paulo perde…, o Brasil perde! Fica aqui a minha indignação!

Profissional gabaritado

Ricardo Bento (Advogado Sócio de Escritório)

Dr.Armando Rovai é um profissional honesto e honrado. A recondução ao cargo de Presidente da JUCESP pela terceira vez demonstra sua habilitação ao exercício daquela função. A política nos demonstra que alguns valores, para certas pessoas, não são transacionáveis. Aquela instituição perde a oportunidade de ser conduzida por uma homem de gabarito. Certamente, Dr. Rovai encontrará novos caminhos para seguir sua vida de homem de bem, deixando a política para os outros.

E com ele vai a esperança de uma Jucesp moderna e eficaz...

Rogério Fonseca (Outros)

A nomeação do Dr. Armando, indubitavelmente o melhor presidente que a Junta Comercial já teve, trouxe com ele a esperança de que a JUCESP buscasse a modernidade e a eficácia na prestação de um serviço público tão essencial para o desenvolvimento do país.
Quem acompanhou as gestões anteriores do Dr. Armando sabe o quanto ele fez, e o quanto mais ele poderia fazer... vai com ele a nossa esperança de uma JUCESP moderna e eficaz...
Quem o conhece sabe que uma pessoa dedicada e batalhadora como ele não deixaria o cargo por um motivo qualquer.
Sinceramente não consigo imaginar outro nome do mesmo calibre para implementar as mudanças que a JUCESP necessita...

Junta comercial - serviço publico de pessima qualidade

Alexandre Pereda - consultor paralegal (Consultor)

Quero aqui me exaltar pela saida do Dr. Armando Luiz Rovai , que sem duvidas foi O MELHOR PRESIDENTE DA JUCESP , o mesmo sabia como tratar o usuário e cumprir a Lei Estadual do Usuario de Serviço Publico , Lei 10294/99 , assim os Advogados , Contadores e Usuarios eram prontamente atendidos e resolviam seus problemas .
SITUAÇÃO ATUAL : A JUCESP NÃO ESTA CUMPRINDO A LEI ESTADUAL 10294/99 , OS DOCUMENTOS ESTÃO SENDO ACUMULADOS E COM ISSO MUITA DEMORA , AS EXIGENCIAS QUE SÃO FORMULADAS MUITAS DELAS SÃO INDEVIDAS , SOLICITAR UM FOTOCOPIA DE DOCUMENTO É QUASE QUE IMPOSSIVEL OBTER PELO FATO DE TANTA DEMORA .
O ACESSO AO SETOR DE GABINETE DA PRESIDENCIA , TORNOU BLINDADO , NÃO PODENDO SE QUE NINGUEM SOLICITAR ALGUNS ESCLARECIMENTO E PEDIDOS .
PARECE QUE A JUCESP GERA MUITA DIFICULDADE !!!

Situação inaceitável

Jarbas Andrade Machioni (Advogado Sócio de Escritório)

Lamentável, o prof. Armando Rovai é sem dúvida o mais preparado jurista para presider a Junta Comercial. É uma pena a sua saída.
No mais, a situação da Junta Comercial, que deveria ser mero órgão de registro e repositório de usos e costumes empresariais, auxiliando o comércio e indústria, tornou-se um monstro que cria óbices quase intransponíveis para se abrir uma empresa.
Já para fechar uma empresa é diferente: é praticamente impossível fazê-lo.
E hoje, antes de chegar ao registro de um documento, ainda há a necessidade de passar pela Receita Federal e pela Estadual. Uma corrida obstáculos.
Cada vez mais, Investir no Brasil não é proibido mas é proibiitivo.
O governador deveria prestar atenção a esse fato e tornar a burocracia do Estado de São Paulo a mais amigável do país para o empresário, e não um pesadelo.
Jarbas Machioni

Declarações que impressionam.

Carolina Almeida (Advogado Associado a Escritório - Civil)

O que mais chama atenção nos motivos da renúncia?
Acho que as seguintes declarações: "'Não me vi em condições de decidir plenamente, porque minhas atribuições lá eram reduzidas.' Ele afirma que a autarquia tem hoje uma estrutura burocrática e morosa, o que faz uma certidão demorar oito meses para ser expedida e torna difícil o acesso a advogados, desrespeitando o estatuto da categoria".
Ora, o que o Dr. Rovai coloca é algo extremamente sério: que a Autarquia não tem de fato autonomia (o que sugere a interferência política no órgão). Se o presidente afirma que "minhas atribuições lá eram reduzidas", isso significa que tem alguém mandando politicamente no órgão.
Seria o Secretário Rodrigo Garcia, que controla a Secretaria de Desenvolvimento?
No mais, a matéria deveria se aprofundar no "bate-boca" e pesquisar junto ao procurador do Estado José Procópio qual seria o motivo dessa desavença.
Uma renúncia em pouco mais de 3 meses... é algo estranho demais!

Jucesp

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Se antes de ser autarquia, a JUCESP já não funcionava...
Imagine agora, que o seu aparato é muito mais afinado com a Secretaria da Fazenda?
Talvez o objetivo da Procuradoria seja amarrar futuras cobranças fiscais, deixando sem saída os sócios que conseguem registrar seus atos de constituição de sociedades.

Jucesp

Eduardo Nascimento (Funcionário público)

A administração pública deve produzir resultado acima de qualquer coisa. Nesse episódio ao que parece venceu mais uma vez a cultura organizacional (burocrática, sem compromisso com resultados).

Comentar

Comentários encerrados em 26/01/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.