Consultor Jurídico

Notícias

Valor simbólico

Cidadãos processam fabricantes de componentes de Fukushima

Cerca de 1.400 pessoas entraram com ação em um tribunal de Tóquio contra três empresas que fabricaram os principais componentes de tecnologia da usina nuclear de Fukushima. Cada requerente pede às japonesas Toshiba, Hitachi e à norte-americana General Electric uma compensação simbólica de 100 ienes (o equivalente a R$ 2,37)pelos prejuízos provocados pelo acidente ocorrido em 2011, segundo a emissora pública de televisão NHK.

Para os autores da ação, os três fabricantes de tecnologia nuclear não tomaram as medidas necessárias, apesar de especialistas terem alertado sobre a possibilidade de um acidente grave em caso de tsunami. O grupo é composto, em sua maioria, por cidadãos do município de Fukushima. Nenhuma das empresas quis se manifestar.

A lei japonesa de compensação em caso de acidente nuclear apenas considera responsáveis as empresas que operam as centrais – no caso a Tokyo Electric Power (Tepco) – no que diz respeito ao pagamento de indenizações. Para o grupo, no entanto, essa lei protege a indústria nuclear e é inconstitucional.

O terremoto e o tsunami que atingiram, em 11 de março de 2011, a usina de Fukushima Daiichi provocaram o pior acidente nuclear desde Chernobil, em 1986. As emissões radioativas mantêm afastadas, quase três anos depois do acidente, cerca de 53 mil pessoas que viviam na área da central, e afetaram gravemente a agricultura, pecuária e pesca locais. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 1 de fevereiro de 2014, 18h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 09/02/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.