Consultor Jurídico

Artigos

Espírito conciliador

A anistia em sua mais legítima vocação é ampla, geral e irrestrita

Comentários de leitores

10 comentários

Viva o alzheimer também !!!

Willson (Bacharel)

O artigo apresenta argumentos bastante consistentes e respeitáveis, mas peca por uma generalização, que é hoje a principal base de justificação do arbítrio estatal do golpe de 64. Ora, nem todo esquerdista queria uma outra ditadura, ou a implantação do comunismo. Para muitos bastava a democracia que foi vilipendiada. A CF que então vigia. Outro dado a considerar: o terrorismo da esquerda poderia ser punido, E FOI. Com mortes, prisões, tortura, exílios, estupros. E a esquerda "terrorista", muitos querem crer, "talvez, hoje melindrasse" o Estado Islâmico, a Al Qaeda e o espírito do Ozama né? Mas foi o golpe militar que a colocou na ilegalidade. Tão poderosa, que não só foi esmagada e suicidada, no bojo da operação Condor, uma colaboração entre países latinoamericanos, Pinochet e etc, visando perseguir qualquer dissidência, uma espécie de mercosul do horror estatal. Muitos sequer tiveram um funeral digno. Quando se viu submergindo frente à inflação e ao individamento externo, o regime tornou-se um pouco mais maleável. Mesmo assim, o que restou foi uma oposição meio coxinha, que se submetia à onipresença do Estado verde oliva, para não se tornar a próxima vítima. Portanto, punição já houve, pelo menos para um lado. Impune ficaram os agentes estatais criminosos, nem todos, claro, muitos até laureados publicamente. O que não surpreende num país no qual Domingos Jorge Velho, o carrasco dos Palmares, é nome de rua em muitas cidades. De qualquer forma, como já dito, o Brasil vai ter que resolver se submete às leis internacionais ou se vai prestigiar as decisões do nosso internacionalmente 'prestigiadíssimo' STF. A não ser que a OEA e a ONU se entusiasme com os muitos VIVAS! dos comentarios daqui, ou com o bem fundamentado artigo. Torçamos!

O povo brasileiro precisa de anistia

Lourenço Stelio Rega Teólogo e Eticista (Professor)

O texto do Dr. Davi Azevedo levanta os fatos históricos do surgimento da anistia e vai ao subsolo do tema, parabéns!
O que necessitamos não é meramente uma reforma política, eleitoral, econômica do país, sem profunda reforma moral de toda malha que configura a vivência de nossa nação. "Nunca antes neste país" se ouviu sobre tanta corrupção descarada, envolvendo empresários e "mensageiros" escolhidos a dedo pelos poderes governamentais para ocupar cargos privilegiados em repartições e empresas governamentais.
Quem necessita de uma anistia é o povo brasileiro, pois vivemos uma ditadura do aproveitamento do patrimônio público, do "levar vantagem" e nós pagamos a conta. Aposentadoria (de quem trabalha na iniciativa privada) é uma piada, hospitais públicos, em geral, são depósito de gente adoecida e candidata a mistanásia . Os impostos que pagamos deveriam redundar em serviços prestados pelo poder público, mas temos de pagar de novo à iniciativa privada (planos de saúde, segurança privada, pedágios, etc), onde temos novamente impostos embutidos. Para obter o serviço pagamos duas vezes.
O poder não corrompe, apenas revela ...
Com quem poderemos contar para obter esta anistia ao povo brasileiro?

Anistia Ampla, Geral e Irrestrita

Gilmar Masini (Médico)

A quem interessou, aos militantes que queriam implantar o comunismo no Brasil de qualquer maneira tanto que depois de 1985, nós temos nos 03 poderes somente descendentes e militantes dessa geração e todos gerindo no mais alto posto e cada vez mais imobilizando o país de ter um crescimento sustentado. NUNCA MAIS teremos o Brasil que sempre quisemos ter, com a igualdade tanto pregada por esta casta que está no poder, mas que a cada dia se distancia mais do povo, fazendo da igualdade um mero discurso retórico de figuras pitorescas.
Eu me atreveria dizer que foi a pior coisa que aconteceu, poderia haver a anistia como cidadão normal, mas nunca com poderes públicos.

Texto lucido

Luiz Fernando Vieira Caldas (Contabilista)

O Texto, por si só é AMPLO GERAL E IRRESTRITO. Não cabendo(mesmo que eu tivesse capacidade para isso) qualquer retoque. Porem, a coragem, decencia e a honestidade, demostrada no comentario do Dr.VALDECIR TRINDADE,(ex-opositor do Regime Militar confesso) é algo que me faz acrditar, ainda, na existencia de homens honrrados no Brasil. Parabens a ambos.
Luiz F.Viera Caldas.

