Consultor Jurídico

Notícias

Magistrado de carreira

Dilma indica juiz-auditor José Barroso Filho para vaga no STM

A presidente Dilma Rousseff encaminhou ao Senado a indicação do juiz-auditor José Barroso Filho para o Superior Tribunal Militar, em vaga que pertence a um representante da magistratura de carreira. A cadeira estava vaga desde a aposentadoria do ministro Carlos Alberto Marques Soares, em junho de 2013. José Barroso Filho é magistrado desde 1992, atua como professor e, de acordo com o STM, é reconhecido pela atuação voltada à promoção da cidadania e à inclusão social.

Ele atuou como promotor de Justiça, juiz estadual, juiz eleitoral e juiz-auditor, além de ter sido juiz-auxiliar da presidência do Conselho Nacional da Justiça e juiz-auxiliar da presidência do Superior Tribunal Militar. Também foi presidente da Associação dos Magistrados da Justiça Militar (Amajum) e integrou a Associação dos Magistrados Brasileiros e a Frentas, entidade que congrega as associações de magistrados e membros do Ministério Público. José Barroso Filho participou do Projeto Rondon, do Grupo de Trabalho Araguaia e do Grupo Especial de Fiscalização Móvel que combatia o trabalho escravo.

Na quarta-feira (12/2), Dilma escolheu os novos integrantes dos tribunais superiores. O desembargador Néfi Cordeiro, do Tribunal Regional da 4ª Região, foi escolhido ministro do Superior Tribunal de Justiça; o desembargador Douglas Alencar Rodrigues, do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (DF/TO), foi escolhido para o Tribunal Superior do Trabalho; e o advogado Tarcísio Vieira de Carvalho Neto é o novo ministro substituto do Tribunal Superior Eleitoral, em uma das vagas destinadas à advocacia. A presidente Dilma ainda tem em mãos as listas tríplices de nomes que ocuparão vagas nos tribunais regionais federais. No entanto, essa decisão ficou para depois. A informação que circula em Brasília é que os nomes dos futuros desembargadores federais devem ser escolhidos no fim do mês. Com informações da Assessoria de Imprensa do STM.

Revista Consultor Jurídico, 13 de fevereiro de 2014, 17h09

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 21/02/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.