Consultor Jurídico

Colunas

Segunda Leitura

As bibliotecas jurídicas na visão dos livros

Comentários de leitores

6 comentários

O "envelhecimento" do livro jurídico

Biblioteca do MPT no RN (Servidor)

Esta Biblioteca do MPT/RN é especializada em direito do trabalho e todo ano sofre as dores de ter que se desfazer de parte do seu acervo para dar lugar às atualizações. O espaço é limitado e é necessário fornecer informação atualizada para os usuários pois nossa legislação, jurisprudência e doutrina sofrem alterações em velocidade vertiginosa. Tentamos manter as edições mais clássicas cujo valor não está em sua atualidade. É reconfortante sabermos que essas obras sobreviverão ainda que em outro suporte e em outras instituições cujo missão seja exetamente a preservação da memória. É com esta esperança que nos desoneramos dos sentimentos de culpa ao eliminarmos uma obra importante.
Parebenizamos pelo artigo, tanto pelo tema quanto pela abordagem incomum na ótica do próprio livro.
Biblioteca do MPT/RN http://bibliotecaprt21.wordpress.com//>@bibliotecamptrn

Que momento!

Eduardo R. (Procurador da República de 1ª. Instância)

Aqueles que tem uma relação verdadeiramente afetiva com os livros físicos certamente viveram nesse texto um dos grande momento, descontraído e emocionante. Como somos incompreendidos por quantos vêem nos livros velhos apenas fonte poeira e paranhos! Parabéns ao artista.

Maravilhoso texto

Amaralsantista (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Com uma inspiração poética o Prof Vladimir nos presenteia com essa obra, que em determinado momento viajamos um pouco ao nosso passado não muito distante, que nos fez recordar de Mestres do Direito que até hoje não saem da nossa memória. Só temos que agradecer ao Prof. Vladimir, que já nos faz aguardar com ansiedade a coluna "Segunda Leitura" do próximo Domingo. Tornou-se um hábito saudável. Até lá.....

Ótimo texto

Luan Oliveira (Estudante de Direito - Administrativa)

Muito gostoso ler esse texto, mostra como os livros jurídicos ou não, acabam fazendo parte das nossas vidas.
Uso muito os livros digitais, são de grande valia, pois possibilitam uma maior praticidade, porém não há nada como se perder por horas em meio à estantes de bibliotecas, descobrindo e redescobrindo autores que marcam nossas vidas.
Apesar de todo o avanço das editoras jurídicas no uso de mídias digitas, creio que deveriam focar também em obras clássicas do Direito, pois ainda há uma lacuna em tal segmento.

Belo Texto

Gathaspar (Advogado Autônomo)

COm bastante elegância o autor conseguiu mostrar ser um homem de seu tempo: antenado com as mudanças, esparançoso com o futuro e ciente da importância do passado. Parabéns.

O destino das bibliotecas jurídicas

Voluntária (Administrador)

Ao abordar o destino das bibliotecas jurídicas e o previsível fim dos livros em papel, o artigo aponta, de forma poética, um problema atual. Talvez uma solução fosse criar um site onde os proprietários pudessem oferecer suas obras e os interessados localizar o que desejam. É possível que muitas Faculdades de Direito ou sedes de OAB, Brasil afora, principalmente em pequenas cidades, tenham interesse.

Comentar

Comentários encerrados em 8/04/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.