Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

Fim das contas conjuntas

kele (Bancário)

Ser a própria justiça quebra um contrato de conta conjunta solidaria, imagine onde estamos, trabalho em Banco o que vai acontecer é o fim das contas conjuntas, o banco não pode ser punido, imagine se todos os correntistas com conta conjunta entrarem na justiça questionando a movimentação do outro titular? tem de ser examinado este processo tem algo de podre nisto.

o golpe nao foi dado pela filha...

Celsopin (Economista)

foi dado pela corte que tomou esta decisao de punir o inocente...

Banco indeniza mãe por débito de filha

iranilealferreira (Advogado Sócio de Escritório - Família)

A filha, cara leitora, não merece nem castigo. Para mim, ela deveria ficar bem longe da mãe, pois é uma pessoa desonesta com a própria mãe. Imagine conosco.
-----
O Banco deve sim, indenizá-la, afinal, cabe a ele, o dever de vigilância e diligência.
Parabéns pela DECISÃO.
IRANI DE SOUZA ARAÚJO LEAL FERREIRA - ADVOGADA EM BRASÍLIA.

Se correr o bicho pega se ficar o bicho (condenação) come

EZEQUIEL BERTOLAZO (Advogado Associado a Escritório)

Nem dá para acreditar. Quando querem praticar o populismo, usam até os argumentos os mais despropositados. Se o Banco recusasse o débito e a filha fosse demandar dano moral e material (ora, conta conjunta e/ou pode ser movimentada por qualquer titular) o tribunal daria razão ao Banco?

Viva o dinheiro alheio...

Ademilson Pereira Diniz (Advogado Autônomo - Civil)

É bem verdade que os BANCOS usam e abusam das deficiências alheias para enfiar-lhes créditos e créditos para, ao depois, cobrar-lhes juros verdadeiramente exorbitantes. Agora, no caso da notícia, condenar o BANCO a pagar à mãe pelo golpe que lhe aplicou sua filha, é demais...E a 'filha', não vai responder por nada?

Comentar

Comentários encerrados em 15/04/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.