Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Justiça do Trabalho

TST define lista tríplice que concorre a vaga de ministro

O Pleno do Tribunal Superior do Trabalho definiu nesta terça-feira (22/10) os nomes dos desembargadores da lista tríplice para preenchimento de vaga de ministro da Corte. Foram escolhidos os desembargadores Maria do Perpétuo Socorro Wanderley de Castro, do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (RN), Alexandre Teixeira de Freitas Bastos Cunha, do TRT-1 (RJ) e Douglas Alencar Rodrigues, do TRT-10 (DF/TO). 

A lista agora será encaminhada à presidente Dilma Rousseff, que decidirá por um dos nomes. O escolhido passará por sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado e, posteriormente, pelo Plenário da casa. Aprovado por maioria absoluta, será nomeado pela presidente novo ministro do TST. O novo ministro ocupará a vaga de Pedro Paulo Teixeira Manus, que anunciou a sua aposentadoria em abril.

Carreiras
Nascida em Assu (RN), a desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Wanderley de Castro foi tomou posse como juíza do trabalho substituta em 1987. Em 1992, foi nomeada juíza titular. Entre 2002 e 2003, atuou no Tribunal Superior do Trabalho como juíza convocada. Formada em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, a desembargadora é também mestre em Direito, Processo e Cidadania.  

Douglas Alencar Rodrigues foi técnico judiciário do TRT da 10ª Região de 1983 a 1990. Aprovado em concurso público, foi juiz do trabalho substituto do TRT da 15ª Região (Campinas/SP) de 1990 a 1992 e do TRT-10 de 1992 a 1994, passando depois a juiz titular. Como desembargador, foi convocado para atuar no TST em 2009. Formado pela Universidade de Brasília, é mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (2005/2007), é professor dos cursos de graduação e pós-graduação em Direito. 

Alexandre Teixeira de Freitas Bastos Cunha é formado em Direito pela Universidade Gama Filho do Rio de Janeiro, doutor em Direito e especialista em negociação coletiva e Direito Sindical pela Universidade Complutense de Madri (Espanha). Juiz do Trabalho desde 2005, integra o Órgão Especial do TRT-1, atuando também na 1ª Turma do Tribunal. É professor de Direito do Trabalho e Processo. Antes de ingressar na magistratura do Trabalho, foi professor de Direito do Trabalho e de pós-graduação na Fundação Getúlio Vargas e na Universidade Cândido Mendes.  Com informações da Assessoria de Imprensa do TST.

Revista Consultor Jurídico, 23 de outubro de 2013, 10h16

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 31/10/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.