Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Melhorar em vez de destruir

Daniel André Köhler Berthold (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Nenhuma instituição humana é perfeita.
Há alguns advogados que atendem mal a seus clientes. Há alguns advogados que ficam com o dinheiro que os clientes deveriam receber.
Isso, porém, não é motivo para se defender o fim da Advocacia.
Não se deve pinçar um problema isolado da Defensoria Pública para defender o fim dela.
Fui Juiz de Direito sem e com Defensoria Pública e posso atestar que, com, é muito melhor.
Num país como o nosso, com uma infinidade de possibilidades de recursos processuais, a pessoa que não pode contratar advogado só será bem defendida, como regra geral, se tiver, a seu lado, uma Instituição bem organizada e representada em todos os lugares, que possa acompanhar os desdobramentos do processo onde quer que eles ocorram.
Essa Instituição é a Defensoria Pública, que devemos ajudar a melhorar.

Atendimento

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Há poucos minutos eu via na Globo News uma cidadã reclamando que não estava sendo atendida por um defensor público em uma questão de alimentos. A advogada que estava presente no programa e respondia a perguntas (violando o Código de Ética da Advocacia,diga-se de passagem), disse que era o caso de se buscar a responsabilização do defensor que supostamente não estaria atendendo à usuária, mas não lançou maiores considerações sobre o caso. Será que alguém vai tomar alguma providência?

Sistema de exploração

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A analucia (Bacharel - Família) está com a razão. Analisando os julgados sobre Defensoria Pública e matéria correlatas é fácil verificar que só há brigas por vencimentos, cargos, promoções, etc., etc. Não há uma única discussão a respeito de critérios de eficiência, controle sobre os trabalhos dos defensores, direito de escolha, produtividade, e tantas outras questões importantes que afetam diretamente o objetivo real da Defensoria, que é a defesa do pobre. A assistência judiciária gratuita, infelizmente, é apenas uma mutreta para a criação de cargos aos filhos da classe média, sem absolutamente nenhuma preocupação real com o pobre ou o exercício do direito dos pobres.

para o pobre nada, para o Defensor tudo....

analucia (Bacharel - Família)

nada se fala do pobre, quem é, quais os mecanismos de escolha, apenas focam no interesses corporativistas e de monopólio da defensora com forte apoio do PT federal como instrumento de controle e exploração do pobre e da pobreza.

Comentar

Comentários encerrados em 9/04/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.