Consultor Jurídico

Artigos

Reforma do judiciário

Justiça é nebulosa e cresce sem controle da sociedade

Comentários de leitores

7 comentários

Qual a Reforma?

DJU (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Justiça célere e barata, todos dizem desejar. Mas qual a reforma e quais os interesses que serão contrariados por ela? Há dias um advogado de bancos contou-me que se obrigava a ingressar com todos os recursos possíveis, até embargos de declaração ainda que impróprios para o momento, nas ações em que os bancos tinham interesse em protelar. A Febraban deseja sempre justiça célere? As fazendas públicas, se devedoras, também têm essa intenção? Há inúmeros outros interessados na protelação.

sem investimento, sem resultado

Prætor (Outros)

Escrevam o nome do articulista e guardem: se algum dia o virem reclamando da lentidão dos feitos na Justiça, deverá ser lembrado que ele combateu ferozmente os investimentos para tornar o Judiciário capaz de dar conta de 100 milhões de processos em trâmite.

Fiesp e Febraban são algumas das entidades da sociedade

Roberto ferrari de Ulhôa Cintra (Outros)

a sociedade civil é constituída por dezenas , se não centenas de entidades , com poder de interferir nos destinos das instituições políticas. Fiesp E Febraban são duas delas .Penso que o cidadão comum terá a sua disposição ONGS que poderão clamar por uma Reforma do Judiciário de natureza menos burocratizada do que os caminhos que vêm percorrendo a Justiça brasileira nos últimos 40 anos . Como não vejo qualquer ONG atuando em defesa de uma justiça célere e barata , penso que apelar para Fiesp e Febraban iniciem uma campanha talvez seja uma decisão válida.Vai que a moda pega .

Advogados não recebem verbas públicas

Sidval Oliveira (Advogado Autônomo - Civil)

Existe uma vital diferença omitida no artigo: Os advogados, em sua grande maioria, vivem de seus honorários arduamente conseguidos no mercado de trabalho, e não de salários pagos pela "viúva".
Assim, não há qualquer lógica na afirmação genérica que há advogados vibram com o estado caótico da justiça. Pelo contrário, uma justiça eficaz, rápida e organizada só trará benefícios aos advogados, principalmente financeiro.

Lógica puramente empresarial

José Wally Gonzaga Neto (Juiz do Trabalho de 1ª. Instância)

Causa-me espanto o ilustre doutrinador considerar a Fiesp e a Febraban as legítimas interlocutoras da sociedade civil.

Jusitiça também é injusta

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Não é bem assim. Por certo que há "advogados, os juízes e o os promotores" que realmente vibram com o estado caótico da Justiça brasileira, mas não são todos. Há de fato varas sobrecarregadas, com alguns magistrados até doentes de tanto trabalhar, enquanto alguns outros são liberados para "curso de aperfeiçoamento" no exterior, com subsídios pagos pelos jurisdicionados. A Justiça, em suas engrenagens internas, também possui suas injustiças, e "nivelar por baixo", como faz o Articulista, não vai ajudar.

É vero

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Grande verdade, mas nada de novidade.

Comentar

Comentários encerrados em 30/03/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.