Consultor Jurídico

Indício de fraude

Mesmo com absolvição posterior, não cabe reparação por prisão temporária

Retornar ao texto

Comentários de leitores

5 comentários

Desamparo

Observador.. (Economista)

Nosso judiciário vive de retórica, clichês e pompas. A indenização, em país sério, seria para o estado demonstrar que reconhece seu erro e estimula melhores investigações/acusações, fazendo com que agentes públicos saibam diferenciar "fortes indícios" de "meras impressões".
Um erro reparado, sinaliza à sociedade que seus agentes são instrumentos à serviço da sociedade e havendo erros, serão reparados.
Em Bruzundanga, a sociedade se sente desamparada e tem nos agentes públicos ( claro que não todos ) a percepção de que estes vivem em um mundo e sistema à parte, voltado para si e que usa a sociedade como instrumento de manobra de seus próprios interesses.

prisão temporária

Geraldo Majela Pessoa Tardelli (Advogado Assalariado - Administrativa)

como isso só acontece com os outros, nunca comigo e com meus amigos, prenda-se a vontade.
Pimenta nos olhos dos outros é refresco.

Falsa democracia.

Roberto Timóteo, advogado (Advogado Autônomo - Criminal)

O sujeito é preso e sofre todas as consequências avassaladoras em sua vida, decorrentes do encarceramento e da exposição midiática com que, via de regra, são feitas essas operações, para, depois de ter declarada sua inocência, ingressar com ação reparatória (que jamais vai reparar todo o mal sofrido), e obtém como resposta uma sentença dessa. Isso é Estado Democrático de Direito? E ainda tem uns incautos (inclusive comentaristas com certa frequência neste site) que dizem: quem não deve não teme.

decisão sensata

JUSTIÇA VIVA (Advogado Autônomo - Criminal)

Salvo comprovada má - fé, não há que se falar em indenização em situações que tais. Do contrário, o Estado só estaria legitimado a prender quando houvesse certeza da CONDENAÇÃO.

Pequeno detalhe...

guibreda@hotmail.com (Outros - Criminal)

A prisão foi temporária ou preventiva?

Comentar

Comentários encerrados em 2/09/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.