Consultor Jurídico

Execução penal

Em mutirão, TJ-PR analisa mais de 2 mil processos

O Tribunal de Justiça do Paraná encerrou, nesta quarta-feira (27/3), o mutirão carcerário feito no Centro Estadual de Educação Básica de Jovens e Adultos, em Piraquara, entre 20 e 27 de março. O mutirão foi coordenado pelos juízes das Varas de Execuções Penais Eduardo Lino Bueno Fagundes Júnior e Moacir Antonio Dala Costa.

Foram analisados 2.063 pedidos de benefícios de detentos do sistema prisional do Paraná, inclusive delegacias de Polícia. Desses, foram julgados 1.175 pedidos, sendo 937 deferidos e 238 indeferidos. Os resultados assinalam que foram expedidos 267 alvarás de soltura, 217 progressões para o regime semiaberto e 462 comutações, remissões de pena e indultos.

O juiz Eduardo Fagundes frisou, na apresentação dos resultados, que: "é preciso inovar e abandonar a mentalidade burocrática do método tradicional que ainda possui setores estanques". De acordo com ele, isso dificulta a reunião de documentos indispensáveis para acelerar o reconhecimento do direto das pessoas encarceradas.

A secretária da Justiça, Maria Tereza Uille Gomes, agradeceu ao Judiciário paranaense e ressaltou que, no início dos trabalhos, ainda em 2011, o Paraná ocupava o penúltimo lugar em oferecimento de vagas no programa oficial do Conselho Nacional de Justiça Começar de Novo. Hoje, de acordo com ela, ocupa o primeiro lugar.

Segundo o procurador-geral de Justiça, Gilberto Giacoia, "o esforço na otimização e humanização no processo de execução penal é o objetivo comum dos atores do sistema de Justiça no qual se insere o Ministério Público e, portanto, coloca-se a serviço dos melhores propósitos de aperfeiçoamento do sistema penitenciário paranaense".

O presidente do TJ-PR, desembargador Clayton Camargo, reconheceu os esforços de vários integrantes do governo do estado e do Judiciário para a iniciativa. Também estiveram envolvidos no mutirão, juntamente com os juízes da VEP e a secretaria de Justiça, 32 funcionários das três varas de Execução Penal, a desembargadora Joeci Machado Camargo, a promotora de Justiça Criminal Marla de Freitas Blanchete, e representantes do Conselho Penitenciário do Paraná e da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil no estado.

Estiveram também presentes o primeiro vice-presidente do TJ-PR, desembargador Paulo Roberto Vasconcelos; os desembargadores D'artagnan Serpa Sá e Marcus Vinícius de Lacerda Costa; o diretor do Departamento de Execução Penal, Mauricio Kuehne; o presidente do Conselho Penitenciário, Dálio Zippin Filho; e o subdefensor público geral do Paraná, Osni Batista Padilha.

Ainda compareceram ao evento a representante da OAB-PR e coordenadora do projeto OAB Cidadania, Lucia Maria Beloni Corrêa Dias; diretor-geral e chefe de gabinete da SEJU, respectivamente, Leonildo Grota e Luciana Lepri, entre outras autoridades. Com informações da Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça do Paraná.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 29 de março de 2013, 10h48

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 06/04/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.