Viva a lei da anistia

Valdecir Trindade (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Corrigindo:

viva a lei da anistia, ampla, geral e irrestrita!

Vila a lei da anistia

Valdecir Trindade (Advogado Autônomo - Trabalhista)

O texto do professor David Teixeira de Azevedo de fato é primoroso. Rico em história, em lógica, enfim, em ciência. Eu como protagonista do movimento de esquerda da época (hoje não mais) confesso que a intenção da esmagadora maioria dos movimentos era a implantação do estado totalitário socialista no Brasil, e jamais a redemocratização, expressão que repudiávamos, pois não acreditávamos na democracia como sistema político, mas tão somente na revolução. Portanto, basta dessa hipocrisia malandra e covarde, no sentido de pretender fazer crer que os movimentos de esquerda eram os mocinhos e os militares eram os bandidos.

(des) memória esquerdista

Rivadávia Rosa (Advogado Autônomo)

Mais um artigo que desmonta as teses falaciosas que diante da justaposição de histórias “éticas concorrentes”, advogam a hegemonia da “verdade” seletiva ou seja (des) memória esquerdista.
Destaco do artigo a citação de Daniel Aarão Reis Filho:

“Um primeiro deslocamento de sentido, promovido pelos partidários da Anistia, apresentou as esquerdas revolucionárias como parte integrante da resistência democrática, uma espécie de braço armado dessa resistência. Apagou-se, assim, a perspectiva ofensiva, revolucionária, que havia moldado aquelas esquerdas. E o fato que elas não eram de modo nenhum apaixonadas pela democracia, francamente desprezada em seus textos."

Um dos melhores artigos que já li

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Raramente deparei com artigo tão esclarecedor, tão rico e, ao mesmo tempo, simples em argumentos diretos, lógicos, e bem construídos, de fácil intelecção por qualquer pessoa, como este do Professor David Teixeira de Azevedo. Não há mais nada a dizer a respeito da legitimidade da anistia.

Àqueles que insistem em dizer que se trata de uma anistia autoconcedida, talvez tenham um pouco de razão, se olharmos o fenômeno sob uma perspectiva total, pois se trata de uma anistia negociada e depois ratificada pela EC 26/85 por todos os que dela aproveitam, que são os protagonistas do regime militar e da resistência antidemocrática que desejava implantar no país um regime marxista à moda do cubano.

Portanto, sob esse ângulo, foi realmente uma anistia autoconcedida, que militares e revolucionários se autoconcederam para viabilizarem a reconstrução do país e a tentativa de implantação da democracia com que a sociedade contemplativa, que não participou de forma ativa nem do governo militar, nem das ações revolucionárias, sonhava e esperava poder contemplar sem tomar partido em favor de qualquer dos lados em disputa.

A pretensão revisionista não passa do perigoso anelo de deixar aceso o estopim da instabilidade que decorre de todo desejo de vingança, por mais tardio que seja, porque impede justamente o sepultamento das paixões, o esquecimento dos fatos que a anistia visa a fazer desvanecer da memória histórica recente para possibilitar a reconstrução saudável de uma nação sobre uma base sólida, incompatível com ressentimentos da luta armada que a precedeu.

VIVA A ANISTIA AMPLA, GERAL E IRRESTRITA!

(a) Sérgio Niemeyer
Advogado – Mestre em Direito pela USP – sergioniemeyer@adv.oabsp.org.br

Revisionismo, não!

zextak (Professor)

Nada a acrescentar a esse esplendoroso texto cujo arrazoado é inquestionável sob todos os aspectos, principalmente do perdão que deveria ser mútuo e jamais revisional.

Prelúdio à histórica contra-revolução de 1964

Bonasser (Advogado Autônomo)

O nobre colega foi direto ao ponto num excelente exercício de imparcialidade na análise e na contextualização do tema. Perfeito, justo e harmonioso, em tudo, mais precisamente no que tange às consequências dos fatos perpetrados por ambos os lados...um verdadeiro flash histórico sem apego partidário ou ideológico.
Perfeito, repito, os ignorantes ao tema, membros da não legitima CNV, smj, deveriam se ater ao conteúdo do seu esplendoroso texto...parabéns.
Abraços.

Carlos Bonasser

Comentar

Comentários encerrados em 2/01/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.