Consultor Jurídico

Notícias

Exclusão dos quadros

Advogada consegue direito de se desligar da OAB

Comentários de leitores

12 comentários

Justiça justa

Jorge Florentino (Advogado Autônomo - Criminal)

Os habitantes da Região sul do País se consideram terem formação europeia no que particularmente concordo.Mas infelizmente desta feita a OAB Gaúcha se portou de forma não condizente por sem sombra de dúvida ter violado flagrantemente a Constituição da República Federativa do Brasil.
Ora se a Requerente não se encontrava em condições econômicas para quitar com a inadimplência;se não fosse deferido o pleito na Justiça que provou o que os sulista propagam; por certo o débito só iria aumentar.

Advogada consegue direito de se desligar da OAB

Helio Santiago (Outros)

Q sirva d JUSTA lição e seja referenciada a jurisprudência dessa ação.
A qualificação profissional, competência comprovada através da responsabilidade coadunada pela legitimidade q garanta ao cidadão exercer regularmente suas atividades laborais, independem d sindicalização, conselho e ou associações, ficando ao seu próprio e pessoal arbítrio participar ou ñ d sociedades ou órgãos d classe, condição d direito básica inerente ao indivíduo, enquanto agente social multiplicador d ações, com ou sem a referida participação.
A habilitação dos feitos profissionais do cidadão para com a sociedade, necessita, SIM, d comprovações quanto ao conhecimento da especificidade, dada aos feitos, por meio, se for o caso, d graduação, e, notadamente, pelo próprio mercado, principal meio avaliador d seu ingresso mediante os resultados, méritos d sua devida capacitação.
No mais, há fraudes por demais, compostas por títulos ditos profissionais à locupletar injustas corporações.

Fim do regime de chapas

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A OAB precisa acabar com o sistema de chapas, pois da forma como está não há a necessária representação nos órgãos internos de decisão. Hoje, quem ganha a eleição leva tudo, e o grupo acaba por dominar todas as funções. As eleições deveriam permitir que qualquer advogado se candidatasse a conselheiro seccional, ganhando os mais votados dependendo do número de vagas. O mais votado ficaria com a presidência. Com isso, teríamos advogados de todas as tendências nos órgãos, pelo que haveria debates e finalmente algumas progressões. Por outro lado, o tribunal de ética deve deixar de ser um braço persecutório do grupo dominante. Deve funcionar de forma independente, sem qualquer influência do presidente da seccional ou dos conselheiros estaduais, ao contrário do que acontece hoje.

Eleições na oab

S MONTEIRO (Advogado Autônomo - Trabalhista)

A Ordem dos Advogados do Brasil, faz crítica a classe política. Por sua vez, a eleição interna da OAB, parece mesmo uma eleição partdidária, onde os interesses particulares estão em primeiro lugar. Devemos repensar essa forma de escolha dos representantes da nossa gloriosa ordem.

A OAB precisa ser reinventada.

Edu Bacharel (Estudante de Direito)

Existe a necessidade premente para que a OAB seja reformulada e modernizada. Instituir eleições diretas para o Conselho Federal seria um bom começo para colocá-la no século 21.

Eleições

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Atribuir aos advogados as mazelas da OAB é o mesmo que atribuir aos cidadãos as mazelas e crimes dos políticos, pois esses também são eleitos. Alguém se sente representado pelo Congresso Nacional?

Ciclo vicioso

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Alguém deveria esclarecer o Prætor (Outros) que as "eleições" na OAB são apenas uma fachada. A Entidade se utiliza de um sistema de chapas, ao mesmo tempo em que congressa nos proprietários da gestão o controle do tribunal de ética, cujos componentes são nomeados pessoalmente pelo presidente dos Conselhos Seccionais. Assim, na eleição ou o sujeito monta uma chapa ou não tem como concorrer a nada. As chapas, por sua vez, são montadas atendendo-se a interesses internos, e no momento da votação a maior sempre vota na situação já que eles possuem o controle total do tribunal de ética, que pode instaurar processos até de ofício no mais absoluto sigilo, e aplicar pesadas penalidades. Os atos das Subseções e Conselhos Seccionais são submetidos ao Conselho Federal, mas os advogados não votam para o Conselho Federal, e acabam resolvendo entre eles que será o "representante". É tudo uma enorme fachada, da qual nós advogados independentes não conseguimos nos desvencilhar. O grupinho que está no poder o exerce para atender seus interesses mais imediatos, deixando a maior parte dos advogados entregues à própria sorte. Para que o sistema eleitoral seja alterado, de forma a que todos possam realmente se candidatarem e serem eleitos sem precisar de chapas e conchaves, faz-se necessário que os próprios dententores do poder dentro da Ordem queiram, e assim segue-se em um ciclo vicioso, na qual toda a sociedade perde.

democracia

Prætor (Outros)

Ué, que eu saiba, a OAB representa SIM os advogados. Quem não estiver satisfeito com os rumos da instituição, deve se candidatar aos cargos de direção e liderá-la pelos meios democraticamente estabelecidos.
O tal do "não me representa" é coisa de quem faz quebra-quebra e não acredita nas regras democráticas.

E a constituição?

João Corrêa (Estagiário - Previdenciária)

XX - ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a permanecer associado;

A OAB não representa mais a advocacia

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

É preciso esclarecer nessas horas que a OAB não representa mais a advocacia nacional. Há um grupinho que a domina, e impede que sejam feitas modificações estruturais para que a Entidade volte a ser a voz da sociedade e retome seus compromissos institucionais.

Típico...

Homer Asiático (Outros)

Vexame total.

Casa de ferreiro...

Prætor (Outros)

Condicionar o desligamento voluntário à quitação da dívida?
Francamente...

Comentar

Comentários encerrados em 31/10/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.