Consultor Jurídico

Artigos

Guerra ao passado

Ampliação da quarentena compromete ideais da OAB

Comentários de leitores

4 comentários

Parabéns

Flávio Lucas (Juiz Federal de 1ª. Instância)

Enfim uma voz sensata, vinda da classe, em relação à ilegal decisão da OAB.
É outra coisa quando o tema é analisado por uma pessoa sem recalques ou ressentimentos.
Parabéns ao articulista

Na prática

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Na prática ninguém fica de quarentana. Ela é apenas forma. Todo juiz, desembargador, ministro e até mesmo rábulas ou funcionários ´públicos que queiram advogar, o fazem de forma paralela, sem nenhum problema, por intermédio de amigos ou parentes.A entidade não faz nenhuma fiscalização nesse sentido. O que está em andamento é a guerrinha das violações das proerrogatias pelos juízes e as retaliações da OAB. O Brasil é doutorado no tal de jeitinho brasileiro.

Mundo de ilusão

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Pergunto: qual advogado vai denunciar um outro advogado ex-juiz? Tal prática significa assinar a própria sentença de morte na profissão. Acionado o tribunal de ética o ex-juiz irá contactar os detentores do poder na Ordem, ajustar com eles uma perseguição implacável contra o denunciante oferecendo em troca possibilidades ampla de tráfico de influência, quando as denúncias serão refutadas de imediato. Na sequência, instaurar-se-á processo disciplinar em desfavor do denunciante, seja porque ele "não amarrou os sapatos", seja porque "não abotoou o paletó" ou qualquer outro pretexto, quando lhe será impostas pesadas penalidades através de um tribunal completamente corrompido. A OAB precisa sair no mundo de alienação em que se encontra. De nada adianta criar normas QUE NÃO SERÃO CUMPRIDAS e NÃO PODERÃO SER QUESTIONADAS.

Inócua

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A época de Sobral Pinto, Oscar Niemeyer e Barbosa Lima Sobrinho já passou. A advocacia brasileira está mergulhada em uma profunda decadência moral, na qual os valores da profissão já foram para o espaço desde há muito. Advogar hoje no Brasil significa, via de regra, impor uma derrota ao colega a qualquer custo e a qualquer preço, como se o objetivo primordial fosse o canibalismo profissional. O tráfico de influência que o Articulista desafia seja provado publicamente obviamente que não pode ser comprovado, pois o juiz que recebe 10 mil para decidir certo feito de certa maneira não vai no cartório passar recibo. A medida adotada pela OAB, no entanto, é inócua. Não faz a menor diferença se há norma dizendo que certo juiz aposentado pode ou não advogar porque juízes, sejam aposentados ou não, simplesmente não cumpre regras, mas as criam momento a momento visando atender a seus interesses pessoais.

Comentar

Comentários encerrados em 20/09/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.